Procure no JP

domingo, 30 de novembro de 2014

O último capítulo lusitano no Canindé pela Série B

Fala, pessoal!

Na noite de sexta-feira aconteceu a despedida da Portuguesa do Campeonato Brasileiro da Série B. Rebaixada de forma antecipada e com uma das piores performances de sua história, a equipe paulistana recebeu o também rebaixado Vila Nova/GO pensando pelo menos em se despedir de forma minimamente digna.

O certame começou todo errado com o WO dado em Joinville e, nas 37 rodadas realizadas, os paulistas venceram apenas quatro vezes. Você viu aqui no JP todo o segundo turno com nove (agora dez) jogos realizados no Estádio Oswaldo Teixeira Duarte e é triste dizer, mas não vimos nenhuma partida realmente decente.


Entrada do Canindé totalmente vazia na última apresentação da Portuguesa na Série B. Foto: Fernando Martinez.


Times perfilados para o Hino Nacional sob o olhar de pouco mais de 300 testemunhas. Foto: Fernando Martinez.

Depois do absurdo rebaixamento do ano passado da forma que aconteceu, é fato que a Portuguesa nem entrou em campo nessa Série B. O clube vestiu a carapuça de "rebaixado" desde o início e a cada rodada realizada isso foi se confirmando. Não foi fácil para a exigente torcida ver o caminho para a terceirona ser construído de forma concreta a cada derrota e a cada atuação pífia.

O resultado foi que apenas 307 herois foram ao Canindé assistir a peleja que marcou a melancólica despedida de ambas as agremiações. O pior é não ter nem ideia de como será o futuro pelos lados do escrete paulistano. A disputa da Série C é uma incógnita e agora a saída é juntar os cacos para 2015.

Pelo menos tivemos uma partida bastante movimentada. Triste por um lado, animada pelo outro. A Lusa começou melhor e abriu o marcador aos sete. Bruno Ferreira tabelou com Jânio e bateu de pé esquerdo no canto de Gabriel. Nos minutos seguintes, o time criou mais três bons momentos de ampliar, o melhor deles num tiro de Léo Costa na trave.


Disputa de bola no círculo central. Foto: Fernando Martinez.

Na base do "quem não faz toma" o Vila se aproveitou no primeiro vacilo defensivo local e deixou tudo igual aos 32 minutos. Wanderson foi derrubado por Tom dentro da área e o árbitro marcou penalidade máxima. Paulinho bateu bem e deixou tudo igual. Como desgraça pouca é bobagem, dois minutos depois Mateus Anderson foi lançado na área, tocou na saída de Tom e virou o placar.


Chute do Vila Nova durante o primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.


Paulinho cobrou pênalti e fez o primeiro tento goiano. Foto: Fernando Martinez.

No tempo final o equilíbrio foi a Tõnica e Gabriel Xavier, o camisa 10 rubro-verde, era o destaque. Aos 14 minutos Léo Costa cobrou falta, o arqueiro Gabriel saiu mal e a pelota bateu em Julio Vinicius antes de entrar no gol. Tento contra do Vila e novo empate na cancha lusitana.

Aos 17, nova decepção para a torcida local. Mateus Anderson fez boa jogada pela esquerda e tocou para Lucas Sotero. Ele chutou firme e fez o terceiro do onze goiano. A Portuguesa tentou como poucas vezes vi nessa Série B pelo menos não perder outro compromisso e chegou a mandar duas bolas na trave com Marcelinho e Léo Costa, porém no fim, não teve jeito.


Boa chance local no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.


Com esse novo revés, a Lusa terminou a Série B com impressionantes 21 derrotas e uma das piores campanhas de todos os tempos. Foto: Fernando Martinez.

O placar final de Portuguesa 2-3 Vila Nova/GO fez o clube da capital bandeirante terminar o certame com apenas 25 pontos, numa das campanhas mais vexatórias de todos os tempos. Em 38 rodadas, apenas quatro triunfos e assombrosas 21 derrotas. No ano, campanha pífia na Série A1, eliminação contra o Potiguar/RN na Copa do Brasil e agora isso. Em 2015, a equipe vai disputar a terceira divisão nacional pela primeira vez. Será o fundo do poço?

Com essa cobertura me despeço desse genial e difícil ano de 2014. Temporada em que vi minha primeira Copa do Mundo e um total de 160 pelejas. Só por conta das treze partidas do Mundial o ano já valeu MUITO a pena. Vamos torcer para 2015 seguir no mesmo padrão.

Até a próxima!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário