Procure no JP

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Pelo Brasileiro de Aspirantes, tudo igual entre Tricolor e Colorado

Texto e fotos: Fernando Martinez


Mesmo sem muito ânimo, na noite quinta-feira fui acompanhar meu primeiro jogo válido pelo recém-criado Campeonato Brasileiro de Aspirantes no Estádio Oswaldo Teixeira Duarte. Só que não era a Portuguesa em campo, e sim o São Paulo. A equipe tricolor recebeu o Internacional de Porto Alegre fechando a primeira rodada do Grupo 1. O duelo foi ali pois o Morumbi está recebendo outro evento.

Criado pela CBF nessa temporada, o nacional de Aspirantes reúne dez clubes divididos em duas chaves. No Grupo 1, além do tricolor e do Colorado, temos também Coritiba, Cruzeiro e Figueirense. No 2, temos Botafogo/RJ, Santos, Atlético Mineiro, Atlético/PR e Grêmio. A primeira fase é disputada apenas em turno e os dois primeiros se garantem na semi-final. Apesar de todas as lambanças que fazem, os responsáveis pela criação dessa competição merecem os parabéns. Sempre é bom termos novos torneios sendo disputados.


São Paulo Futebol Clube (aspirantes) - São Paulo/SP


Sport Club Internacional (aspirantes) - Porto Alegre/RS


Quarteto de arbitragem e capitães dos times

Poucos foram até a cancha lusitana, muito por conta do horário, 21:00. O cotejo teve efusiva transmissão do Esporte Interativo e pude reencontrar o amigo Thiago Fagnani, agora repórter da emissora. Aliás, a transmissão será intensa no canal pois como irão começar a passar o Brasileiro daqui a dois anos, pegaram esse certame para adquirirem o know-how de todo o lance. Os muitos que ligaram a TV e os gatos pingados que estavam no estádio assistiram um jogo muito bom.

Usando o elenco que participou da Copa Paulista, o onze paulista começou tomando um susto aos sete minutos. O Inter atacou pela direita e a bola foi cruzada. Iago cabeceou da pequena área e a bola passou por cima da meta defendida por Lucas Perri. Aos 11 o São Paulo emplacou seu primeiro momento quando Paulinho Bóia recebeu em profundidade, entrou na área e chutou para boa defesa de Igor. Na sequência a bola foi alçada, um dos atacantes tocou de cabeça e o arqueiro fez nova defesa.

Depois de 20 minutos de muitos estudos no meio de campo, a emoção voltou à pauta aos 32. Gabriel cobrou falta na esquerda direto pro gol. A bola entraria, mas Igor fez grande defesa e mandou pela linha de fundo. Desse lance até o intervalo pouco se viu e os times foram pro vestiário sem a abertura do marcador. Da minha parte, cansei de ficar de pé e fui até a parte coberta da cancha lusitana ver o segundo tempo de lá.

No tempo final a rapaziada mostrou um ânimo muito maior. Logo aos seis minutos os paulistanos abriram o placar com um golaço. Paulinho Bóia recebeu na esquerda, tirou do zagueiro e acertou um chute sensacional de muito, muito longe. O camisa 1 relou na pelota porém não teve como fazer a defesa. O Colorado não deixou por menos e aos 15 deixou tudo igual. Ronald recebeu na intermediária, passou por dois zagueiros e a bola sobrou para Fernandinho. O camisa 7 cortou o zagueiro e tocou no canto direito.

São Paulo e Inter alternaram boas chegadas e grandes oportunidades. O Tricolor estava bem, só que o onze gaúcho acabou quase virando o marcador aos 35 quando Fernandinho fez boa jogada pela direita e mandou na área. André, livre de marcação, mandou um voleio maroto e o arqueiro tricolor defendeu. Cinco minutos depois a chance de ouro colorada. Ronald fez jogada individual, entrou na área e foi derrubado por Diego. Pênalti. Iago foi para a cobrança e Lucas Perri pegou no canto esquerdo.


Lance do começo do encontro entre São Paulo e Internacional no Canindé


Ataque paulista pela direita


Chute de longe a favor do São Paulo no segundo tempo


Pênalti de Iago muito bem defendido por Lucas Perri


O Tricolor se mandou pro ataque em busca do segundo gol, mas não teve sucesso

No fim, a partida terminou em São Paulo 1-1 Internacional. Os dois pontos perdidos pelos paulistas podem fazer falta, já que farão apenas mais uma apresentação como mandantes. O líder dessa rodada inicial da chave é o Cruzeiro, que derrotou o Figueirense e somou três pontos. O tricolor paulista pega justamente o onze catarinense na próxima rodada em data a ser definida.

Foi isso. Na sexta-feira não ia ver nada, mas de última hora acabei decidindo assistir uma peleja da Série B do Brasileiro em Barueri. Foi o meu jogo de número 2.800 em todos os tempos.

Até lá!

© 2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário