Procure no JP

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Estádios pelo Brasil, volume 36: Estádio General Affonseca (Lorena/SP)

Fala pessoal!

Hoje vamos com um post cheio de história aqui no JOGOS PERDIDOS. Vamos falar de um templo do futebol incrível que fica no Vale do Paraíba. Isso mesmo, em mais um post da série "Estádios pelo Brasil", hoje é a vez do Estádio General Affonseca, palco dos jogos do fantástico Esporte Clube Hepacaré, da cidade de Lorena.


Entrada da simpática cidade de Lorena, no Vale do Paraíba, e terra do glorioso EC Hepacaré. Foto: Fernando Martinez.

Falando um pouco sobre a origem do nome da cidade, Lorena, chamou-se inicialmente "Hepacaré', nome tupi-guarani que, segundo Teodoro Sampaio, quer dizer "braço da lagoa torta", em virtude de um braço do rio Paraiba ali existente na época. Mas segundo Azevedo Marques, no seu Relatório da Província de São Paulo, "hepacaré" significa "lugar das goiabeiras".

Bom, falando agora sobre a visita, visitamos o local já tem um tempinho, numa das nossas andanças para o Rio de Janeiro. E poder visitar a cidade de Lorena para buscar alguma informação do Hepacaré era algo que sempre quisemos fazer. Chegamos na cidade e não foi difícil encontrar informações pelo clube, pois o mesmo é bastante conhecido por ali.


Numa das fachadas do estádio as iniciais do time que mandava suas partidas por lá. Foto: Fernando Martinez.


Fachada que era da entrada principal do General Affonseca. Foto: Fernando Martinez.

Vendo tudo isso já demos uma desanimada e achávamos que não teria como ter um estádio naquele lugar. Mas nos fundos dessa sede social, encontramos uma pequena porta. Ela nos levava a um dos palcos sagrados do futebol no Vale do Paraíba, o Estádio General Affonseca

Aproveitando, todos podem se perguntar: quem foi o tal General Affonseca? Bom, o General Sá Affonseca, oficial do Ministério da Guerra nos anos 30, tem ligações com a história da cidade de Resende, que fica no sul do estado do Rio de Janeiro. Ele foi um dos responsáveis pelo projeto da construção da Academia Militar de Agulhas Negras, em fins de 1937.


Nome do estádio no alto da cobertura de madeira na "numeradas". Foto: Fernando Martinez.

O estádio que leva seu nome foi inaugurado em 30 de março de 1941, e desde o começo, sempre foi palco dos jogos do time da cidade. O esporte Clube Hepacaré foi fundado em 1914, e desde a inauguração do estádio, mandava lá seus jogos nos campeonatos amadores da região. Em 1956, o time entrou no profissionalismo, e até 1973, ano de sua última participação no futebol profissional, mandou seus jogos por lá, num total de 12 temporadas jogadas.


Das numeradas do General Affonseca, a visão do lado direito do campo. Foto: Fernando Martinez.


Agora da mesma numerada, a visão do lado esquerdo. Foto: Fernando Martinez.

Uma curiosidade interessante sobre times que jogaram no estádio é que o genial CREIX (Clube Recreativo e Esportivo da Indústria dos Xistos) de Tremembé também chegou a mandar alguns jogos ali, quando disputou a terceirona de 1957. Já imaginaram ver um jogo do CREIX por lá?


Visão da bela numerada coberta do Estádio do extinto Hepacaré. Foto: Fernando Martinez.


Agora os bancos de reservas. Foto: Fernando Martinez.


De dentro da grande área, a vista do "gol dos fundos" do General Affonseca. Foto: Fernando Martinez.

Falando da situação atual do General Affonseca, o estádio ainda é utilizado em jogos amadores da cidade. O gramado não era dos piores e nem mesmo a parte coberta estava numa situação ruim. A pena é que devido à todo problema com a sede social do clube, é praticamente nula a chance de um dia vermos novamente o time do Hepacaré voltar a disputar seus jogos ali.


Do gol da "esquerda", essa é a visão da numerada. Foto: Fernando Martinez.


A visão do gol "da entrada" do estádio é essa. Foto: Fernando Martinez.

Mas a chama ainda continua acesa, mesmo nos jogos amadores que acontecem todos os domingos cedo ali. Enquanto essa chama não se apagar, quem sabe ainda não veremos o time mandar jogos no estádio? E posso dizer que ficamos emocionados com a visita, pois mais um pedacinho da história do futebol paulista foi resgatado pelo JOGOS PERDIDOS.

Bom, e por enquanto é só!

Abraços

Fernando

Um comentário:

  1. Seria interessante fazer uma nova reportagem sobre este estádio, que está para ser demolido.

    ResponderExcluir