Procure no JP

segunda-feira, 27 de março de 2017

Portuguesa vence o União e se afasta (um pouco) do Z6 da A2

Texto e fotos: Fernando Martinez


Na tarde do último domingo o Estádio Oswaldo Teixeira Duarte foi palco de mais um capítulo da via crucis da Portuguesa no Campeonato Paulista da Série A2. O time recebeu o lanterna União Barbarense não pensando em outra coisa senão conquistar os três pontos para se afastar um pouquinho da zona de rebaixamento.

Vale registrar que essa foi a nona partida que acompanhei em nove dias seguidos, uma marca que a partir de agora será praticamente impossível de ser batida, já que duvido que haja uma nova sequência assim novamente. Que cansa, cansa (e muito), mas é legal fazer esse tipo de insanidade... afinal, alguém tem que segurar a onda disso aqui, certo?

Outro ponto que precisa ser mencionado é que ao ver o Leão da 13 in loco, eu trouxe aos amigos do blog a cobertura de pelo menos uma partida de cada um dos vinte participantes da Série A2 de 2017, isso em apenas 13 rodadas disputadas. Podem procurar pela grande rede, mas algo assim você só vê aqui no Jogos Perdidos. O Projeto 40 agora conta com 39 times vistos e falta apenas um para eu completar o álbum pelo quinto ano consecutivo.


Associação Portuguesa de Desportos - São Paulo/SP


União Agrícola Barbarense Futebol Clube - Santa Bárbara D'Oeste/SP


O árbitro José Cláudio Rocha Filho, os assistentes Fernando Afonso de Melo e Patrick André Bardauil, o quarto árbitro Luiz Carlos Júnior e os capitães dos times

Falando do jogo, a Lusa contava com os 100% de aproveitamento no Canindé como grande aliado para conquistar a vitória. Não que o triunfo fosse certo - o União havia surpreendentemente derrotado o Bragantino fora de casa na rodada anterior e a cautela era necessária - mas era um tanto quanto óbvio que o favoritismo era rubro-verde.

Pouco mais de mil pessoas pagaram ingresso e viram um primeiro tempo simplesmente assustador de tão ruim. Como era esperado, o time visitante pouco fez, só que o que deixou a torcida irritadíssima foi a absurda apatia da maioria dos atletas lusitanos. Sério, o negócio foi tenebroso.

Os comandados de Estevam Soares erravam passes de dois metros, praticamente não chutavam a gol e faziam lançamentos para a bandeirinha de escanteio e para as placas de publicidade. Parece exagero falar assim, mas acreditem, o negócio foi exatamente como estou descrevendo. O único lance digno de registro foi uma cabeçada de Bruno Silva que passou pertinho do gol defendido por Jerfesson aos 26 minutos. Só.


O camisa 7 Luizinho tentando o domínio com a marcação de Ewerton, camisa 3


A única chance digna de registro no primeiro tempo aconteceu nessa cabeçada de Bruno Silva


Ewerton afastando o perigo com a marcação de Bruno Silva

No tempo final o comandante rubro-verde promoveu duas alterações, uma delas tirando o argentino Mateo Bustos de campo, e a Portuguesa melhorou. Aos seis minutos, Leandro Domingues, mais uma vez sendo o destaque do time, cobrou falta com precisão e Jerffeson mandou pela linha de fundo. Na cobrança, a pelota foi alçada na área e Vinícius Gouveia testou firme entre os zagueiros e marcou o primeiro gol da tarde.

Jerffeson acabou se tornando o grande nome da tarde ao fazer pelo menos cinco difíceis defesas, impedindo que a Portuguesa ampliasse sua vantagem. As finalizações de Dinho, Bruno Xavier e Bruno Silva foram brilhantemente neutralizadas pelo arqueiro do União. Os visitantes também tiraram uma casquinha, obrigando Ricardo Berna a aparecer com destaque em duas oportunidades.


Jerffeson manda para escanteio uma bela cobrança de falta de Leandro Domingues



Vinícius Gouveia, meio sumido na imagem, sobe para abrir o marcador no Canindé e depois parte para uma comemoração sem muito alarde


Zagueiro do União se preparando para dominar a pelota


Chute de longe de Bruno Silva. No segundo tempo a Portuguesa mostrou muito mais vontade

No fim, o marcador ficou mesmo em Portuguesa 1-0 União Barbarense. Com o triunfo, o quarto em quatro pelejas realizadas no Canindé, os rubro-verdes subiram para a 11ª posição com 16 pontos ganhos, dois acima do Z6. O Leão da 13 manteve os sete pontos e está cada vez mais perto de voltar à A3, campeonato que não disputa desde 2008.

Foi isso. Voltei pra casa para finalmente poder descansar após a absurda maratona feita em nove dias. Se tudo der certo, o futebol volta à pauta já na terça-feira com seleção nova na Lista num jogo que pode ser tudo, menos perdido.

Até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário