Procure no JP

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Oeste vence na primeira partida do JP em 2019

Texto e fotos: Fernando Martinez


Foram sete semanas sem futebol, porém no domingo voltei aos campos para inaugurar o 2019 futebolístico com, para variar, uma rodada dupla da Copa São Paulo de Futebol Júnior, que esse ano chega a sua especialíssima 50ª edição. Iniciei os trabalhos com a segunda rodada do Grupo 21 da competição na cidade de Barueri. Na Arena local, o Oeste recebeu o genial São Raimundo de Roraima em busca da segunda vitória na sua segunda participação em todos os tempos.

Quando foi criada pela SEME em 1969, em meio ás comemorações dos 415 anos da cidade de São Paulo, ninguém imaginava que a então Taça São Paulo de Futebol Juvenil se tornaria o principal campeonato de base do país, tanto que teve apenas uma das três partidas com cobertura - mesmo tímida - da mídia. Já no segundo nem isso teve já que a imprensa estava mais interessada na inauguração do Morumbi. Já vasculhei em tudo que é publicação e não encontrei nenhuma linha sobre a edição de 1970. Já em 1971 a coisa mudou e a saudosa Gazeta Esportiva cobriu em peso o certame.

Nos anos seguintes a cobertura teve altos e baixos e somente em 1976 ela passou a ter um grande destaque (pelo menos durante o Século XX). O bizarro é que a Copinha nunca foi foco de uma pesquisa decente através dos tempos. A única publicação disponível é de Fábio Lazzari, o "pai" do torneio, porém contém vários erros e é bastante superficial. Por conta disso eu comecei a cavucar arquivos repletos de poeira e perambular em algumas bibliotecas da capital no longínquo ano de 2003. Não foi fácil conseguir os resultados de todos os 4.705 jogos da história, mas tive sucesso na empreitada e com isso pude fazer um levantamento completo dos 403 participantes. Parte disso você pôde ver no Guia JP da Copa São Paulo publicado no primeiro dia do ano.

A ideia era que o material restante tivesse virado um enorme Almanaque. Pena que infelizmente por problemas financeiros o lance não deu certo. Foi uma pena, pois o guia distribuído pela FPF para clubes e imprensa acabou saindo com vários e relevantes buracos. Como não tenho a pretensão de ser o único dono da informação, ainda vou buscar um meio de lançar isso de alguma forma. A principal competição de base do país precisa ter a sua história contada direito e meus anos de pesquisa foram justamente para isso.

Os 50 anos nos trouxeram a 2019. A Copa São Paulo deste ano tem o mesmo número de participantes da temporada passada: 128. Os times foram divididos em 32 chaves com quatro clubes cada e os dois primeiros colocados se garantem na segunda fase. Batemos nessa tecla todos os anos e agora não será diferente: já passou da hora da FPF dar uma atenção maior para a competição e montar uma fórmula mais interessante e menos preguiçosa.

Defendemos a tese que o ideal seria antecipar o início para o mês de dezembro deixando, talvez, 32 agremiações já pré-classificadas para a segunda fase em janeiro, criando uma enorme fase de classificação num calendário mais decente e espaçado. Seria interessante para a televisão, que não teria que encher sua programação de reprises e os insuportáveis "amigos do fulano x amigos do sicrano", bom para a torcida que não sentiria falta de futebol e bom até para os atletas que teriam uma vitrine ainda maior. Pode não ser a fórmula ideal e uma discussão sobre seria muito bem-vinda. O ponto é que, a nosso ver, essa proposta já seria melhor do que temos hoje.


Oeste Futebol Clube (sub-20) - Barueri/SP


São Raimundo Esporte Clube (sub-20) - Boa Vista/RR


Capitães dos times e quarteto de arbitragem

Enquanto nada muda (e infelizmente nem deve mudar), ficamos com o temos. O Grupo 21 começou a ser disputado na última quinta-feira e o Oeste venceu o Lagarto/SE no sufoco pela contagem mínima. Já os roraimenses sofreram a maior goleada de sua história na competição: 7x0 a favor do Grêmio. Buscando a segunda vitória e a classificação antecipada, o rubro-negro queria fazer o fator casa prevalecer. Nada indicava que o São Raimundo pudesse surpreender. Essa é a sétima participação consecutiva do Mundão e a melhor colocação foi o 47º lugar em 2016.

Nesse verão que promete fazer frente ao horroroso verão de 2014, vi uma rodada sob uma temperatura altíssima e um calor insuportável. O astro-rei não deu trégua e apareceu firme durante todo o tempo. Por sorte a preliminar teve início às 16h45, quando o bafo era menos pior. No gramado, o Oeste mostrou serviço desde os primeiros movimentos e o São Raimundo apenas se defendeu. Os locais levaram perigo até que conseguiram abrir o placar aos 17 minutos. Paulo Matheus recebeu e chutou de longe. O goleiro Marco Victor tentou espalmar mas colocou a pelota dentro do seu próprio gol. Um frango considerável para inaugurar a temporada.


Oeste se mandando pro ataque com a marcação de atleta do São Raimundo



Detalhe do primeiro gol do Oeste na partida. O goleiro Marco Victor tentou espalmar pela linha de fundo mas colocou a bola dentro do seu próprio gol

Nos minutos seguintes os paulistas permaneceram no ataque, vacilando demais nas finalizações. Me pareceu que os atletas acharam que poderiam marcar quando quisessem. Nisso, o São Raimundo se encontrou e achou um buraco grande na defesa rubro-negra. Em três momentos, aos 31, 32 e 34 minutos um atacante alvi-azul surgiu livre cara-a-cara com o goleiro local. Para o alívio dos torcedores, as três finalizações foram por cima. Foi com o 1x0 que o cotejo chegou ao intervalo.

O Oeste voltou a campo para o tempo final mais inspirado e aos três minutos fez o segundo. Quem marcou foi Hugo, camisa 19, depois de uma boa jogada em que todos os companheiros de ataque participaram. A equipe continuou melhor, ocupando o campo de defesa adversário, só que o salto alto do primeiro tempo voltou e o terceiro não saiu por displicência em três lances agudos. Vendo que o bicho não era tão feio, o escrete nortista mais uma vez resolveu tentar a sorte no ataque e aos 21 o camisa 10 Leandrinho diminuiu.


Bola zanzando pela área do São Raimundo ainda no tempo inicial


Um dos vários gols perdidos pelo ataque rubro-negro no segundo tempo


Um dos destaques da peleja foi o contraste entre os dois uniformes (e que bela camisa do Mundão)


Placar final do cotejo na Arena Barueri

O Mundão foi pra cima e com isso deixou um espaço imenso na sua defesa. Bastou os donos da casa encaixarem mais um ataque aos 31 minutos e o placar final se consolidou. Léo Ceará foi o dono do tento que deu a segunda vitória para o rubro-negro, já superando a campanha de 2018. O Oeste 3-1 São Raimundo/RR, junto com o resultado do jogo de fundo, classificou o rubro-negro para a segunda fase da Copinha pela primeira vez. Vale lembrar que essa chave cruzará com o Grupo 22, que é sediado em São Bernardo do Campo.

Terminada a preliminar, agora era a hora de colocar o primeiro time na Lista em 2019, um dos pontos altos em todas as Copas São Paulo.

Até lá!

_________________________

Ficha Técnica: Oeste 3-1 São Raimundo/RR

Competição: Copa São Paulo de Futebol Júnior; Local: Arena Barueri (Barueri); Árbitro: Eleandro Pedro da Silva; Público e renda: Portões abertos; Cartões amarelos: Cássio e Diogo (Oes); Gols: Paulo Matheus 17 do 1º, Hugo 3, Leandrinho 21 e Léo Ceará 31 do 2º.
Oeste: Márcio, Ota, Kaio, Erivan, Paulo Matheus (Luan), Alesson (Diogo), Léo Tavares (Cássio), Carlos Eduardo (Nathan), Hugo, Léo Ceará (Giovanny) e Tite (Mirandinha). Técnico: Gilberto Pereira.
São Raimundo/RR: Marco Victor (Dhonada), Varley, Caio (Joel), Luis Renan, Filipinho, Gabriel, Leandrinho, Hugo (Gustavo), Regys Brayon, Jhonatan (Jardeson) e Lucas (Rafael). Técnico: Robertson Vieira.
_____________

Nenhum comentário:

Postar um comentário