Procure no JP

quinta-feira, 22 de março de 2018

Frustração e tristeza na virtual eliminação do Nacional da A2

Texto e fotos: Fernando Martinez


Frustração. Essa foi a sensação de quase todos os presentes no Estádio Nicolau Alayon quando o jogo entre Nacional e Água Santa, válido pela penúltima rodada da fase inicial do Campeonato Paulista da Série A2, chegou ao seu final. A opinião de todos era unânime: o clube ferroviário praticamente desperdiçou a maior chance de disputar a primeira divisão em décadas.

Antes da 14ª rodada começar o onze paulistano era o quarto colocado com 22 pontos e precisava de duas vitórias para se garantir na semi-final sem depender de ninguém. O primeiro confronto parecia fácil, o lanterna do certame dentro de casa, mas quem acompanha o Nacional sabe que o time adora se complicar em pelejas teoricamente fáceis... e foi isso que aconteceu na tarde de quarta-feira.



Nacional e Água Santa posados antes do confronto na Comendador Souza, os dois em situações muito diferentes na Série A2


O árbitro Raphael Claus, os assistentes Bruno Silva de Jesus e Leonardo Augusto Villa, o quarto árbitro Daniel Carfora Sottile e os capitães dos times

Antes de falar do jogo, vale registrar que esse foi o 30º compromisso seguido do time da Água Branca em casa que contou com a minha presença, um recorde absoluto. No primeiro tempo ainda rolou um equilíbrio, porém com poucas chances de gol. Jogando numa retranca absurda e sem vencer há dez partidas, o Água Santa apostava nos contra-ataques. Num deles, aos 34 minutos, Alex Gonçalves abriu o marcador.

Foi Bruno Xavier, sempre ele, quem igualou o placar cinco minutos depois. Ele recebeu um lançamento primoroso da esquerda, matou no peito e tocou na saída do goleiro Matheus Nogueira. Um golaço que restaurou as esperanças do Nacional.


Atleta nacionalino derrubado na esquerda do ataque


Zaga do Água Santa cortando cruzamento de qualquer jeito


"Essa é a bola", assim mostrava o atleta do Nacional


Bruno Xaiver matando no peito de forma primorosa no lance do gol de empate

Durante o intervalo rolou aquele bate-papo com os amigos presentes e todo mundo esperava uma atuação melhor da equipe da casa, já que somente a vitória interessava. Quando o árbitro reiniciou os trabalhos, mal sabíamos que estávamos prestes a ver os piores 45 minutos do Nacional nos últimos anos.

Os jogadores simplesmente não voltaram pro gramado e foram totalmente dominados pelo Água Santa. Se o onze visitante fosse um pouquinho melhor teria aplicado uma sonora goleada. Como não são nenhuma potência, fizeram apenas um gol, com o camisa 17 Formiga chutando forte da entrada da área aos 19.

Os atletas não conseguiam trocar passes, finalizar, dar combate... ou seja, ter uma performance minimamente decente. Deu um misto de raiva e frustração acompanhar a chegada do apito final com tanta indolência e falta de vontade dentro de campo.

O placar final de Nacional 1-2 Água Santa tirou os paulistanos do G4 da competição faltando uma rodada pro fim da primeira fase. Agora o pessoal precisa vencer o Rio Claro fora de casa e torcer contra XV de Piracicaba, Sertãozinho e Oeste. Triste demais ver um trabalho que foi tão bem feito praticamente se acabar de forma tão lastimável.


Cobrança de falta a favor do onze diademense no segundo tempo


Nacional saindo pro ataque


Todas as chegadas locais foram facilmente neutralizadas pelo sistema defensivo do Água Santa no tempo final

Para deixar o clima ainda mais esquisito, o técnico Tuca Guimarães foi demitido poucas horas depois do revés. Revés que foi o primeiro do treinador no banco de reservas. Não temos como saber o que realmente aconteceu, mas que fica um cheiro estranho, isso fica.

Por parte do Netuno, o triunfo tirou os comandados de Márcio Ribeiro da zona de rebaixamento e uma nova vitória contra a Inter de Limeira livra o time da A3 em 2019. Caso não vença, torce contra Audax e Batatais pensando na permanência. Pouco para um clube que tanto fez nas últimas temporadas.

Foi isso. O gosto da derrota nacionalina foi tão ruim que abri mão da sessão noturna. O cronograma volta com tudo no final de semana com a jornada decisiva da A2 e clássico importante na Série A1.

Até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário