Procure no JP

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Massacre do Sampaio Corrêa no Canindé pela Série B

Opa,

Ano passado estive presente em 15 dos 17 jogos realizados pela Lusa no Canindé pelo Brasileirão, inclusive o último, o hoje lendário Portuguesa 0x0 Grêmio. Todo mundo sabe que aquela quente tarde de dezembro demorou meses para terminar graças a uma série de fatores lamentáveis provocados pelo próprio time rubro-verde. Fatores que infelizmente levaram a equipe para a Série B.


Times perfilados para o Hino Nacional Brasileiro. Foto: Fernando Martinez.

Incomodado com a postura de diretoria e torcedores lusitanos ao decorrer de todo esse tempo, confesso que desanimei e a vontade de ir nos jogos do time caiu quase a zero. Tanto que só fui fazer minha estreia no Canindé num jogo do Campeonato Brasileiro da Série B na terça passada, quando o escrete rubro-verde recebeu o sensacional Sampaio Corrêa.

Fazendo uma campanha horrorosa, a Lusa está se tornando candidata forte para jogar a terceirona nacional em 2015 e via nesse jogo contra os maranhenses uma chance de tentar melhorar o astral do clube. Mal sabiam os pouco mais de 700 pagantes que o jogo seria histórico... para o time visitante.

Desde 1971 os times do Maranhão jogaram - contando todas as divisões - contra times paulistas 56 vezes, saindo-se vitoriosos apenas nove confrontos, oito deles no Nordeste do país. O único triunfo em terras bandeirantes aconteceu em 1999, quando o Bolívia querida meteu 5x0 no Bragantino em jogo da Série B. Resumindo: nunca um time maranhense havia vencido um jogo na cidade de São Paulo em todas as divisões do Brasileiro até então.


Ataque maranhense no primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.


Infrutífero ataque lusitano. Foto: Fernando Martinez.

Isso mudou na noite de 27 de maio, pois a Portuguesa fez uma apresentação lastimável, sofrendo uma inacreditável goleada em pleno Osvaldo Teixeira Duarte. Foi um massacre... O Sampaio Corrêa jogou como quis e, além dos quatro tentos, perdeu um sem número de oportunidades.


Bola perambulando na área do Sampaio. Foto: Fernando Martinez.


O gol de honra da Lusa não animou a torcida. Foto: Fernando Martinez.

Os gols de Uillian, Pimentinha, Márcio Diogo e Edgar (Serginho descontou para os paulistas) deram forma a uma vitória maiúscula de um time nordestino na capital paulista. O Portuguesa 1-4 Sampaio Corrêa deixa o onze bandeirante com o alerta vermelho ligado para tentar fugir de uma nova queda.


Placar final do massacre no Canindé. Foto: Fernando Martinez.

Parte do altíssimo quórum presente nessa peleja saiu do Canindé e foi fazer uma boquinha naquela famosa casa de esfihas da região. Futebol de novo somente no final de semana.

Até lá!

Fernando

terça-feira, 27 de maio de 2014

Bernô é derrotado pela Locomotiva e se complica na Segundona

Fala, pessoal!

Incomodado com o baixo número de jogos vistos nas últimas semanas, prometi a mim mesmo que veria pelo menos três pelejas no sábado e domingo. Só não esperava que o combo frio + chuva chegasse pra valer por essas bandas. Isso acabou me fazendo desistir de quase todo o cronograma inicial, indo acompanhar de perto somente uma peleja.

Depois de um sábado tomado pela preguiça, caí da cama domingo cedo com destino à São Bernardo do Campo, local da partida entre EC São Bernardo, ainda lutando por uma vaga na segunda fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão, e Mauaense, atual líder isolado do Grupo 7 do certame. Mais uma vez o Baetão foi palco do tradicional duelo.


EC São Bernardo - São Bernardo do Campo/SP. Foto: Fernando Martinez.


GE Mauaense - Mauá/SP. Foto: Fernando Martinez.


Trio de arbitragem com Luiz Renato Cafundó Soares, Édson Rodrigues dos Santos e Adriana de Almeida Silva junto aos capitães dos times. Foto: Fernando Martinez.

A tônica da campanha do Bernô vem sendo a irregularidade. Até a sétima rodada o time somou três vitórias e quatro derrotas, deixando a classificação para a segunda fase por um fio. Para piorar, o time vem tendo um desempenho ruim contra as equipes que estão no G3 da chave com duas derrotas para o Diadema, uma para a Briosa e outra para a Locomotiva. Por ser o antepenúltimo compromisso da fase inicial, a vitória era obrigatória.


Escanteio para o São Bernardo no começo do jogo. Foto: Fernando Martinez.

Para o onze de Mauá a situação é outra. Ainda invicta e fazendo o melhor começo de estadual desde 1997 - na rodada anterior igualou os setes jogos sem perder de 2009 - o time já estava virtualmente classificado antes mesmo dessa peleja. Um triunfo colocaria o time em definitivo na segunda fase.


Ataque local pela lateral. Foto: Fernando Martinez.


Chance pelo alto. Foto: Fernando Martinez.

Sob uma temperatura de 16 graus e com uma chuvinha que ia e voltava sem parar, vimos um jogo bem abaixo do esperado. De um lado o Bernô tinha mais posse de bola mas não chutava no gol. Do outro, o Grêmio só no chutão e sem qualidade no ataque. Os 90 minutos parece que demoraram umas três horas.


Boa investida pela esquerda. Foto: Fernando Martinez.


Confusão dentro da área da Locomotiva. Foto: Fernando Martinez.

Nessa aridez de emoções quem saiu na frente foi o time visitante com o gol de Adauto aos 6 minutos. Tirando o gol e um bom ataque do Mauaense pela direita, nada mais foi digno de registro. Vários problemas fora de campo acabaram atrapalhando demais a atuação do alvinegro local, que criou sua primeira oportunidade de perigo aos 44 do segundo tempo (!).


Atleta levantando a pelota para a área visitante. Foto: Fernando Martinez.


Outra oportunidade aérea. Foto: Fernando Martinez.

No fim, o placar de São Bernardo 0-1 Mauaense classificou a Locomotiva para a segunda fase e deixou o Bernô em situação complicada. Hoje o time é o quarto melhor quarto colocado e estaria fora da próxima fase. Uma vitória contra o eliminado São Vicente domingo que vem é obrigatória para deixar a decisão para a rodada final, quando joga com a Briosa em Santos.

Teria jogo feminino na parte da parte no mesmo Baetão, mas a chuva apertou e então resolvi voltar para casa. Não sem antes fazer um pit-stop no famoso boteco ao lado do terminal da EMTU e presenciar momentos surreais com tiazinhas dançarinas e bebuns roqueiros por lá.

Até a próxima!

Fernando

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Líder isolado, Nacional se garante na segunda fase da Segundona

Fala pessoal!

A realização da Virada Cultural na cidade de São Paulo cortou parte da programação futebolística desse fim-de-semana. A rodada do JP se resumiu a um jogo apenas, válido pelo Campeonato Paulista da Segunda Divisão. Para variar um pouco, fui até o Estádio Nicolau Alayon acompanhar outro jogo do invicto líder do Grupo 6, o Nacional AC. O adversário da vez foi o União Suzano.


Nacional AC - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


União Suzano AC - Suzano/SP. Foto: Fernando Martinez.

Com seis jogos disputados, o time ferroviário chegou a surpreendentes 88,9% de aproveitamento, a melhor performance do time nesse século. Essa ótima campanha dá uma grande esperança pensando no acesso para a Série A3 de 2015. Desde que começou a jogar a Segundona em 2010, talvez esse seja o ano em que a chance de subir esteja mais próxima da realidade.


Capitães das equipes junto ao árbitro Norberto Luciano da Silveira e os assistentes Bruno Silva de Jesus e Maria Nubia Leite. Foto: Fernando Martinez.

Depois de captar as imagens oficiais, fui acompanhar o ataque local no gol "da esquerda" da Comendador Souza. Dali vi um início avassalador para o time da casa. Porém, o velho problema das finalizações apareceu novamente. Em nove minutos, o Nacional perdeu quatro gols feitos que poderiam ter decidido a partida logo de cara.



Primeiro uma bola tocada por cobertura que lambeu a trave direita e depois bola na trave e rebote desperdiçado cara-a-cara com o goleiro... O Nacional perdeu gols demais no começo do jogo. Fotos: Fernando Martinez.

Esses vacilos ofensivos acabaram deixando a peleja bem complicada. O USAC acabou se acertando defensivamente e, mesmo com outras oportunidades de gol para o time ferroviário no decorrer do primeiro tempo, os times foram para os vestiários sem a abertura do marcador.


Mais uma chance de abertura do placar para os donos da casa. Foto: Fernando Martinez.

No tempo final pouco mudou e o arqueiro suzanense Dênis foi se tornando o princupal nome da partida após fazer três milagres em chutes cruzados. A cada minuto que passava, o incômodo cheirinho de 0x0 já começava a incomodar. Mesmo líder isolado, perder dois pontos em casa não estava nos planos do Nacional.


Ataque local pela esquerda. Foto: Fernando Martinez.

Somente aos 33 minutos o time ferroviário finalmente conseguiu abrir o marcador numa verdadeira pintura. Fernando, provavelmente inspirado pela força do nome, recebeu um passe pela direita. Mesmo muito longe do gol ele resolveu arriscar o chute. A bola fez uma trajetória perfeita e entrou no ãngulo direito de Dênis. O camisa 1 até tocou na pelota, mas a defesa era impossível.


Victor Sapo avançando aos trancos e barrancos pela direita. Foto: Fernando Martinez.

Animados com a vantagem, dois minutos depois os atacantes nacionalinos conseguiram construir uma belíssima troca de passes que terminou com a precisa conclusão de Sócrates, artilheiro do certame ao lado de William, do CA Diadema, e de Edimílson, do Guarujá, com seis gols.


Zaga do USAC tirando a bola de dentro da área. Foto: Fernando Martinez.

O sofrido resultado final de Nacional 2-0 União Suzano classificou matematicamente o time paulistano para a segunda fase do certame. Em todos os prognósticos de qual será a chave da equipe na próxima etapa, a certeza é que não será um grupo fácil. Cabe agora ao time terminar a fase inicial com tranquilidade e treinar bastante as finalizações durante a parada da Copa em busca de um maior aproveitamento do setor ofensivo.

Nem bem acabou o jogo e lá fomos nós para o gramado fazer algumas imagens da cancha ferroviária. Dali, segui com os amigos Cosme, Mário e Raul para a Estação Água Branca pegar o trem com destino ao meu QG. A noite de sábado reservou uma grande rodada dupla, não de futebol, e sim de rock de ótima qualidade com Uriah Heep e Mark Farner. No mais, o domingo serviu para ficar de boa em casa...

Até a próxima!

Fernando

sexta-feira, 16 de maio de 2014

JP na sensacional visita do Princesa do Solimões à Vila Belmiro

Fala, pessoal!

Quinta-feira passada, como não poderia deixar de ser, os olhos dos amantes de jogos perdidos estavam apontados para a mesma direção: a Vila Belmiro. No histórico estádio, o Santos recebeu a visita do sensacional Princesa do Solimões, time que veio ao estado pela primeira vez em todos os tempos para a peleja de volta da segunda fase da Copa do Brasil.

Essa competição é apenas o segundo campeonato nacional disputado pela equipe fundada em 1972 e profissionalizada em 1987. A primeira foi a genial Série B do Brasileiro de 1989, campeonato histórico que contou com a participação de 96 times. Naquele torneio, o Princesa foi lanterna do Grupo A com sete pontos conquistados em dez jogos.

Nos anos seguintes, a equipe chegou ao vice-campeonato estadual em 1995 e 1997 e depois disso realizou campanhas mais modestas até o fim da primeira década do novo milênio. Em 2013 aconteceu a maior glória futebolística do time com a conquista do título amazonense e a classificação para a Copa.

Quando as chaves do certame foram definidas, o time amazonense foi sorteado para jogar contra o Brasiliense. Para surpresa de muitos, a equipe venceu a primeira partida por 3x1 e foi para o jogo de volta com uma boa vantagem. A derrota por 4x2 na capital do país classificou de forma inédita o Tubarão do Solimões para a segunda fase. Para nossa sorte, o adversário foi o alvinegro praiano.


Times perfilados no gramado da Vila antes do apito inicial. Foto: Fernando Martinez.

Torcemos muito, mas muito mesmo, para que o time paulista não eliminasse o alvirrubro no jogo disputado na Arena da Amazônia. O solitário gol de Branco no começo do segundo tempo nos deu a chance única de poder ver pela primeira vez a agremiação. Apesar de tudo, o Princesa já tinha aparecido nas páginas do JP em 2007, numa sensacional viagem do Orlando. Naquela jornada, ele enfrentou o combo avião + barco + lotação para ver meio jogo em Manacapuru.

A disputa pelas vagas na caravana da coragem que seguiu até o litoral foi acirrada. No fim, além do que vos escreve, Mílton, Rodrigo Colucci e Ricardo Espina foram agraciados com um lugarzinho no confortável táxi do seu Natal. A viagem foi tranquila e faltando uma hora para o apito inicial já estávamos na frente do Estádio Urbano Caldeira. Lá, o amigo caiçara Estevan Mazzuia também estava aguardando a chance de colocar o onze amazonense na Lista.


Ataque santista pela esquerda. Foto: Fernando Martinez.


Agora a vez do Princesa se arriscar no campo ofensivo. Foto: Fernando Martinez.

A Vila recebeu um público de 3.781 pagantes para a partida, que foi bastante movimentada e bem animada. Melhor tecnicamente, não demorou para que o Santos abrisse 2x0 de vantagem com os gols de Gabriel aos 18 e Cicinho aos 25 minutos. Alguns sentiram cheiro de goleada, mas o Princesa não esmoreceu e mostrou muita vontade mesmo sabendo que a chance de vaga era praticamente impossível.


Bola aérea na área amazonense. Foto: Fernando Martinez.


Início de ataque do peixe. Foto: Fernando Martinez.

Michell acabou descontando aos 38 minutos, dando a chance para a "Princesa", torcedor-símbolo do time, fazer sua comemoração nas arquibancadas. O primeiro tempo acabou com o placar parcial de 2x1. No tempo final a peleja estava equilibrada até o vacilo do camisa 4 He-Man. Provavelmente dominado pelo espírito do Esqueleto, ele deu uma furada sensacional dentro da área e marcou um bizarro gol contra.


Confusão na área momentos antes do segundo gol do Princesa. Foto: Fernando Martinez.


Boa chance de gol para o time paulista. Foto: Fernando Martinez.

Três minutos depois Deurick marcou novamente para os amazonenses e nos momentos seguintes quase que o empate saiu. Mas aos 25 o camisa 11 Thiago Ribeiro botou ordem na casa e fez o quarto gol, definindo a vitória e a classificação santista.


Placar final da peleja em Santos. Foto: Fernando Martinez.

Fim de jogo: Santos 4-2 Princesa do Solimões. Na próxima fase o Peixe irá jogar contra o Londrina, time que eliminou o Grêmio Barueri. Para o time do norte, ficou o gostinho de ter enfrentado um dos grandes clubes do país mostrando um futebol competitivo. A equipe está disputando as finais do estadual e também irá jogar sua primeira Série D a partir do mês de julho. Para nós, a alegria foi mesmo ter visto ao vivo um time muito raro.


Quórum respeitável na Vila para Santos x Princesa. Foto: Amigo do Estevan que esqueci o nome.

Fizemos a viagem de volta sem percalços e mesmo chegando em casa depois das duas da matina, mais uma vez ficamos com aquele sentimento de "dever cumprido".

Até a próxima!

Fernando

terça-feira, 13 de maio de 2014

Diadema supera o Bernô pelo Grupo 7 da Segundona

Opa,

A rodada de futebol no JP terminou no domingo cedo, em mais uma peleja do Campeonato Paulista da Segunda Divisão. Fui ao Baetão para ver pela primeira vez em 2014 as equipes do EC São Bernardo e do CA Diadema num daqueles famosos "jogos de seis pontos" válido pela primeira rodada do returno do Grupo 7.

Com muitas dificuldades, o Bernô vem fazendo uma campanha cheia de altos e baixos nessa Segundona. Vindo de derrota contra a Portuguesa Santista, o "Vovô do ABC" esperava vencer o rival diademense para, além de ultrapassar o seu adversário, tentar se firmar no G3 da chave. Além de tudo isso, a equipe esperava devolver a derrota por 3x1 sofrida no turno.


EC São Bernardo - São Bernardo do Campo/SP. Foto: Fernando Martinez.


CA Diadema - Diadema/SP. Foto: Fernando Martinez.

Milagrosamente a ida até São Bernardo do Campo foi bastante tranquila e a companhia do sempre presente Mílton e do Colucci fez a viagem ficar ainda mais rápida. Já nas dependências do estádio tive o prazer de reencontrar os amigos Gigio e Júlio Passarelli, pessoas de bem, mais uma vez suando sangue para colocar o time mais tradicional do ABC em campo.


Posando de forma exclusiva para o JP os capitães e o quarteto de arbitragem composto por Ilbert Estevam da Silva, Everson Luiz Soares e Fernando Afonso de Melo. Foto: Fernando Martinez.

O primeiro tempo acabou sendo bem abaixo do esperado. O jogo ficou concentrado no meio-campo e os 45 minutos demoraram uma eternidade para terminar, tamanha foi a falta de criatividade dos atletas. Mesmo nesse deserto de emoções, quem se deu bem foi o Diadema. Diego, camisa 3 do time, conseguiu abrir o marcador aos 26 minutos e levou a vantagem mínima para os vestiários.


Bola que passou perto do gol do Diadema. Foto: Fernando Martinez.

O segundo tempo começou ainda com poucos momentos de brilho, mas foi só o São Bernardo deixar tudo igual aos 8 minutos que as emoções finalmente começaram a aparecer. Deivid completou de cabeça um escanteio da esquerda e devolveu a esperança aos poucos torcedores do Bernô presentes no estádio.


Ataque do Bernô pela esquerda. Foto: Fernando Martinez.


Cobrança de falta perigosa para o time visitante. Foto: Fernando Martinez.

Os dois times passaram a infernizar os setores defensivos com ótimas chances e ficou claro que o gol poderia sair a qualquer momento. Pena para os locais que aos 21 minutos acabou acontecendo o lance que mudou novamente a peleja. O camisa 11 Deivid foi expulso num lance bobo, deixando o alvinegro com um a menos. Foi o que bastou para o Diadema voltar a tomar conta da peleja.


Boa chance de gol para o Bernô. Foto: Fernando Martinez.

Jogando melhor, o time visitante voltou à frente do placar aos 35 minutos com o gol de William. O Bernô lutou, mas sem inspiração ainda teve mais dois atletas expulsos - Guilherme e Matheus, esse depois do apito final - e ao término do tempo regulamentar somou outra derrota no certame.


Lance duro no meio-campo. Foto: Fernando Martinez.


Na base do "bumba-meu-boi", o Bernô buscou o empate no fim da peleja... mas não teve sucesso. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: EC São Bernardo 1-2 CA Diadema. O triunfo deixou o onze diademense mais tranquilo no G3 do Grupo 7, agora com 11 pontos, três atrás do Mauaense um à frente da Briosa. O Bernô permanece com seis na quarta posição, mais distante da vaga direta e pensando mais em se garantir como um dos melhores quartos colocados.

A volta para casa foi tão tranquila quando a ida e o restante do domingo serviu para recarregar as baterias depois da semana corrida. O futebol voltou ao cronograma do JP na quinta, com a visita de um time que nunca imaginei que veria ao vivo.

Até lá!

Fernando

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Nacional, ainda invicto, vence mais uma na Segundona

Opa,

A rodada futebolística do final de semana começou no sábado com uma peleja bastante conhecida válida pelo Campeonato Paulista da Segunda Divisão na agenda. O Guarulhos recebeu o Nacional pela sexta rodada, a primeira do returno, do Grupo 6 em busca da sua segunda vitória na competição.


AD Guarulhos - Guarulhos/SP. Foto: Fernando Martinez.


Nacional AC - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.

Essa foi a 200ª vez que vi um jogo do Nacional in loco, 130 deles no profissional. Minha "estreia" aconteceu em 2 de novembro de 1996, numa vitória contra o América por 3x1 em jogo do Paulista de Juniores. Dezoito anos depois, o Naça é o terceiro time a entrar no seleto bloco de times com 200 jogos ou mais na minha Lista - Portuguesa e Juventus, respectivamente com 261 e 274 pelejas, são os outros.


Quarteto de arbitragem composto por Paulo Estevão da Silva, Leandro Matos Feitosa, Leandro Alves de Souza e Jander André Bandeira junto aos capitães. Foto: Fernando Martinez.

Falando do jogo em si, esse foi a oitavo confronto entre os dois em todos os tempos e a vantagem histórica é toda a favor do Naça: cinco vitórias, um empate e apenas uma derrota. De todos eles, faltei apenas no último (1x0 para o Nacional na estreia de ambos em 2014). Com a melhor campanha entre os 39 participantes da competição e ostentando uma invejável performance de quatro vitórias em cinco rodadas, o time ferroviário era amplo favorito.


Marcação firme da zaga guarulhense. Foto: Fernando Martinez.


Atleta nacionalino tentando, sem sucesso, alcançar a pelota. Foto: Fernando Martinez.

Mas apesar do líder geral estar em campo, o Estádio Antônio Soares de Oliveira não foi palco de um bom jogo. O Guarulhos mostrou os problemas de sempre, enquanto o Nacional pecou demais, para variar só um pouquinho, nas finalizações. O primeiro tempo teve poucos momentos de destaque, a maior parte deles em ataques nacionalinos desperdiçados.


Chute perigoso do ataque visitante. Foto: Fernando Martinez.


Escanteio para o Nacional pela direita. Foto: Fernando Martinez.

No tempo final o toque final do onze paulistano melhorou e o time abriu o marcador com o zagueiro Rodrigo aos 9 minutos. Sem forças para criar bons ataques, o Guarulhos viu o Nacional dominar a peleja por completo. Só que nem Victor Sapo, fazendo sua reestreia no time, nem Sócrates, artilheiro da competição com seis gols, conseguiram ampliar o marcador.


Bola disputada pelo alto. Foto: Fernando Martinez.


Uma das várias chances desperdiçadas pelo Naça no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.

No fim, aquela famosa vitória para o gasto: Guarulhos 0-1 Nacional. A liderança do ainda invicto time paulistano é incontestável e mais do que merecida. Só que as conclusões precisam ser aperfeiçoadas para "ontem", pois isso pode fazer falta nas fases seguintes. O time guarulhense ainda sonha com uma possível, mas improvável, vaga na segunda fase como um dos melhores quartos colocados.

Voltei para São Paulo com a sempre bem-vinda carona do seu Natal e na companhia dos amigos Colucci e Mário. Fomos então bater perna no centro da capital paulista, algo sempre muito agradável (mesmo com o abandono completo da região por parte das autoridades). Futebol de novo só no domingo cedo, com jogo do Grupo 7 da Segundona.

Até lá!

Fernando