Procure no JP

sábado, 26 de fevereiro de 2005

Paulista Série A3: Mauaense 1-1 Primavera

Olá pessoal !

Mais um jogo perdido, sabado às 10:00 da manhã, estivemos em Mauá. Eu, David, Natal e Orlando. O jogo foi bastante disputado, com a Mauaense tentando sua 1ª vitória neste campeonato contra a equipe do Primavera de Indaiatuba. O placar terminou empatado em 1 a 1. O Grêmio saiu na frente, mas aos 48' o Primavera empatou numa bobeira da zaga mauaense. Segue uma foto do jogo:


De longe, muito longe, lance da partida entre Mauaense e Primavera. Foto: Jurandyr Junior.


Na ordem: Um grande amigo do seu Natal (pai do número 2 da Mauaense), Seu Natal, Orlando e David. Foto: Jurandyr Junior.

Abraços!

Jurandyr Junior

Paulista Série A2: Juventus 0-2 São Bento

Olá turma!

Bom, hoje o clube se reuniu pela primeira vez após o início da fase "celebridade instantânea", e pra ser em grande estilo, na velha Rua Javari. Na entrada tivemos que ser escoltados pelos policias, para conseguirmos passar pelas fãs histéricas, que gritavam estilo fãs dos Beatles na fase Iê-iê-iê. (he he!)

Brincadeiras à parte, o clube esteve presente em massa, Jurandyr, Fernando, Victor, Orlando, David, Milton e eu, marcamos presença. É raro tantos membros do clube juntos. Também esteve por lá o amigo Rafael, grande torcedor Luso. O jogo foi bem interessente, líder e vice-líder do grupo B, da Série A2, medindo forças no grande clássico Juventus e São Bento.


Escanteio para o Juventus no primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.


Boa chance grená no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez. [150411]

O primeiro tempo foi meio morno, com domínio territorial do Juventus, mas sem grandes chances de gol. O São Bento veio bem fechadinho e segurou o 0 a 0. Na segunda etapa, logo no comecinho o São Bento saiu na frente. Depois disso o Juventus começou a pressionar, mas nada de gol. Como não poderia deixar de ser, num contra-ataque o São Bento fez 2 a 0.

Pouco tempo depois o Juventus fez seu golzinho, mas a boa defesa do São Bento conseguiu segurar o placar de 2 a 1 até o final. O São Bento segue com uma campanha impecável, seis jogos e seis vitórias.


Victor, Orlando, David e Fernando na frente da Javari. Foto: Emerson Ortunho.

Depois o Fernando deve colocar mais algumas fotos e outros detalhes pitorescos do jogo de hoje. Ah, amanhã ele e o David devem protagonizar um dos especiais do ano. Aguardem!

Abraços!

Emerson

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2005

Paulista Série A1: Portuguesa 2-2 União Barbarense

Opa,

Ontem teve mais uma rodada especial do Clube, embora sem muitos membros presentes (eu, o Jandir, e o Orlando), estivemos no glorioso Canindé para sofrer um pouquinho pela Portuguesa, que enfrentou o União Barbarense.

Um fato interessante é digno de registro: Ontem fui reconhecido como sendo do Jogos Perdidos, isso mesmo, reconhecido no meio das arquibancadas do Canindé. O nome do rapaz que me abordou é Rafael, estagiário da GE e admirador do blog, um abraço para ele, e isso nos deixa orgulhosos, sabendo que estamos fazendo um belo trabalho!

Eu já não assistia um jogo noturno da Lusa no Canindé desde 24 de agosto do ano passado, quando ela bateu o Remo por 2 a 0. E não via jogo noturno dela no Canindé, pelo Paulistão desde 2003, uma vitória de 3 a 2 sobre o Marília. Todos esses jogos foram recheados de sofrimento, e ontem não poderia ser diferente.


Lance do jogo entre Lusa e União Barbarense. Foto: Fernando Martinez.

Logo aos 8 minutos a Lusa fez 1 a 0, parecendo que o jogo seria tranqüilo... Ledo engano. Com duas bobeiras fantásticas, a Barbarense virou o jogo, e foi para o intervalo com a vitória parcial. O time da Portuguesa é um dos piores (se não o pior) que já vi, mas pelo menos eles demonstraram um pouco de raça no segundo tempo, quando empataram e só não ganharam a partida porque o bandeira meteu a mão, e não validou um gol no final do jogo. Final da partida: 2 a 2, e mais uma rodada na zona do rebaixamento.


Lance do segundo tempo do jogo. Ataque da Lusa. Foto: Fernando Martinez.

O próximo final de semana promete, assim como a rodada do meio da semana que vem da Copa do Brasil, alguns especiais do ano vem por aí.

Abraços

Fernando

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2005

Três partidas em sete horas no JP

Grande povo!

No último sábado tivemos a chance de uma rara rodada tripla de futebol (pena que por pouco não foi quádrupla!). Jogos as 11, 14 e 16 horas, sessões matutinas e vespertinas de futebol, para Doente nenhum botar defeito.

A caravana foi um tanto quanto incomum: Jandir, eu, o Orlando e o Alfredo presentes em tal feito. O primeiro jogo foi no Parque Antártica, aonde fomos assistir a apresentação do líder do grupo 2 da A3 de São Paulo, o Palmeiras B jogando contra o Itararé. O time é bem meia-boca, jogou pro gasto, e o jogo nem vale como referência, pois o Itararé é muito fraquinho, e ainda perdeu um pênalti quando o jogo estava 1 a 0 para o Verde.


Itararé perdendo pênalti no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.


Detalhe de Palmeiras B x Itararé. Foto: Fernando Martinez. [150411]

Final de jogo, 2 a 0 para o Palmeiras B, a quarta vitória seguida. Depois disso, fomos na sequência a Osasco, para acompanhar ECO e Mauaense. Como chegamos cedo, ainda tentamos fazer uma boquinha. Boquinha SEM o Jandir, pois o mesmo, munido de dois sanduíches de queijo e presunto (a lá Chaves) e um Toddynho, se escondeu atrás de um caminhão nos fundos do estádio para comer sozinho, e não repartir o pão entre o resto dos esfomeados.

Buscamos algum tipo de padaria, lanchonete ou botecão mesmo, mas era aniversário de Osasco, então TUDO estava fechado. Tivemos que nos virar com biscoitinhos e iogurtes mesmo. Ah, e vale lembrar que o ingresso era 1 quilo de alimento perecível, então nos abastecemos de fubá e açúcar para a contribuição do Clube dos Doentes.

Por ser um jogo com portões abertos, achei que teria mais gente, mas o público foi horroroso, acho que não tinha nem 300 pessoas por lá. O jogo em si foi beeem legal, bastante movimentado, com direito a várias chances perdidas de ambos os lados, golaço da Mauaense e pênalti perdido para o ECO. Final da contenda: 1 a 1, empate justo.


Como era aniversário de Osasco, a equipe do ECO entrou em campo homenageando a cidade. Detalhe para a bandeira de Osasco, muito bonita, e o brasão da cidade é o escudo do Osasco FC também. Foto: Fernando Martinez.


Lance do segunto tempo, ataque do ECO. Foto: Fernando Martinez.


Jurandyr, Orlando e Alfredo, suando em Osasco. Foto: Fernando Martinez.

Por fim, saindo fincado de Osasco, corremos de volta à São Paulo para assistir na gloriosa Comendador Souza, a partida entre Nacional e Flamengo de Guarulhos. Devido a destreza do Jandir na direção, chegamos rapidinho na Lapa, e na hora em que nos instalamos em nababescas tribunas ferroviárias, o Naça fez 1 a 0, sendo o único gol do jogo.

O jogo foi legal também, com o Nacional perdendo N gols, perdendo pênalti (o terceiro pênalti perdido do dia, de 4 batidos, um recorde), e deixando de fazer um saldo de gols legal em casa. Mas valeu a vitória, e por hora estar entre os 4 primeiros do grupo.


Escanteio para a equipe do Nacional no primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.


Nacional e Flamengo num ângulo superior. Foto: Fernando Martinez. [150411]

Agora uma fotinho dos sobreviventes da tal maratona, assistindo a peleja nas tribunas do Nicolau Alayon:


Na ordem: Guilhermoso, David, Orlando, Jurandyr e Alfredo. Foto: Fernando Martinez.

Valeu, e as forças acabaram para fazer qualquer coisa no domingo, mas quarta-feira já tem coisa boa, e final de semana tem (eu espero que aconteça de verdade) um dos especiais do ano, falta confirmar a 'verba' para isso.

Falô

Fernando

domingo, 20 de fevereiro de 2005

Rodada "quíntupla" no JP

Olá, rapaziada!

Estou duplamente feliz. Primeiro por estar tendo a oportunidade de fazer um "post" para os "Perdidos" que tenho certeza, num futuro bem próximo, se tornará uma excelente fonte de informações, inclusive para profissionais. Em segundo lugar por ter visto 5 jogos num fim de semana: Noroeste x Juventus (em Bauru), Palmeiras B x Itararé, ECO x Mauaense, Nacional x Flamengo e Rio Claro x Monte Azul (em Rio Claro). Falarei um pouco das duas partidas nas quais estive sozinho:

NOROESTE 0x0 JUVENTUS

Junto com 2666 pagantes (achei que tinha pelo mensos 3500/4000 pessoas) presenciei um primeiro tempo amarrado, chato de se ver. Só tivemos um gol incrivelmente Perdido pelo Juventus (Fabinho) que próximo à linha da pequena área mandou a bola na lua, uma bola na trave chutada pelo Noroeste e duas expulsões (uma de cada lado).

No segundo tempo o jogo ficou mais emocionante, quando o Norusca foi pra cima, criando e perdendo pelo menos 3 chances reias de gol com mais uma bola na trave e o nosso querido "Moleque Travesso" não passava do meio de campo.Destaque para o goleiro avinhado Marcelo. Ao final do sofrimento o "Atomic Grapes" ganhou 1 ponto fora de casa. Ufa. Para os que curtem uniformes, informo que o Juventus foi todo de grená e o Noroeste todo de branco.

RIO CLARO 1x0 MONTE AZUL

Eu e mais 291 testemunhas assitimos um jogo "morno" com total domínio do time da casa. O destaque foi o "11" do Rio Claro que fez toda a jogada do único gol e deu uma canseira na defesa do Monte Azul. O cara tem mais ou menos 1,60 mts. de altura e o short mais parecia uma saia. O nome da figura é Luciano Gigante(veio do Bandeirante de Birigui). É mole? Se jogar sempre assim terá futuro. Vamos conferir.

Aos fãs dos uniformes: Rio Claro com camiseta branca (com escudinho no centro), short azul e meião branco e o Monte Azul com camiseta azul, short branco e meião azul. Nos próximos "posts" espero poder ilustrar com fotos.

Orlando

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2005

Paulista Série A3: Taboão da Serra 2-3 ECUS

Olá!

O Blogue está agitado, tenho mais um "post". Hoje, eu, o Jandir e o Orlando, estivemos em Taboão da Serra para assisitir a um joguinho bem perdido. Taboão da Serra x ECUS, jogo adiado da primeira rodada da série A3.

O primeiro tempo foi meio devagar. O ECUS começou dominando e fez 1 a 0. Depois, mesmo continuando a jogar melhor, acabou tomando o empate ainda no primeiro tempo. Na segunda etapa, o Taboão veio mais inspirado e acabou virando o jogo.

Aí, o time da casa recuou para segurar a vitória e começou a sofrer pressão do ECUS, que é melhor time. O joguinho ficou bom de assistir e não deu outra, nova virada e vitória merecida do ECUS. Final: Taboão da Serra 2 x 3 ECUS. Segue foto do jogo:


Lance do segundo gol do ECUS. Foto: Emerson Ortunho.

Agora, tenho que fazer um cometário: é brincadeira as arquibancadas instaladas no Estádio Vereador José Feres, para cumprir o regulamento da FPF, que exige estádio para 10.000 pessoas na A3. Primeiramente, com aquelas arquibancadas tubulares o estádio não chegou nem perto de 10.000 pessoas. E o que é pior, as arquibancadas que estão atrás do gol são perigosas. Só indo lá pra ver.

Então, qual a conclusão que eu chego: um estádio que estava arrumadinho, passou a ser perigoso. Graças a exigência da FPF, que sequer foi cumprida. Não dá pra entender, a FPF exige, eles dão uma tapeada, a FPF aceita e fica tudo certo. E o que é pior de tudo isso: podem apostar, em nenhum jogo o Taboão vai levar mais que 1.000 pessoas ao estádio.

Fui. Abraços!

Emerson

terça-feira, 15 de fevereiro de 2005

Paulista Série A2: Bragantino 3-1 Flamengo

Boa noite,

Desculpem a demora, porém estou aqui para lembrar que no final de semana passado apesar de não ter comparecido no jogo do glorioso C. A. Juventus marquei presença em outra partida da Série A2 do Campeonato Paulista. Este membro do Clube dos Doentes compareceu na cidade de Bragança Paulista e acompanhou a partida entre Bragantino e Flamengo.

O jogo foi decidido ainda no primeiro tempo com três gols da equipe mandante, que por sinal apresentou um volume de jogo muito maior que a agremiação de Guarulhos, além de um pênalti e inúmeras chances de gol desperdiçadas.

No segundo tempo a equipe do Bragantino diminuiu o ritmo, porém ainda criou algumas oportunidades de aumentar o placar. Ao final, o Flamengo chegou a marcar seu gol de honra, entretanto não chegou a assustar o time do interior que venceu de forma tranquila e merecida. Placar final de Bragantino 3-1 Flamengo.

O Flamengo entrou em campo com seu uniforme tradicional, já o Bragantino jogou de meias cinzas, calções pretos e camisas quadriculadas em cinza e preto. Infelizmente este humilde representante do Clube não possui câmera digital para melhor ilustrar o jogo comentado.

Quanto ao amistoso entre Brasil x África do Sul, a ser realizado no Estádio do Morumbi, o narrador Cléber Machado, da Rede Globo, já o tinha informado durante a transmissão do amistoso Hong Kong 1-7 Brasil.

Por fim, apesar de imaginar o descontentamento do Jurandyr, fiquei satisfeito com a tabela da Segunda Divisão do Campeonato Paulista, e já estou aguardando ansiosamente a realização do jogo São Carlos x Atlético Araçatuba, previsto para 05/06.

Victor Minhoto

Paulista Série A3: Mauaense 0-1 São José

Aê rapaziada!

Continuando, e para não deixar em branco o que rolou domingo, posto aqui o que rolou na vida do Clube domingão de manhã. Representando o Clube: Eu, o David, o Emerson e o Mílton e também com a presença (e a fantástica carona) do ilustre Seu Natal. Nós estivemos em Mauá, para assistir a peleja entre Mauaense e São José. Agora o São José já voltou ao escudo tradicional, depois de dois anos participando do Paulistão como Esporte São José. A torcida do São José que estava lá nem sabia que tinha mudado um dia.

O jogo foi beeem meia-boca, mas valeu pelo gol do São José, e por estar em tão belas instalações. Eu adoro o Estádio Pedro Benedetti, o considero um dos lugares mais legais para se assistir uma partida de futebol. (Ah, final de jogo, 1 a 0 para a Águia do Vale)


Ataque do São José no primeiro tempo da partida. Foto: Fernando Martinez.

Em tempo, o jogo atrasou quase meia hora porque faltava a famosa ambulância. Depois de algum desespero, eles conseguiram xavecar os bombeiros de uma tal forma, que quem foi convocado (no primeiro tempo) para agir como médicos na partida foram os próprios homens do fogo. O legal é que, se tivesse acontecido algum dilúvio, ou mesmo algum tsunami na cidade de Mauá, já estaríamos salvos, vide a foto abaixo:


Bombeiros de Mauá se preparando para o Tsunami. Foto: Fernando Martinez.

Isso mesmo!! Um barco para nos salvarmos dos tsunamis que acontecem por aí. (Um homem prevenido vale por dois.)

Bom, por ora é só.

Falô

Fernando

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2005

Paulista Série A3: Tabão da Serra 2-4 São Vicente

Oi, pessoal!

Ontem estive presente em Taboão da Serra, para presenciar a um belo jogo, onde mais uma vez o São Vicente bateu o Taboão. Vale lembrar que até hoje o Taboão venceu apenas uma vez a equipe vicentina. Desta vez o placar foi Taboão da Serra 2 x 4 São Vicente. Os gols foram marcados por : Índio 20/1ºT (SV); Afonsinho 25/1ºT (SV); Mancini 24/2ºT (TS); Flavio Guarujá 29/2ºT (SV); Nena 34/2ºT (SV) e Jorginho 41/2ºT (TS).

Abaixo fotos do jogo e do estádio que foi " ampliado ":


Equipes prontas para o início da partida. Foto: Jurandyr Junior.


Cobrança de falta do São Vicente, com exclusivo detalhe da tribuna. Foto: Jurandyr Junior.

Esteve presente também o Orlando, que é um dos fundadores do clube.

Jurandyr Junior

Paulista Série A2: Juventus 4-1 Guaratinguetá

Fala povo,

Com um certo atraso, devido a não ter internet em casa, publico aqui mais um capítulo da vida do Clube dos Doentes. Aconteceu sábado, no templo sagrado da Rua Javari, na partida entre Juventus e Guaratinguetá, o jogo deve ter chamado a atenção em especial, pois figuras históricas daquele templo reapareceram depois de vários anos no limbo.

Bom, o jogo por si só já foi espetacular. Quem vê o placar final da partida, não imagina que foi um jogo duríssimo para a equipe grená, mas como os Atomic Grapes da Moóca são os galáticos de verdade, final de jogo 4 a 1 para o Juventus.


Lance do segundo tempo da partida. Foto: Fernando Martinez.

O primeiro tempo começou legal para a Juve, que logo marcou aos 7 minutos numa besteira do goleiro do Guaratinguetá. O jogo seguia tranqüilo, mas como jogo do Juventus sem emoção, não é jogo do Juventus, eles perderam umas três chances claras de gol no final da primeira etapa.

Logo, os gols perdidos fizeram falta, pois logo no comecinho do 2ºtempo o Guará empatou, num belo gol. Daí pra frente foi só sofrimento, com o Guará melhor na partida e levando perigo ao gol Juventino. Mas, graças ao grande boca-santa Jurandyr (ele me pagou para dizer isso), aos 26 minutos, o Hugo fez um golaço, num chute fantástico, levando o Juventus à frente do placar de novo. Logo depois teve um penal para o Juventus, e o Fabinho fez 3 a 1.

Aí que aconteceu a melhor parte, depois de ser xingado algumas vezes (e ter sido até simpático com a gang atrás do gol) o goleiro do Guará fez uma asneira completa: Primeiro deu uma cabeçada no atacante do Juventus dentro da área (ele deve ter imaginado que o juiz deixaria passar batido), foi expulso, e depois disso ainda deu uma muqueta no juiz (que caiu de quatro no chão...hehe), uma bicuda no bandeirinha e quase um murro num PM. Ou seja, ele perdeu COMPLETAMENTE a noção, e deve ficar um bom tempo suspenso, curtindo a vida no interior na sua casa. Pênalti batido, final de jogo 4 a 1 para a máquina Juventina.


Terceiro gol juventino. Foto: Fernando Martinez.


Quarto gol juventino. Foto: Fernando Martinez.

Mas o registro que faço aqui mesmo, foi a volta de várias figuras lendárias da Javari a um jogo de futebol. Syller, Seu Saraiva, Nassau, Mílton (afastado nas últimas semanas), e até a grande revelação do rock nacional, a banda The Jenniffers esteve por lá. Aí vai a foto de cada um dos retardados:


Na ordem: David, sempre alerta; Daniel (agachado), guitarrista do The Jenniffers, e fanático torcedor do Paulista de Jundiaí; Syller, grande figura dos anos 80 e 90 na Javari, reaparecido depois de 4 anos; Jurandyr, escondido e reclamando da vida; Sérgio, não vendo o jogo, como sempre; Alfredo, amigo pessoal do Paulinho Tognasini; Mílton, sempre rindo de tudo; Fernando, grande baterista do The Jenniffers, e Jorge Múcio, preparado para as próximas festas juninas. Foto: Emerson Ortunho.


Essa foto tem o jornalista Édson Natali na ponta-esquerda, e na ponta-direita, o lendário, vulgo 'Pai do Piranha' e glorioso presidente da Mocidade Unida da Móoca, Mena (entrem na comunidade Amigos do Mena no orkut aí). E esse aí, ao lado do Jurandyr, é uma das maiores lendas da Javari: O famoso Lupércio, o 'Seu Saraiva' cover. Com seu famoso bordão 'Olha quem tá aquiiiii', ele sempre deixou saudade no meio juventino, voltando de seu período recluso em terras francesas. Fotos: Fernando Martinez.

Falta foto do Nassau, do Orlando e do próprio Emerson. Falha nossa! Mas o álbum de figurinhas da Javari fica bem servido depois de tantos ícones juntos de uma só vez.

Até a próxima

Falô

Fernando

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2005

Libertadores: Palmeiras 2-0 Tacuary (Par)

Fala povo,

Bom, ontem o Clube esteve presente em outro joguinho clássico do nosso futebol. Afinal de contas, acredito que tenha sido a chance única na vida de ver o time do Tacuary do Paraguai. Logo, grande parte do Clube esteve lá: Eu e o Jandir (como sempre), o David e o Emerson, e o grande sambista Estevan. Vale o registro que o Estevan é um cara de tanta sorte, que chegou aos 10' do primeiro tempo, e foi embora aos 35' do segundo... ou seja, perdeu os dois gols do jogo, e para ele a partida ficou no 0.

O jogo foi bem meia-boca, o Tacuary ainda teve algumas chances, mas não resistiu não, o time na verdade é bem ruinzinho. Se bem que o Palmeiras não é nenhuma máquina, mas (sem dúvida) é melhor que a equipe paraguaia. Final de jogo, 2 a 0 para o Verde.


Lance do primeiro gol do Palmeiras. Foto: Fernando Martinez.


O Placar do Palestra Itália que dificilmente se repetirá um dia. Foto: Fernando Martinez.


De longe, a Palestra Itália para Palmeiras x Tacuary. Foto: Fernando Martinez. [150411]

Agora primeiro faço questão de publicar uma das fotos mais legais do blog, uma foto tirada pelo Jandir, que conseguiu mostrar toda a sua habilidade e destreza como fotógrafo:


Primeiro lugar no concurso 'Piores fotos do ano'. Foto: Jurandyr Junior.

Dá para perceber como ele tem uma bela noção de enquadramento, o David saiu muito bem na foto, o Jandir é um animal mesmo, agora segue a foto EXATA de quem estava no jogo:


David, Émerson, atitude 100%; Estevan e Eu. Foto: Jurandyr Junior.

Por hora é só... depois tem mais.

Abraços!

Fernando

Fútbol Argentino, volume 1: Informações úteis em Buenos Aires (parte 2)

Buenas!

Agora continuando o primeiro Volume sobre o Fútbol Argentino: O centro da Cidade de Buenos Aires é bastante turístico e muito fácil de se locomover. Existem muitos ônibus, linhas de metrô, trens e taxis, que lá são muito mais baratos que os daqui do Brasil.

Vocabulário: Metrô = Subtê / Trem = Ferrocarril, ou tren / Ônibus = Coletivo. Dica importante: para se tomar ônibus é indispensável ter moedas (monedas), pois o cobrador automático só aceita moedas, e é indispensável também indicar o destino ao motorista, assim que entrar, para que ele possa estabelecer o valor da cobrança.

Para se hospedar é como qualquer grande cidade, existem desde albergues baratos, até luxuosos hotéis, vai do bolso de cada um. O dinheiro é o Peso que está valendo um pouquinho menos que o Real, tornando a viagem mais interessante para nós. Algumas lojas do centro até aceitam Reais, mas é muito fácil trocar dinheiro no centro. Atenção: não troque no aeroporto ou na rodoviária que não vale a pena.

Para comer, aqui vão algumas dicas: As massas são muito parecidas com as brasileiras, então pode pedir uma macarronada numa boa, que vem igual a daqui. As pizzas também são muito boas.

Quem gosta de carne, estará bem servido. As carnes argentinas são ótimas. Porém, aqui vão algumas dicas importantes. Cada um tem seu gosto, mas quando for pedir uma carne, peça bem passada, em espanhol se diz bem cozido, pois eles adoram comer carne quase crua. O padrão deles é o seguinte: Bem passada = sangrando; ao ponto = crua; mal passada = eles trazem a vaca pra você morder.

Outra dica importantíssima, cuidado com os restaurantes que oferecem Parrilla libre, ou seja, churrasco livre. O que para nós parece ser um bom rodízio, pode ser uma grande roubada, pois as carnes servidas nessa parrilla libre são coisas do tipo: riñon, chinchulines e morcilla. Que são nada menos que rins, tripa e uma lingüiça feita com sangue de bovino. Na verdade não é ruim não, eu que sou de família de espanhóis já conheço essas iguarias, mas podem assustar alguns brasileiros. O mais prático é pedir o famoso bife de chorizo.

Vocabulário: Bife de chorizo = Contra-filé / Bife de lomo = File mignon / Bife de tiras = Tiras de costela / Chorizo = Lingüiça / Pancho = Cachorro quente / Choripan = Pão com lingüiça / Gaseosa = Refrigerante.

Vamos agora ao futebol: para se fazer a "tour" que eu fiz, basta ter em mãos um guia de ruas e um guia de transportes, fazer uma cópia do mapa acima, que me fez uma falta danada na Argentina e sair a luta.

Algumas dicas: Nos estádios do River e do Boca, a visitas são tarifadas e custam cerca de $8 Pesos. No San Lorenzo e no Racing, os guardas ficaram chorando caixinha, mas eu não dei, é só fazer que não está entendendo, o resto é tudo "free".

As zonas Leste e Norte da cidade de Buenos Aires são mais nobres e pode-se andar mais tranqüliamente pelas ruas, já nas zonas Oeste e principalmente na zona Sul a coisa pega bastante. São bairros barras-pesadas, dá pra ir, tanto que eu fui. Mas, confesso que Mataderos, Villa Lugano, Villa Soldati e Nueva Pompeya, não são o que poderiamos chamar de pontos turísticos. Pra vocês terem uma idéia, o famigerado bairro Fuerte Apache, onde cresceu o atacante Tevez, que fica no partido de 3 de Febrero, próximo a Villa Devoto, é até tranqüilo perto desses citados acima.

Importantíssimo: para ser ir a esses bairros distantes é importante falar espanhol, pois é preciso perguntar muito para encontrar os clubes. Nessas localidades, as pessoas não estão acostumadas com turistas, portanto eles não vão entender absolutamente nada em português, é o mesmo que falar grego.

Vocabulário: Cancha = Estádio / Canchero = Pessoa que toma conta do estádio (isso nos casos dos times pequenos, onde geralmente os cancheros moram no local) / Equipos chicos = Clubes pequenos / Hincha = Torcedor / Hinchada = Torcida / Agrupacion = Torcida Organizada.

É isso aí moçada, espero ter sido bastante ilustrativo. Não percam o Vol. II

Até a próxima!

Emerson

JP na Argentina #1: Quilmes (Arg) 0-0 Colo-Colo (Chi)

Olá, pessoal!

Agora, pra não perder o bonde da história vou publicar aqui fotos do joguinho visto na viagem que fiz para a Argentina. Foi Quilmes 0-0 Colo-Colo, dia 1º, pela primeira partida da fase eliminatória da Libertadores. O jogo foi bem fraco e as duas equipes são bastante limitadas. Não deverão dar trabalho ao São Paulo.


Lance do primeiro tempo, ataque do Quilmes. Foto: Emerson Ortunho.

Como disse anteriormente, valeu pela novidade. Foi muito legal estar entre os Cerveceros como é conhecida a torcida do Quilmes. Quilmes é um partido que fica pra frente de Avellaneda e Sarandi, na grande Buenos Aires. Aí uma foto da animada hinchada:


Los cerveceros de Quilmes. Foto: Emerson Ortunho.

Ah, na Argentina, a torcida do time local tem que permanecer durante vinte minutos dentro do estádio assim que acaba a partida. Para que a torcida visitante possa ir embora. Achei muito chato isso. Percebi então, que lá eles também devem ter promotores aparecidos com os do Brasil, que ditam regras sem jamais terem ido a um estádio.

Un Saludo a todos!

Abrazos!

Emerson

terça-feira, 8 de fevereiro de 2005

Fútbol Argentino, volume 1: Informações úteis em Buenos Aires (parte 1)

Buenas!

Pessoal, conforme prometido, vou começar hoje a série de "posts" sobre a minha viagem para a Argentina.

Bom, lá eu me preocupei em visitar somente clubes da cidade de Buenos Aires. Deixa eu explicar um pouco isso: lá existe a Província de Buenos Aires e a Ciudad de Buenos Aires. É mais ou menos como o Estado e a cidade de São Paulo. Porém, a capital da Província de Buenos Aires é La Plata, sendo que a Ciudad de Buenos Aires é a capital do país.

Geografia à parte, vamos ao futebol: na cidade de Buenos Aires existem "solamente" 29 clubes profissionais. Em aproximadamente 15 dias em tentei visitar todos, mas não deu. Então eu deixei de lado alguns que eu já havia visitado em outras passagens.

Para vocês terem uma idéia do que eu estou falando, fiz um mapa da cidade de Buenos Aires, distribuindo os clubes bairro a bairro. Até que ficou legal:


Sobre o mapa: clique aqui para vê-lo no tamanho original; o símbolo Þ mostra a localização exata do clube. Estas localizações são das sedes dos clubes, não dos estádios. Assim o San Lorenzo está apontado em Almagro e não em Nueva Pompeya, onde fica seu estádio.

Vocês devem ter percebido que alguns clubes estão fora dos seus bairros. Mas isso não é erro meu não. Os clubes são muito antigos e novos bairros foram criados, ou tiveram novas demarcações. Assim, alguns clubes que até mesmo tem o nome do bairro, não ficam mais nos seus bairros de origem. Casos como Defensores de Belgrano, Barracas Central, Liniers, entre outros.

Alguns clubes não tem estádio próprio em condições de jogo e fazem acordos com as prefeituras de partidos vizinhos, ou com outros clubes para jogarem. Times como: San Telmo, Deportivo Armênio, Deportivo Paraguayo, Estudiantes, Liniers, entre outros, jogam fora da cidade de Buenos Aires. Alguns até mesmo possuem estádio próprio fora da cidade de Buenos Aires. Como é o caso do Estudiantes, que tem o estádio no bairro Casero, em 3 de Febrero, partido vizinho a Villa Devoto, local da sede social do clube.

Pra fazer um comparativo e mostrar a dimensão dessa quantidade de clubes. Aqui vai uma mapa da cidade de São Paulo com seus clubes:


É brincadeira, 29 a 8 ! Clique aqui para vê-lo no tamanho original.

Nos próximos posts vou descrever com fotos as visitas que eu fiz aos clubes, muitas marcadas por curisodades interessantes. Mas de antemão vou dar umas dicas aqui para quem quiser conhecer Buenos Aires, ou até mesmo fazer essa tour pelos clubes. Mas só na Parte 2...

Abrazos!

Emerson

sábado, 5 de fevereiro de 2005

Paulista Série A2: Nacional 0-0 Juventus

Fala cambada!

Hoje o Clube acompanhou mais uma rodada da A2. Grande público para o clássico paulistano entre Juventus e Nacional, o famoso clássico 'Juve-Nal'. Achei que só estariam eu e o David, mas de última hora ganhamos a presença do Emerson, recém-chegado de sua turnê pela Argentina, Uruguai e Sul do Brasil, e o eterno membro do Clube, Victor, grande conhecedor do Sul de Minas Gerais.

O jogo foi horroroso, 0 a 0, placar que reflete bem a nota que leva o Juventus e o Naça pela apresentação. Ridículo, foi um dos piores jogos que vi na vida. Por desencargo vão duas fotos do jogo, porque me recuso a postar mais fotos de um jogo tão péssimo:


Escanteio para o Nacional. Foto: Fernando Martinez.


Troca de passes na defesa do Nacional. Foto: Fernando Martinez. [150411]

Agora mais uma de parte do Clube que, mesmo sem a presença dos decanos da associação, sabe se virar muito bem:


Na ordem: Emerson, com sua camisa gloriosa do União Suzano; Daniel Perassolli, glorioso torcedor do Comercial-RP; Victor, mais preocupado com o jogo; E os já famosos Alfredo e David, sempre animados. Foto: Fernando Martinez.

E hoje teve um lance bem legal, que só poderemos divulgar na hora exata, no lugar exato, no momento certo para as nossas vidas e nosso blog, Stay Tune!!!!

Abraços a todos

Fernando

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2005

Gaúcho 1ªdivisão: Santa Cruz 1-0 Farroupilha

Opa!


Hoje assisti a um clássico do futebol gaudério: Santa Cruz 1 x 0 Farroupilha. Joguinho muito bacana, muito correria e vitória merecida da equipe da casa, que procurou mais o jogo. Duas equipes novas para mim. Não tenho certeza, mas acho que é um trunfo no clube.

O Estádio dos Plátanos é minúsculo, a Rua Javari parece o Morumbi perto daqui e eles jogam a primeira divisão numa boa. Só São Paulo mesmo pra ter essa apurrinhação de estádio para 10 mil pessoas. Vocês vão ver quando eu publicar as fotos de alguns estádios argentinos.

Por hoje é só!

Abraços!

Emerson

terça-feira, 1 de fevereiro de 2005

Paulista Série A2: Juventus 5-3 Flamengo/SP

Fala povo!!

Ontem (30 de janeiro) mais uma vez parte do Clube se reuniu, e com a volta da sua turnê pelo Maracanã, o grande David esteve de volta na Javari, templo sagrado do futebol, para mais uma partida no caldeirão juventino! Obrigado a pagar entrada inteira, por causa de palhaçadas entre o Juventus e a FPF, fomos assistir a partida inédita entre Juventus e Flamengo de Guarulhos. Eles nunca tinham se enfrentado antes na história.

O jogo foi um daqueles momentos em que ficamos felizes por simplesmente ter estado no estádio. Foi fantástico, emocionante, e apesar do Juventus cometer aquelas bobeiras velhas de sempre, ainda (de forma heróica) conseguiu ganhar a partida por 5 a 3.


Lance do segundo gol juventino, na cobrança de um escanteio pela direita. Foto: Fernando Martinez.

O jogo virou dois a zero para o Juve, e com 20 minutos de jogo no segundo tempo, a partida já estava 4 a 0. Partida liquidada, como disse o Jandir no momento do quarto gol. Mas aí, como tudo o que é fácil não tem graça, eles tiveram a capacidade de tomar 3 gols em 15 minutos só para complicar a partida. Mas no final do jogo, um jogador manco e destruído conseguiu ainda fazer o quinto gol juventino. Mais emocionante impossível.


Lance do segundo tempo da partida. Foto: Fernando Martinez.

E vale o registro de uma das fotos reunindo monstros sagrados da Javari:


Na ordem: Sérgio Manjuillo, presidente da Ju-Jovem, o famoso 'Blaze Bailey cover'; Múcio, que segue o grande lema 'Minha opinião é a sua opinião', Jandir, que dispensa comentários; David, com seu modelito verão 2005; e Alfredo, apaixonado pela EuroExport. Foto: Fernando Martinez.

Por hora é só, o Clube já aguarda o próximo final-de-semana, para acompanhar o grande clássico paulistano entre Juventus e Nacional, na Comendador Souza, o grande 'Juve-Nal', provavelmente já com a presença do Émerson.

Abraços

Fernando