Procure no JP

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Grande jogo no Alayon e novo empate do Nacional na A2

Texto e fotos: Fernando Martinez


Na última quarta-feira rolou a sétima rodada do Campeonato Paulista da Série A2 e, pra variar, a peleja que teve cobertura do blog foi a do Nacional. Pela 40ª vez consecutiva estive no Estádio Nicolau Alayon para ver o onze paulistano em ação em casa, dessa vez contra o glorioso Sertãozinho, o Touro dos Canaviais. O JP já é uma espécie de "Blog do Fernando", e de uns tempos pra cá virou o "Blog do Nacional". Culpa da vida profissional e do dever cívico de acompanhar todos os compromissos dos ferroviários nos seus domínios.

Diferente do calor que passei na Comendador Souza nos três primeiros jogos do ano, dessa vez a capital bandeirante estava com uma temperatura decente, cerca de 18 graus. Debaixo desse presente dos céus fui à Zona Oeste pelos trilhos da antiga Santos-Jundiaí e encontrei no caminho o decano Milton Haddad. Na chegada, também já estavam lá a dupla Mário e Rodrigo Leite, Além deles, o roqueiro Renato Rocha e seu repertório infinito de surrealidades. De tabela, o boa praça Bruno Ulivieri aproveitando um descanso na atribulada vida de fotógrafo matando a saudade.


Nacional Atlético Clube - São Paulo/SP


Sertãozinho Futebol Clube - Sertãozinho/SP


O árbitro Danilo da Silva, os assistentes Ricardo Luis Buzzi e Thiago Henrique Alborghetti, o quarto árbitro Paulo Santiago de Medeiros com os capitães dos times

O Touro iniciou a competição com quatro derrotas nas quatro primeiras rodadas e então mandaram embora o técnico, O escolhido para ocupar a vaga foi o lendário José Carlos Serrão e, se ainda não conseguiram vencer, pelo menos somaram dois pontos desde então. Como o Nacional gosta de se complicar com times que estão abaixo na tábua de classificação, certamente não seria uma missão fácil. A história entre os dois, apesar de toda a tradição de ambos, começou apenas em 2002. Nos sete duelos realizados, três triunfos de cada lado e um empate.

A expectativa era a melhor possível lembrando que o Naça tinha vencido seu último compromisso - 1x0 contra o São Bernardo FC no sábado anterior - e queria chegar próximo do G8 com um novo triunfo. Porém a atuação na etapa inicial foi terrivelmente ruim e o Sertãozinho soube se aproveitar das várias falhas defensivas que encontrou. Os ferroviários nem tinham atacado direito e escrete interiorano já vencia por 2x0. O primeiro gol saiu aos 22 minutos num vacilo monstro do setor esquerdo da zaga. Maycon achou uma avenida e tocou no canto de Maurício. Aos 30 marcaram o segundo com o camisa 4 Bruno.

Até o último minuto o Nacional tentou, de forma desordenada e sem nenhuma inspiração, chegar dentro da área do Sertãozinho. Quando o primeiro tempo foi encerrado, os clubes foram aos vestiários com os 2x0 a favor dos visitantes. Ficou claro que somente um choque de realidade poderia recolocar os paulistanos de novo no páreo. A torcida era pro técnico Jorginho conseguir alterar a formação da sua equipe nos 45 minutos finais.


Michael Tuíque recebendo passe pela esquerda do ataque do Nacional


Bola lançada dentro da área do Sertãozinho


Escanteio a favor do onze nacionalista pela direita

 


Em todo jogo do Nacional em casa há uma ação que leva torcedores ao gramado para tentarem acertar o gol em chutes do meio de campo. Contra o Sertãozinho. os amigos Rodrigo Leite, Mário, Bruno Ulivieri e Renato Rocha esbanjaram categoria no relvado

A segunda etapa foi disputada debaixo de uma fina garoa. Foi a primeira vez no ano que senti frio, algo que merece ser mencionado com imensa alegria. Sentado no meu banquinho acompanhei o ataque da casa retornar ao gramado inspirado como ainda não tinha acontecido nessa A2. No primeiro minuto o árbitro marcou um pênalti indiscutível a favor dos nacionalistas. O camisa 2 Danilo Negueba bateu com extrema categoria no ângulo esquerdo de João Guilherme.

O Sertãozinho sentiu o golpe e foi dominado pelos mandantes. O empate era questão de tempo e ele saiu aos 16 minutos... na marra. O Nacional atacou com vontade e a bola ficou zanzando dentro da pequena área. Depois de um enorme bate-rebate, ela sobrou para Josué. O camisa 7 encheu o pé e deixou tudo igual no marcador. Enquanto a garoa virava chuva, os ferroviários continuavam melhores e aos 26 a virada aconteceu. Felipe Pernambuco cruzou perfeitamente na cabeça de Michael Tuique. O atacante e colocou a pelota no canto direito, fora do alcance do arqueiro. Em apenas 24 minutos o Nacional fez mais gols do que nos primeiros 317 na competição.

Com o 3x2 a seu favor. o Naça deu aquela pisada no freio e a partida diminuiu de ritmo. O Sertãozinho pouco fazia e parecia que o onze da Zona Oeste somaria três pontos. Parecia. Numa das raras chegadas dos visitantes, o camisa 3 Jeferson cometeu pênalti de forma infantil. A jogada certamente não daria em nada, mas no afã de fazer o desarme, o defensor foi imprudente. Tom cobrou a penalidade e Maurício, confirmando a ótima fase em que se encontra, defendeu. Só que, no rebote, Alex Gonçalves ganhou dos seus marcadores na corrida e marcou com estilo.


O Nacional fez o primeiro gol aos 2 do segundo tempo em pênalti muito bem cobrado por Danilo Negueba


Detalhe do lance que gerou o tento de empate dos donos da casa. Josué foi o autor do gol


Michael Tuíque cabeceando de forma precisa, virando o marcador a favor do escrete paulistano


Maurício pegou o pênalti cobrado por Tom, mas no rebote o camisa 17 Alex Gonçalves deixou tudo igual de novo no Alayon

Sem fôlego de buscar uma nova vantagem no marcador, a placar final ficou em Nacional 3-3 Sertãozinho. O empate foi ruim para ambos já que não aproximou os ferroviários do G8 (agora somam sete pontos na 10ª posição) e não tirou o Touro dos Canaviais da lanterna. Essa foi a última apresentação nacionalista antes do centenário. No próximo sábado a gloriosa agremiação chegará a essa histórica marca jogando em Votuporanga. Bola fora da FPF. Seria genial ver essa data única ser comemorada na Comendador Souza.

Foi isso. Como o esquema aqui é trabalho, nova cobertura deve rolar apenas no dia 23 de fevereiro, sábado do infernal pré-carnaval paulistano. Até lá, labuta e muita correria. Sinto falta de ter a agenda cheia esportivamente falando, mas não temos muita opção no momento...

Até a próxima!

_________________________

Ficha Técnica: Nacional 3-3 Sertãozinho

Competição: Campeonato Paulista Série A2; Local: Estádio Nicolau Alayon (São Paulo); Árbitro: Danilo da Silva; Público: 205 pagantes; Renda: R$ 2.420,00; Cartões amarelos: Éverton Dias e Josué (Nac), Cesinha e Nandinho (Ser); Gols: Maycon 22 e Bruno Maia 30 do 1º,  Danilo Negueba (pênalti) 2, Josué 16, Michael Tuíque 26 e Alex Gonçalves 42 do 2º.
Nacional: Maurício; Danilo Negueba; Jefferson; Éverton Dias e Felipe Pernambuco; Bruno Sabino; Josué (Lucas de Paula); Emerson Tchê e Emerson Mi (Patrick); Michael Tuíque (Hebert) e Matheus Lu. Técnico: Jorginho.
Sertãozinho: João Guilherme; Jessé; Lucas Oliveira; Bruno Maia e Cesinha; Felipe Recife; Tom; Mateus Cancian e Diego Luís (Sandro); Elder Santana (Nandinho) e Maycon (Alex Gonçalves). Técnico: José Carlos Serrão.
_____________

Nenhum comentário:

Postar um comentário