Procure no JP

domingo, 1 de novembro de 2015

JP no Chile (Parte 1 de 13): Grande estreia com Incas del Sur x Pudahuel pela quinta divisão


Desde que fui para Buenos Aires em abril de 2009 - minha primeira viagem internacional "de verdade" que trouxe cinco jogos de várias divisões do Campeonato Argentino para as páginas do JP - eu tinha a enorme vontade de emplacar outra jornada pela América do Sul, de preferência em outro país. A ideia era viajar de novo até 2011, porém vários problemas acabaram me fazendo adiar o projeto por período indeterminado.

Desde que a Copa do Mundo terminou coloquei na cabeça que 2015 seria o ano para cumprir essa missão. Sabia que não seria nada fácil, mas topei encarar o desafio de emplacar minha segunda viagem ao exterior, a primeira exclusivamente dedicada ao futebol. O destino? A bela República do Chile.

Não escolhi a terra de Pablo Neruda por acaso. Defini esse como sendo "o" local pois o país venceu a disputa para ser a sede da Copa do Mundo Sub-17. Como passei a vida vendo o certame ser disputado em países periféricos futebolisticamente falando não podia perder a oportunidade de acompanhar a competição "do lado" de casa. Além, claro, de tentar ver algum jogo do certame nacional.

Montei todo o esquema no papel e desde o começo do ano passei a me armar para permanecer alguns dias em Santiago e outros percorrendo algumas sedes do Mundial. Aos poucos as coisas foram se ajeitando e no comecinho de outubro tudo estava definido. Saí de São Paulo na tarde do dia 17 de outubro e por volta das oito da noite desembarquei na capital chilena. Entrei no avião com 36 graus na moleira e saí com 11, uma bênção!

Como minhas primeiras partidas estavam programadas apenas para o final da tarde/noite de sábado tive a sexta-feira livre para bater perna pela cidade. Pude conhecer alguns locais que sempre vi em imagens de televisão e fotos, como o histórico Palácio de La Moneda, sede do governo e famoso por ter sido bombardeado no golpe militar de 11 de setembro de 1973, e o mausoléu de Bernardo O'Higgins, heroi da independência. Detalhe: as ruas são limpas, não há nada pichado e os monumentos estão todos muito bem conservados. Algo que está cada vez mais longe de acontecer aqui em São Paulo.




Em várias partes de Santiago temos essa visão simplesmente sensacional da Cordilheira dos Andes. Essa era a vista da janela do meu quarto. Abaixo, o magnífico Palácio de La Moneda, casa do governo chileno. A última foto mostra algo que já não existe mais em São Paulo: centro da cidade bem cuidado, fonte funcionando e muita limpeza. Fotos: Fernando Martinez.

Fiquei zanzando pela cidade por várias horas até voltar para o meu hotel, uma grata surpresa que encontrei no coração de Santiago e localizado bem em frente da Estação La Moneda do metrô. Enquanto escutava pelo rádio o confronto entre São Caetano e Botafogo pela Série D, passei a analisar a tabela da quinta divisão local, que tem o nome oficial de Campeonato Nacional de Fútbol – Cuarta División Sub-23 ou Tercera División B, para ver se conseguia assistir algo desse campeonato sensacional num horário "livre" da minha agenda. Vale dizer que a competição é amadora e organizada pela Asociación Nacional de Fútbol Amateur do Chile (lá somente as três primeiras divisões são profissionais).

Uma das coisas mais geniais da viagem foi que a Dona Sorte sorriu para mim em vários fatores, um deles a respeito da definição dos horários dos jogos válidos pelos certames nacionais. Acessando o ótimo www.terceradivision.cl, site genial que tem várias informações úteis sobre esse campeonato, descobri que ao meio-dia do sábado um Jogo Perdidaço estava marcado para o Estadio Municipal Las Rejas, situado no bairro Estación Central. A peleja, válida pela 20ª rodada do torneio, era uma daquelas em que nunca cogitei assistir nem nos meus mais profundos delírios: Incas del Sur x Pudahuel Barrancas.

Aposto um sorvete de casquinha que 99% dos amigos do JP nunca ouviram falar dessas gloriosas agremiações, então vale a pena situá-los por aqui. O Club Social Y Deportivo Incas del Sur foi fundado em 2013 para representar o grande número de peruanos que vivem por ali, seguindo o exemplo de times como Audax Italiano, Unión Española e Palestino. A equipe tem sede na comuna (bairro) de Independencia. Só pelo nome já vemos que o time é sensacional.

Do outro lado, o Club Deportivo Pudahuel Barrancas é um pouco mais antigo e foi fundado em 2007. O time começou sua trajetória nessa divisão, foi promovido logo da temporada de estreia e participou da quarta divisão em 2013 e 2014, ano em que foi rebaixado sem vencer nenhum compromisso. A equipe, também de Santiago, atua como mandante no Estadio Modelo de Pudahuel, local visitado pelo desaparecido Victor Minhoto em 2006, na primeira incursão do JP na terra de Ivan Zamorano.




Os geniais Incas del Sur e Pudahuel Barrancas devidamente posados provavelmente pela primeira vez numa publicação brasileira. Não é sempre que temos que times desse naipe por aqui. E claro, não podia faltar a foto dos capitães com o trio de arbitragem. Fotos: Fernando Martinez.

Falando um pouquinho do campeonato em si, a Tercera División B é dividida nas zonas Norte e Sul, a primeira com 12 times e a segunda com 11. Todos jogam em turno e returno dentro dos grupos e ao final da primeira fase os dois melhores de cada zona se classificam para o quadrangular final. Novamente jogando em turno e returno, o campeão e o vice sobem para a Tercera División A. O último colocado de cada chave é rebaixado para sua respectiva Asociación de Origen, uma espécie de "sexta divisão" e disputado por equipes de todas as regiões do país.

Tanto os Incas quanto o Pudahuel estavam apenas cumprindo tabela, já que Deportes Recoleta e AC Colina se garantiram no quadrangular com algumas rodadas de antecedência. Chegar ali foi super fácil. Peguei a Linha 1 do metrô de Santiago com destino a Estação San Pablo e desci na Estação Las Rejas. Segui via Avenida Las Rejas Sur e virei à direita na Calle (Rua) Los Maitenes. Cerca de 400 metros depois já conseguia ver a acanhada cancha.

O estádio em si é sensacional. Ali existem somente dois lances de arquibancadas, ambos de madeira, que devem ter a capacidade para uns 200 torcedores no total. Há uma grade por toda a extensão da linha de fundo no gol da entrada, grade que deixa todos que estão passando na rua com visão completa do local. Isso mesmo, para ver a partida você não precisa pagar o ingresso de 1000 pesos chilenos (cerca de seis reais)... basta ficar na rua.


O genial ingresso para a peleja da Tercera División B do Chile, uma peça rara para a coleção. Foto: Fernando Martinez.


A grade atrás do gol "da entrada" e que tem vista para a rua, ou vice-versa. Foto: Fernando Martinez.


Uma das arquibancadas do local, toda de madeira. Não seria liberado nem para Sub-11 aqui em São Paulo. Foto: Fernando Martinez.


Ricardo Berríos Leiva, um aficcionado pelo futebol "perdido" do Chile. Foto: Fernando Martinez.

Ainda meio fora do ar por estar num lugar tão magnífico fui para o campo ver como iria fazer para conseguir as fotos oficiais. Acabei conhecendo o Ricardo Berríos Leiva, um aficcionado pelas divisões menores e que faz um trabalho relativamente parecido com o que faço aqui no JP. Ele é criador da "Tercera Divisón Chile Recuerdos", página no Facebook que fala exclusivamente do futebol "perdido" de lá. Vale demais a visita.

Com a ajuda do novo amigo, captei os instantâneos raríssimos do Incas del Sur e do Pudahuel Barrancas, oficialmente os times 599 e 600 da minha Lista e que tenho quase certeza que aparecem numa publicação brasileira pela primeira vez em todos os tempos. O sol estava forte e então fui me abrigar numa das únicas sombras presentes no Las Rejas. Acompanhando o ataque alvirrubro na primeira etapa vi uma peleja bastante movimentada. Me surpreendi positivamente com a qualidade do futebol mostrado.




Três momentos do primeiro tempo de Incas del Sur x Pudahuel Barrancas. Fotos: Fernando Martinez.


Torcida peruana marcando presença no estádio. Foto: Fernando Martinez.

Os primeiros 45 minutos tiveram amplo domínio do time local. Os Incas del Sur ocuparam o campo defensivo do onze visitante, só que apesar das várias oportunidades criadas marcaram apenas uma vez num chute na pequena área à queima-roupa em que o arqueiro "Chino" nada pôde fazer. Foi com o 1x0 que o tempo inicial chegou ao seu final.

No intervalo fui para uma das geniais arquibancadas de madeira e lá conversei bastante com o Ricardo. Pude entender um pouquinho mais o trabalho que ele faz e vi que ele é realmente nossa versão por lá, já que como eu, ele faz esse tipo de divulgação na base da paixão, sem nenhum reconhecimento comercial. Como já dizia o desaparecido e "ex-amigo" Jurandyr, o futebol tem linguagem universal.


Zaga do Pudahuel protegendo a pelota. O genial é que dá pra ver o uniforme completo do time na imagem. Foto: Fernando Martinez.


Goleiro "Chino" saindo do gol e subindo no segundo andar para fazer a defesa. Foto: Fernando Martinez.


Raro ataque do Incas no tempo final. Foto: Fernando Martinez.


Visão geral do Estadio Municipal Las Rejas, acanhado mas muito simpático. Foto: Fernando Martinez.

O papo ainda estava rolando quando o segundo tempo começou, e logo nos primeiros movimentos ficou claro que o panorama seria outro. O Pudahuel Barrancas voltou muito melhor e não deu o menor espaço para o time alvirrubro. Não demorou muito para o jogador Nelson Hermosilla deixar tudo igual completando na pequena área um cruzamento da esquerda.

Os Incas até tentaram relembrar o bom futebol do tempo inicial, porém não tiveram sucesso. O "Puda" se mostrava tranquilo na defesa e objetivo no ataque. Numa ofensiva fulminante por volta dos trinta minutos Nelson Hermosilla, o artilheiro da tarde, recebeu pela esquerda e chutou forte para virar o placar. A meia dúzia de torcedores do time comemorou bastante.

No fim, o placar ficou em Incas del Sur 1-2 Pudahuel Barrancas. Jogo bom, os dois times marcaram, muitas chances de gol... não poderia ser melhor minha estreia em terras chilenas. Posso dizer que o nível técnico foi similar a muitas partidas que assisti na Segundona nessa temporada. A diferença técnica é inegável, mas dentro de campo tudo é muito parecido.


Nelson Hermosilla comemorando o gol de empate do Puda. Foto: Fernando Martinez.



Mais dois lances nos minutos finais da partida. Foto: Fernando Martinez.

Não demorei muito para sair do estádio e pegar o caminho de volta até a Estação Las Rejas e depois para meu hotel. Afinal de contas, não queria perder nenhum segundo da rodada inaugural da Copa do Mundo Sub-17. Teve palco histórico do futebol mundial aparecendo pela primeira vez nas nossas páginas.

Até lá!

Fernando

2 comentários:

  1. Já comentei contigo, mas acho que merece comentar aqui. O trabalho que você faz é único! Pode ter certeza que teu trabalho deve ser referência pra qualquer jornalista esportivo que se preze.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo seu trabalho, acompanho seu blog há tempos e ressalto sua dedicação e amor pelo futebol. Já te vi no Canindé, mas se quiser fazer uma cobertura dessa no Uruguay, to dentro!

    ResponderExcluir