Procure no JP

terça-feira, 27 de agosto de 2019

Nacional derrota o Juventus e - ufa! - se classifica na Copa Paulista

Texto e fotos: Fernando Martinez


A Copa Paulista chegou ao final da primeira fase na tarde de sábado e, após desistir do Plano A no ABC, escolhi o Plano B e fui até o Estádio Conde Rodolfo Crespi acompanhar a decisão entre Juventus e Nacional. Foi o oitavo Juvenal consecutivo da minha lista com os times principais e o 26º na história contando todas as categorias. De longe é a partida que mais assisti na minha vida.

Vindo de sete jogos sem vencer e emendando vacilo após vacilo, o Nacional tinha que derrotar o Moleque Travesso e torcer para a Portuguesa não vencer o Taubaté jogando no Joaquinzão, só assim a vaga na segunda fase estaria garantida. Tudo bem, a probabilidade da Lusa ganhar longe do Canindé não era das maiores, o problema era justamente o escrete ferroviário sair-se vitorioso na Rua Javari contra o líder do Grupo 3. Como se não bastasse, o retrospecto era péssimo: nos últimos quatro duelos, quatro vitórias grenás.


Clube Atlético Juventus - São Paulo/SP


Nacional Atlético Clube - São Paulo/SP


O árbitro Thiago Duarte Peixoto, os assistentes Claudenir Donizeti da Silva e Paulo Cesar Modesto, o quarto árbitro Luciano Silva e os capitães dos times

Um público total de 1.181 pagantes viu uma peleja em que o Juventus não conseguiu emplacar uma boa atuação. Vindo de duas derrotas contra Taubaté e Portuguesa, os comandados de Alex Alves não foram bem outra vez. O Nacional também não foi nenhuma maravilha, mas pelo menos os atletas mostraram maior disposição do que nos confrontos contra Corinthians e Desportivo Brasil, respectivamente um empate sem gols e derrota de virada por 2x1, ambos no Nicolau Alayon.

Embora tenha feito uma apresentação abaixo da média, a primeira oportunidade relevante foi dos mandantes com Potiguar aos seis minutos. Felipe Lacerda foi bem e fez a defesa. O escrete ferroviário manteve a cabeça no lugar a praticamente definiu a sua sorte num espaço de menos de dois minutos. Aos 22, num escanteio pela esquerda, a bola foi escorada para trás no primeiro pau e Veloso completou no segundo. Sem deixar os grenás assimilarem o golpe, no minuto seguinte Vinícius recebeu também na esquerda ainda no seu campo e avançou liso entre os zagueiros. Da entrada da área ele acertou um chutaço no canto esquerdo de André Dias e ampliou.

O azar do Nacional foi que aos 25 o Moleque Travesso armou uma ótima investida pela direita que terminou com um chute cruzado do camisa 2 Thiago e o primeiro tento local. Os donos da casa tentaram aproveitar a deixa e até chegaram com perigo dentro da área visitante nos minutos restantes, sem que isso tenha resultado em algum lance interessante.


Investida nacionalista pela esquerda do ataque




O primeiro gol do Nacional em três momentos: o atleta indo buscar a bola para bater o escanteio, o momento em que a bola foi escorada para trás e a comemoração de Veloso


O setor esquerdo do onze ferroviário foi o mais acionado durante o tempo inicial

As notícias que chegavam de Taubaté eram boas com o empate rubro-verde. Isso significava que o triunfo nacionalista era suficiente para garantir a classificação. Talvez por isso os comandados de Felipe Alves tenham retornado ao gramado pensando basicamente em garantir a vantagem a todo custo e apostando que o Burrão da Central não os decepcionaria. Com esse panorama, o Juventus teve maior posse de bola e mais domínio.

O que pegou foi que apesar desse cenário, não teve nenhuma chance de gol daquelas para soltar o "uhhhh" na torcida. Os avantes grenás foram dominados pelo bem postado sistema defensivo visitante com relativa facilidade. O relógio andava moroso e o suspense permaneceu até o último minuto. No fim, a então improvável vaga na segunda fase foi conquistada no sufoco, porém com méritos.


Ataque visitante no começo do tempo final


Cruzamento dentro da área juventina


Ataque aéreo a favor do Nacional


André Dias fazendo boa defesa em cobrança de falta

O resultado de Juventus 1-2 Nacional quebrou a série de quatro derrotas do Naça contra o clube da Mooca e os colocou no Grupo 6 da segunda fase junto com Mirassol, XV de Piracicaba e Água Santa. Os grenás estão no Grupo 7 com Comercial, Santo André e Inter de Limeira. Para muitos, a Copa Paulista começa de verdade no próximo final de semana. Nós certamente estaremos de olho no decorrer do certame.

Tinha planos de continuar com a cobertura futebolística no domingo. Cansado, decidi por ficar de boa e retornar à ativa somente no meio de semana com um clássico do Paulista Feminino no Pacaembu. Apenas o primeiro de uma série de pelejas no velho Paulo Machado de Carvalho nos próximos dias.

Até lá!

_________________________

Ficha Técnica: Juventus 1-2 Nacional

Competição: Copa Paulista; Local: Estádio Conde Rodolfo Crespi (São Paulo); Árbitro: Thiago Duarte Peixoto; Público: 1.181 pagantes; Renda: R$ 18.500,00; Cartões amarelos: Luiz Carlos, Thiago Rocha (Juv), Allan, Eder Paulista (Nac); Cartão vermelho: Luiz Carlos 39 do 2º; Gols: Veloso 22, Vinícius 23 e Thiago 25 do 1º.
Juventus: André Dias; Thiago, Luiz Carlos, Diego e Paulo; Thiago Rocha, Roger Bastos (Raphael), Gil e Thiago; Matheus (Dener) e Junior (Nathan). Técnico: Alex Alves.
Nacional: Felipe Lacerda; Veloso, Guilherme, Rodrigo San e Caio Mendes; Luiz Felipe, Washington (Maranhão), Allan e Gabriel; Michael Thuique (Sabão) e Vinícius (Eder Paulista). Técnico: Felipe Alves.
_____________

Nenhum comentário:

Postar um comentário