Procure no JP

segunda-feira, 6 de março de 2017

Fraco empate sem gols entre Juventus e Rio Preto na Javari

Texto e fotos: Fernando Martinez


A agenda de jogos previstos para o último final de semana estava cheia, só que no frigir dos ovos marquei presença em apenas um, a minha estreia no Estádio Conde Rodolfo Crespi no Campeonato Paulista da Série A2. O Juventus recebeu o Rio Preto, figurinhas 29 e 30 no álbum do Projeto 40, pela nona rodada da competição.

Os dois times não vem fazendo uma campanha assim excepcional na A2, muito pelo contrário. Antes dessa rodada o Jacaré estava em 14º lugar e os grenás em 16º, ambos lutando conta o rebaixamento. A esperança de uma partida ao menos razoável existia por causa da boa vitória obtida pelo Juventus contra o Bragantino fora de casa na quarta-feira anterior.


Clube Atlético Juventus - São Paulo/SP


Rio Preto Esporte Clube - São José do Rio Preto/SP


Capitães dos times, o árbitro Márcio Roberto Soares, os assistentes Diogo Correia dos Santos e William Trufelli Malaquias e o quarto árbitro Marcos Silva Gonçalves posando para as lentes do Jogos Perdidos

A Rua Javari recebeu um público legal - 1,804 pagantes - e o clima estava até que agradável, mas o jogo... que decepção. Os times esbanjaram falta de inspiração e maltrataram a pobre gorduchinha na maior parte do tempo. Não é a toa que ambos ocupam as posições de baixo da tábua de classificação.

No tempo inicial, uma chance de gol para cada lado. A primeira foi do alviverde aos 14 minutos, quando João Henrique chutou forte e assustou o goleiro grená André Dias. Aos 18, Thiago Timbó apareceu pela esquerda e acertou um chute fraco para boa defesa de André Lucas. Judson ia bem pela direita mas atuava sozinho, logo, nada aconteceu também. No fim o que valeu foi o papo com o grande Maurício de Nassau, vencedor do prêmio "pai do ano" do Rotary Club e um grande amigo dos tempos de escola, no alambrado.


Jorge Mauá disputando bola com zagueiro do Rio Preto no ataque juventino


Chegada grená pela direita do setor ofensivo com Judson


Boa saída de André Lucas do gol do Jacaré

No segundo tempo fui novamente acompanhar o ataque juventino e por azar as melhores chances ficaram do outro lado. A partida estava seguindo de forma bem modorrenta até o árbitro marcar pênalti a favor do onze visitante aos 20 minutos. Leandro Brasília bateu mal e André Dias, sempre ele, fez grande defesa.

A torcida passou a empurrar um pouco mais os donos da casa após esse lance, porém o Juventus continuou com pouca inspiração. A melhor oportunidade ficou nos pés de Denner, nada assim uma Brastemp. Nos minutos finais o Rio Preto quase tirou o zero do marcador num chute de longe de João Henrique.


Judson e firme marcação do Rio Preto


André Dias defende pênalti de Leandro Brasília e impede o gol do time visitante


A busca pelo gol aconteceu de forma tímida. No fim, o ataque grená passou em branco

Como a manhã ficou mesmo num grande "quase", o marcador final foi de Juventus 0-0 Rio Preto. O ponto conquistado fez com que o Moleque Travesso ganhasse uma posição, agora é 15º, mas ainda ocupando um lugar entre os seis piores times da competição. O Jacaré foi ao 10º lugar agora com 12 pontos.

Por causa do forte calor que resolveu dar as caras na parte final da peleja e de uma noite com poucas horas dormidas, desisti de fazer a jornada vespertina no interior e fui pra casa passar o restante do domingo muito na boa. Por enquanto dá pra fazer isso, já que em breve começa uma sequência monstruosa de vários e vários dias seguidos com futebol na pauta. Vamos ver se terei pique para encarar uma insanidade como essa.

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário