Procure no JP

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Empate dramático no Nicolau Alayon pela Série A3

Fala povo!

Depois da rodada dupla na manhã do sábado, eu e o seu Natal continuamos na Rua Comendador Souza para a partida da tarde. E dentro das dependências do clube, almoçamos e fomos andar pelas alamedas do clube da Barra Funda, tudo para passar o tempo. Voltando então para dentro do Estádio Nicolau Alayon, um perdido David chegou para acompanhar também um jogo decisivo pelo Campeonato Paulista da Série A3, entre Nacional e São Carlos.

Vi também por lá o amigo Rodrigo Ramos, mordomo do time sãocarlense e que é amigo do pessoal do JP de longa data. E como de praxe, fui devidamente autorizado para as fotos oficiais da partida, novamente de forma exclusiva aqui no blog de futebol mais cult do Brasil:


Nacional AC - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


São Carlos FL - São Carlos/SP. Foto: Fernando Martinez.


Os capitães das equipes com o árbitro Leonardo Ferreira Lima, os auxiliares Giovani César Canzian e Jairo Martins de França e o quatro árbitro Gilmar Pedroso Rocha. Foto: Fernando Martinez.

E esperar o quê de um jogo que reunia um time que não tinha somado nenhum ponto em três jogos pela Segunda Fase, que perdeu em casa para o mesmo adversário por três a zero e que chegou de uma desgastante viagem poucas horas antes do jogo contra outro time que buscava o tão sonhado acesso à A2 em 2009 e que caso ganhasse, dependeria somente de si para subir de divisão? A resposta é fácil, mas em campo rolou tudo diferente do prognóstico.

Logo aos 4 minutos, numa falta bem longe do gol, o jogador Rick bateu com classe e a bola entrou no canto esquerdo do goleiro Aranha, que para muitos torcedores do Naça, falhou no lance. O time visitante fazia 1 a 0 no placar e dava mostras que o jogo seria dramático para os donos da casa.


Jogada do ataque do São Carlos na lateral de campo. Foto: Fernando Martinez.

O time do Nacional se lançou ao ataque e jogando bem perdeu ótimas chances para empatar. As duas oportunidades mais agudas aconteceram numa inacreditável bola na trave e num milagre do goleiro Edney, que defendeu uma bola à queima-roupa, chutava da pequena área. E o São Carlos também levava perigo, em chutes que assustavam o goleiro nacionalino e a torcida presente.


Goleiro do São Carlos sai em cima de atacante do Naça, evitando o empate. Foto: Fernando Martinez.

O jogo seguia quase num ataque contra defesa, faltando apenas o gol para selar o amplo domínio do Naça. Mas aos 39 minutos um dos gols mais bizarros que eu vi ao vivo num estádio aconteceu. Depois de uma bola fraca, recuada de cabeça pelo zagueiro Alisson até o goleiro Aranha, ela quicou levemente na frente do arqueiro. Ele então tomou um chapéu da bola e viu ela entrar lentamente dentro do seu gol. O São Carlos fazia 2 a 0 de forma realmente inacreditável, e deixava o pessoal furioso com a falha do goleiro, que já tinha salvo o Naça em tantos jogos antes.


Falta que levou bastante perigo à meta sãocarlense. Foto: Fernando Martinez.

Fazer um gol antes do intervalo então era o que todos esperavam e isso aconteceu aos 44 minutos, em ótima jogada de Toco pela direita, que tocou com estilo para o zagueiro Dracena encher o pé e ver a bola passar debaixo do goleiro antes de entrar. Intervalo de jogo, jogo 2 a 1 para os visitantes, e o Nacional prometendo pressão total na segunda etapa.

Mas antes do primeiro tempo acabar, o atacante Rodrigão caiu e fraturou seu braço. O Nacional, com sua ambulância Caravan 1982 álcool, ficou à postos para levar o atacante ao hospital. Vale ressaltar que a lesão foi feia, e arrepios em todos que se encontravam perto da ambulância foram sentidos quando o braço quebrado foi visto em detalhes por todos. E pela fisionomia do atleta, a dor era demais mesmo...


Lorenzo, Paolo, David e o seu Natal apreensivos com a partida no primeiro tempo e detalhe da ambulância do Naça levando o jogador do São Carlos com seu braço quebrado. Fotos: Fernando Martinez.

E graças à ambulância ter ido levar o jogador, o intervalo demorou quase 40 minutos, com todo mundo esperando o veículo voltar. Lá então ficamos conversando sobre histórias da vida com o Paolo Gregori e seu filho Lorenzo, o hooligan da Comendador, e parte da torcida do Naça. A esperança era da virada no segundo tempo.

Mas quando a ambulância chegou e o jogo recomeçou, não demorou muito para que a esperança fosse substituída por mais raiva. Após lançamento da esquerda, o jogador Alan dominou e chutou cruzado para deixar o São Carlos ainda com mais vantagem no placar.


Zaga do São Carlos não dando espaços no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.

Tudo parecia perdido, ainda mais porquê o time da casa insistia em perder gols fáceis e também insistia nos passes errados. O tempo ia passando e a esperança que era muita, ia rareando nas arquibancadas. Mas aos 24 minutos a injeção de ânimo que todos precisavam: o jogador Leandrão sofreu pênalti e o atacante Rogério diminuiu para 3 a 2.


Segundo gol do Nacional, enchendo de esperança sua torcida. Foto: Fernando Martinez.

Nem preciso dizer que daí para frente o Nacional se lançou de vez ao ataque e a partida adquiriu ares ainda mais dramáticos. A equipe sofreu com alguns contra-ataques, mas a quantidade de chances desperdiçadas na frente foi de assustar. E com a derrota, os dois times praticamente dariam adeus à chance do acesso para a A2.

O sol ia baixando e o time ia insistindo para tentar ao menos o empate. Então, de forma heróica, o time da casa chegou a igualdade aos 43 minutos. Num cruzamento preciso da direita, o jogador e amigo do seu Natal Uóchinton, que já deu as caras aqui quando jogava pelo Mogi das Cruzes, subiu mais alto e estufou as redes. Festa no Nacional!


Exato momento do gol de empate do Nacional, marcado pelo atacante Uóchiton. Notem que o zagueiro visitante quase pega na bola. Foto: Fernando Martinez.

Após do gol o atacante Leandrão ainda teve a chance da virada nos acréscimos, mas frente-a-frente com o goleiro e sem marcação, chutou para fora, rente à trave esquerda do goleiro. Final de jogo: Nacional 3-3 São Carlos. Como partida, um jogo fantástico e cheio de alternativas, mas para o Nacional um desastre, já que o time não depende mais de si para garantir o acesso. O São Carlos por sua vez foi eliminado e União Barbarense e Flamengo, os outros times do grupo, estão quase lá.

Bom, depois do jogo fomos para o centro de São Paulo curtir iguarias que só existem por lá e já combinando qual seria a rodada do domingo. Tem mais time na Lista em breve...

Abraços

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário