Procure no JP

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Massacre flamenguista contra o Imagine/TO na Copa São Paulo

Opa,

Após ver dois times novos na rodada do Grupo Z, saí correndo para a cidade de Guarulhos, que esse ano sedia o Grupo Y da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Tudo para acompanhar a estreia do sensacional Imagine FCL do Tocantins no certame jogando contra o Flamengo no Estádio Antônio Soares de Oliveira.

Fundado em 2009, o time tocantinense joga atualmente a segunda divisão profissional. A base veio à São Paulo mesmo tendo perdido a final do estadual sub19 para o Ricanato FC, já que seu adversário é uma equipe amadora e graças ao regulamento não pode disputar a Copinha.

Os times do Tocantins disputam regularmente o certame desde 2002 (contando também com uma participação do Tocantinópolis em 2000) e nunca nenhuma das cinco equipes que já jogaram o torneio (além do Tocantinópolis, Araguaína, Gurupi, Interporto e Palmas desfilaram pelos gramados paulistas) passou de fase. Pior, em 51 jogos disputados, somaram apenas quatro vitórias e 41 derrotas. Nada indicava que em 2014 esse tabu seria quebrado.


Imagine FCL (sub20) - Palmas/TO. Foto: Fernando Martinez.

O oponente para a estreia, o Flamengo de Guarulhos, também não é historicamente nenhuma força na competição. Em nove participações até 2013 a equipe sempre foi eliminada na primeira fase e, além disso, saiu-se vitoriosa em apenas oito pelejas. Na parceria do time com o Corinthians está a esperança da ainda inédita classificação.


AA Flamengo (sub20) - Guarulhos/SP. Foto: Fernando Martinez.


Capitães das equipes e quarteto de arbitragem. Foto: Fernando Martinez.

Como infelizmente não existe um intercâmbio maior entre o futebol de base no país, as equipes do Tocantins raramente saem do seu estado de origem para jogar contra agremiações mais bem preparadas. O resultado da permanência nesse limbo futebolístico foi visto no gramado do Antônio Soares de Oliveira.


Início de jogo com o Flamengo já infernizando a zaga tocantinense. Foto: Fernando Martinez.

Quando o árbitro apitou o início da peleja, todo mundo que marcou presença no estádio já ficou sabendo o que estava por vir. A diferença técnica entre paulistas e tocantinenses era abismal e o time da casa ocupou o campo adversário durante todos os 90 minutos. A dúvida coletiva passou a ser de quanto seria a vitória do Corvo.


Cruzamento na área do Imagine. Foto: Fernando Martinez.

Mesmo não jogando bem e pecando demais nas finalizações, o Flamengo massacrou o Imagine (que diferente do que pensávamos, não tem esse nome por causa da música clássica do John Lennon). No tempo inicial, Paulo Vítor abriu o marcador aos 11 minutos, Rogério ampliou aos 19 e Fabrício marcou duas vezes, uma aos 42 e de pênalti aos 45. Já rolava cheiro de placar com dois dígitos no ar.


Quarto gol local marcado de pênalti pelo jogador Fabrício. Foto: Fernando Martinez.


Bola levantada na área verde e branca. Foto: Fernando Martinez.

O drama no tempo final foi saber que o amigo Mílton, aquele-que-nunca-viu-o-nove, estava a caminho de Guarulhos, mas desistiu da jornada em prol de ver o Picos do Piauí em São Bernardo do Campo. Com o amigo longe, a rapaziada presente imaginava que o "nove" era possível.


Mais um momento de terror para os zagueiros do Imagine. Foto: Fernando Martinez.


Escanteio para o Corvo. Foto: Fernando Martinez.

Rogério marcou o quinto logo no segundo minuto do tempo final, enquanto Fabrício fez o sexto aos 12. Daí pra frente, bateu aquela dormência no Flamengo e demorou para a equipe voltar a colocar o pé na forma. O Corvo voltou a infernizar a zaga visitante somente depois dos 30 minutos.


Oitavo gol rubro-negro na chuvosa tarde em Guarulhos. Foto: Fernando Martinez.

Com gols de Paulo Souza, Murilo e Fabrício, respectivamente aos 34, 39 e 44 minutos, o onze paulista marcou sua maior goleada na história do certame e deixou o azarado amigo Mílton triste quando soube da notícia de que perdeu um histórico Flamengo/SP 9-0 Imagine. Indepedente da bucha que tomou, vale registrar qye em nenhum momento o time do Norte do país apelou dentro de campo. Os atletas jogaram limpo e na bola durante os 90 minutos, mostrando que o maior triunfo para eles é poder fazer parte do maior torneio de base do país. Torcemos para que haja um maior intercâmbio com os "pequenos" times do Brasil.


O placar mostrando o histórico resultado para o Flamengo de Guarulhos. Foto: Fernando Martinez.

Mas a tarde ainda não tinha acabado e logo as duas equipes do jogo de fundo, o que seria minha quarta peleja no domingo, não demoraram a entrar em campo para fechar a jornada do Grupo Y.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário