Procure no JP

segunda-feira, 8 de julho de 2013

De virada, Nacional bate o lanterna Guarulhos no Nicolau Alayon

Fala, pessoal!

Voltando de vez à pauta alternativa de pelejas, no sábado passado fiz uma sensacional rodada tripla num dia mais do que especial para o que vos escreve (falarei sobre isso no último post a saga). Comecei a rodada no bom e velho Estádio Nicolau Alayon para o jogo Nacional x Guarulhos, válido pela oitava rodada da primeira fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão.

Só que antes de mais nada é necessário mencionar que essa foi também a volta do próprio certame depois de um mês de paralisação por causa da Copa das Confederações. Procurei, raciocinei e depois de refletir bastante não consegui encontrar NENHUM motivo para que a segundona fosse interrompida como foi. Se o lance era fugir da "concorrência" do torneio da FIFA, que colocassem as pelejas em horários alternativos, e não parassem com os jogos.

Se já é complicado fazer futebol na última divisão paulista jogando somente a partir de maio e terminando a temporada no máximo (isso se a equipe for muito bem sucedida) em outubro, imaginem então com essa inexplicável parada. Vários times foram desfigurados para o restante da competição, tanto dentro quanto fora de campo. Realmente essa divisão está longe de ser tratada como deveria ser.

Independente disso, fui para a Barra Funda conferir como seria a apresentação nacionalina depois de tanto tempo de descanso. Na disputa do complicado Grupo 6, o time paulistano não podia nem pensar em perder ponto jogando em casa. Mesmo eliminado faz tempo, o Guarulhos prometia surpreender, lembrando que o único ponto conquistado até então tinha sido justamente contra o Nacional no primeiro turno.

Mais uma vez acompanhei um jogo na companhia de vários amigos. Dessa vez a turma composta pelo Paulo "Shrek", Rodrigo Colucci, Renato Rocha, seu Natal, Cosme, Paolo Gregori e seus filhos Lorenzo e Vitorio e o Alexandre Giesbrecht viu um dos melhores jogos de 2013.


Nacional AC - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


AD Guarulhos - Guarulhos/SP. Foto: Fernando Martinez.


Capitães dos times, árbitro Giuliano Dutra Pellegrini e os assistentes Vicente Romano Neto e Fabrício Porfirio de Moura posando para o JP. Foto: Fernando Martinez.

Como de praxe, a peleja começou com o Nacional melhor mas perdendo várias oportunidades, uma tônica de toda a temporada 2013. A equipe só conseguiu abrir o marcador aos 23 minutos com o gol do camisa 11 Thiago Cruz. O Guarulhos chegou a levar perigo à meta defendida por Carlão por duas vezes, ambas com ótimas intervenções do arqueiro local.


Ataque nacionalino pelo alto. Foto: Fernando Martinez.


Goleiro do Guarulhos batendo roupa no primeiro gol local. Foto: Fernando Martinez.

Mas aos 45 o time ferroviário vacilou e tomou um contra-ataque mortal. Daniel avançou pela esquerda sem nenhuma marcação e tocou com classe encobrindo o camisa 1 nacionalino e levando a peleja em 1x1 para os vestiários. No tempo final o Nacional voltou muito nervoso e para piorar o cenário o goleiro guarulhense Cássio defendeu de forma brilhante penalidade máxima cobrada por Clayton.


Chegada forte do time paulistano ainda no primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.


Detalhe do golaço de empate do Guarulhos, marcado por Daniel. Foto: Fernando Martinez.

Como castigo, o Guarulhos surpreendentemente virou o placar aos 27 com o gol de cabeça de Murillo Carvalho. Ele subiu livre no meio de três defensores para deixar todo mundo muito preocupado nas arquibancadas do Nicolau Alayon. O onze paulistano foi para o ataque de forma desordenada e na base do "bumba-meu-boi".


Pênalti perdido por Clayton no segundo tempo... A coisa não estava fácil para o Nacional. Foto: Fernando Martinez.

Ainda com resquícios da confusão que rolou no jogo de ida, o clima era elétrico dentro de campo. Vimos inúmeras jogadas ríspidas e discussões em campo. Para desespero do Naça, o relógio seguia rápido e já passava dos 40 quando a sorte finalmente se transformou. Thiago Cruz fez o seu segundo gol na tarde chutando cruzado aos 41 minutos. Após o 2x2 rolou uma enorme confusão em campo e tanto o artilheiro nacionalino na peleja quanto o autor do segundo gol guarulhense foram expulsos.


Ataque local pela direita. Foto: Fernando Martinez.


Comemoração do terceiro gol do Nacional. Foto: Fernando Martinez.

Para delírio completo o Nacional conseguiu a surreal virada aos 46 do segundo tempo. Victor Sapo recebeu passe na entrada da área e chutou fraco no canto esquerdo do camisa 1 visitante. Era o terceiro dos donos da casa. Antes do apito final, mais confusão que terminou com a expulsão do técnico local.


Placar final da sofrida peleja no Nicolau Alayon. Foto: Fernando Martinez.

Sem tempo para mais nada a peleja acabou mesmo em Nacional 3-2 Guarulhos. A sofrida vitória deixa o time paulistano com 14 pontos e plenas chances de vaga para a segunda fase do certame. Já para a equipe da Grande São Paulo, que faz a sua pior campanha de todos os tempos na história do paulistão, fica a certeza que nada pode ser pior.

Essa era apenas a primeira parada do sábado. Saindo da Comendador Souza mudei meus planos e fui para Barueri junto com o seu Natal e o amigo Renato para curtir a volta da Série C do Brasileiro ao nosso cronograma.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário