Procure no JP

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Pérolas Negras faz história e vence a primeira na Copinha

Texto e fotos: Fernando Martinez


O segundo jogo do domingo, último dia da primeira fase da Copa São Paulo de Futebol Júnior, fechou a disputa do Grupo 24 da competição. O Nacional podia ser derrotado por dois gols de diferença pelo Pérolas Negras que ainda assim estaria classificado pra segunda fase. O palco da pugna, claro, foi o Estádio Nicolau Alayon.

Antes de falar da peleja em si vale corrigir uma informação incorreta que é passada por dez entre dez veículos de imprensa e até pela FPF. O Pérolas Negras não é um time estrangeiro que participa da Copinha, e sim um time com sede no Rio de Janeiro que é composto por atletas haitianos.


Nacional Atlético Clube (sub-20) - São Paulo/SP


Academia de Futebol Pérolas Negras(sub-20) - Rio de Janeiro/RJ


Quarteto de arbitragem designado para a partida e os capitães dos times

O Pérolas nunca foi filiado à Federação Haitiana de Futebol e nunca disputou campeonatos oficiais no país centro-americano. O time é um projeto da ONG Viva Rio que reúne refugiados daquele país. Ponto. Dizer que é uma equipe do Haiti ou colocá-los na lista de participantes estrangeiros da história da Copinha é um enorme erro. Como aqui no JP a ideia é sempre ser fiel aos fatos, e não a achismos, o jogo de domingo foi mais do que um confronto entre paulistas e cariocas.

Dito tudo isso, agora vamos ao que aconteceu em campo. A casa nacionalina recebeu um belo público e ao final dos 90 minutos quem chamou mesmo a atenção foi o time do Pérolas. Os meninos haitianos já haviam feito duas apresentações razoáveis contra Goiás e Corisabbá, sendo derrotados em ambas. Dessa vez porém a história foi diferente.

O Nacional não foi capaz de assustar a zaga visitante na maior parte dos 90 minutos e só não foi eliminado da competição por conta de sorte, muita sorte. O primeiro tempo foi de baixa qualidade e terminou com o marcador inalterado. Já no tempo final... só deu Pérolas Negras.

Para não ser injusto, o Nacional até teve uma grande oportunidade aos 25 minutos, mas a zaga adversária salvou em cima da linha. Isso sem contar o pênalti perdido que poderia ter colocado a equipe em vantagem no marcador. Já o Pérolas foi muito melhor e fez o primeiro aos 16 minutos com o camisa 10 Marcekson Fenelon e o segundo aos 37 com Exilus Angelo, camisa 11, de pênalti.

A desclassificação paulistana só não aconteceu por absoluta falta de pontaria dos haitianos, já que eles desperdiçaram pelo menos três preciosas oportunidades de marcarem mais vezes. Falando num português claro, o Nacional deu muita sorte, já que um gol a mais do seu adversário significaria a eliminação.


Falta a favor do Nacional no primeiro tempo da partida


Agora a falta é a favor do Pérolas Negras


Atleta haitiano se mandando para o ataque


Pênalti desperdiçado pelo time paulistano no segundo tempo


Exilus Angelo fazendo o segundo do Pérolas


Alegria do pessoal que estava torcendo pelos haitianos com a vitória da equipe na Comendador Souza

No fim, o placar de Nacional 0-2 Pérolas Negras marcou a primeira vitória do pessoal do Haiti na Copa São Paulo na segunda participação em todos os tempos. Todo o elenco foi bastante aplaudido pelos presentes no Nicolau Alayon mesmo com a desclassificação. Pelos lados do time de São Paulo houve apenas uma discreta comemoração pela vaga. Na segunda fase o confronto será com o Flamengo e só um milagre fará o time não ser goleado.

Já contabilizava 180 minutos de futebol na quente manhã mas a rodada ainda estava na metade. Com a presença sempre importante do Seu Natal, seguimos até a cidade de Barueri para mais duas partidas e mais um time novo na Lista.

Até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário