Procure no JP

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Nacional ainda sem vitória na Série A3 de 2015

Olá,

Depois de ter conferido tudo que rolou na partida Água Santa x Paulista, no último sábado pela manhã, fui almoçar e retornei ao Estádio Conde Rodolfo Crespi, local da realização de mais uma partida válida pelas competições de acesso promovidas e organizadas pela FPF. A pedida na parte da tarde, foi acompanhar "in loco", o jogo Nacional A.C. x C.A. Votuporanguense Ltda, valendo pela terceira rodada da primeira fase do Campeonato Paulista da Série A3.

O Nacional continua mandando suas partidas na Rua Javari, porque não houve liberação para utilizar o seu estádio (Nicolau Alayon) por parte da FPF, uma vez que ainda falta a apresentação de laudos. Para essa partida, a terceira na competição, o time paulistano entrou em campo com apenas uma ponto, conquistado entre seis possíveis, Por outro lado, a equipe interiorana foi a campo com três pontos.

Nessa partida, tive a oportunidade de rever o amigo e integrante do JP, o Emerson Ortunho, além de dividir as imagens da partida com o abnegado Fernando Martinez. Também estiveram presentes grandes amigos do JP, trocando informações e ideias sobre o futebol alternativo. Grandes presenças. Uma grande abraço a todos.

Antes de começar a falar da partida em si, vamos com as fotos oficiais, cortesia e tradição do blog:


Nacional A.C. - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


C.A. Votuporanguense Ltda. - Votuporanga/SP. Foto: Fernando Martinez.


Quarteto de arbitragem comandado por Roderson Salvador, seus assistentes Émerson Fernandes Rorato e Gilmar Gomes da Silva, além do 4º árbitro João Marcos Giovanelli ao lado dos capitães Jaime (N) e Cairo (V). Foto: Fernando Martinez.

A partida começou com o Votuporanguense mostrando um disposição física muito grande, marcando o Nacional no seu campo de defesa, dificultando as ações do time ferroviário, que não conseguia sair jogando. A forte marcação do time alvinegro durou quase 30 minutos, dando a impressão em alguns momentos, que o Votuporanguense era o dono da casa e o Nacional o visitante.

Embora o domínio fosse do time do interior, o primeiro arremate mais perigoso foi do Nacional, na marca dos 6 minutos, através do meia atacante Caio Mendes, que mandou um tirambaço que passou muito perto da meta defendida por Cairo.


Forte marcação sob pressão do Votuporanguense logo no início da partida. Foto: Orlando Lacanna.


Arremate de Caio Mendes do Nacional que assustou o goleiro visitante. Foto: Orlando Lacanna.

A resposta do time de Votuporanga veio logo em seguida, aos 8 minutos, numa bonita tabela de cabeça entre Paulinho e Victor Palito, porém a defesa do Naça, conseguiu interromper a tabela e conjurou o perigo. Um minuto após, foi a vez de Paulo Vitor arriscar de longe, mas a bola subiu demais e foi para fora. A blitz do Votuporanguense continuou, sendo que aos 12 e aos 15 minutos, os visitantes chegaram fortes com arremates de Victor Palito e Willian, sendo que o primeiro arremate saiu mascado, permitindo que a defesa se recuperasse. O segundo tiro foi direto para fora, assustando o goleiro Carlão.


Um dos vários ataques do Votuporanguense na primeira etapa, esse pelo alto. Foto: Orlando Lacanna.

Com o passar do tempo, os visitantes foram diminuindo a força na marcação, até porque seria impossível manter e pegada por muito tempo, pois o calor era intenso. Com isso o Nacional jogou mais solto e, na marca dos 26 minutos, o camisa 10 Émerson, criou uma ótima oportunidade, mas, ao invés de bater de primeira, preferiu tentar driblar o experiente goleiro Cairo e acabou perdendo o chance.

O maior domínio do Votuporanguense se traduziu em vantagem no marcador, aos 40 minutos, quando o camisa 8, Paulinho cabeçeou firme para o fundo da rede da meta nacionalina, ao aproveitar um escanteio cobrado pela esquerda. Dois minutos depois, quase que o time alvinegro aumentou a vantagem, não fosse a falta de pontaria do avante Victor Palito. Mais alguns minutos de bola rolando e a primeira etapa foi encerrada, com os visitantes levando para o vestiário, a vantagem pela contagem mínima.


Bola no fundo da rede do Nacional após desvío de cabeça de Paulinho inaugurando o placar. Foto: Orlando Lacanna.

Durante o intervalo, notei que o céu estava preto e que rapidamente iria cair aquela chuva. Diante disso, deixei o gramado e me juntei aos amigos que estavam nas tribunas e acompanhei todo segundo tempo participando da resenha. Grandes papos.

O jogo foi reiniciado e o Nacional voltou com uma postura bem diferente, conseguindo marcar melhor o adversário e equilibrando as ações. Nos primeiros dez minutos, as jogadas ficaram concentradas entre as duas intermediárias, com pouca aproximação às áreas pelas duas equipes. O primeiro lance de relativo perigo, foi do Votuporanguense, aos 16 minutos, numa boa arrancada do lateral Willian, mas a conclusão foi defeituosa e o perigo terminou aí. Um minuto depois, foi a vez do Nacional exigir boa defesa do goleiro Cairo, numa cobrança de falta executada por Willian.


Atleta nacionalino saindo para o ataque debaixo do dilúvio. Foto: Fernando Martinez.

A partir dos vinte minutos, aquela chuva que se formou no intervalo desabou e jogo foi seguindo e disputado debaixo de um aguaceiro, sendo que a minha saída do gramado no intervalo foi providencial. Voltando à partida, aos 26 minutos, outra cobrança de falta pelo Nacional, levou perigo à meta alvinegra, após cruzamento e cabeceio para fora do volante Allan, que passou perto.


Chute perigoso dentro da área do CAV. Foto: Fernando Martinez.

Nos últimos quinze minutos, o Votuporanguense voltou a incomodar a defesa nacionalina, como aconteceu aos 37 minutos, numa cabeçada perigosa do camisa 4, Paulo Henrique que legou perigo ao goleiro Carlão. Aos 44 minutos, em novo contra-ataque, o camisa 18 Bruno escapou pela direita e cruzou em direção a Paulinho, que concluiu de primeira, exigindo ótima defesa do goleiro paulistano.


Nesse escanteio o Nacional quase chegou ao gol de empate. Foto: Fernando Martinez.


Jogada aérea do ataque do Votuporanguense na segunda etapa. Foto: Orlando Lacanna.

A partida já se encaminhava para o final e ninguém mais esperava mudança no placar, porém como no futebol a partida só acaba quando termina, na marca dos 48 minutos, o camisa 16 Jorge Mauá (ex-Mauaense). deixou tudo igual no placar, ao escorar de cabeça um cruzamento que veio da esquerda. A bola antes de morrer no fundo da rede, foi tocada pelo goleiro e ainda desviou no poste direito. Explosão de alegria dos jogadores do alviceleste e da pequena torcida local presente.


Bola indo em direção ao poste direito para depois morrer do fundo da rede no gol de empate do Nacional. Foto: Orlando Lacanna.

Tão logo foi dada nova saída, o árbitro encerrou a peleja, com o placar estampando Nacional 1 - 1 Votuporanguense, resultado que não ajudou em nada as duas equipes, pois permaneceram nas mesmas posições que ocupavam antes do início da rodada, ou seja, o Nacional permaneceu na 16ª posição, agora com 2 pontos e o Votuporanguense não saiu da 10ª posição, embora tenha conseguido mais um ponto, somando no momento 4 pontos.

Vale ressaltar que o time da Capital já disputou duas partidas como mandante e só conseguiu dois pontos em nove possíveis, com um aproveitamento de apenas 22% e isso é muito pouco para quem não quer correr risco de rebaixamento. O sinal amarelo foi ligado para o time do Nacional, visando não retornar à Segundona em 2.016. Vamos aguardar uma melhora no desempenho nas próximas rodadas.

Fim de jogo, fim de rodada dupla na Rua Javari e retorno para casa para um breve descanso, para em seguida sair para tomar um cervejinha, até porque ninguém é de ferro. No domingo o festival de futebol na Rua Javari iria continuar com mais duas partidas e o JP iria se fazer presente em uma delas. Foi isso.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário