Procure no JP

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Feriadão com Nacional, Votuporanguense e 0x0 no Alayon

Texto e fotos: Fernando Martinez


Três dias após empatar com o Comercial de Ribeirão Preto de forma heroica, o Nacional voltou ao gramado do Estádio Nicolau Alayon para a penúltima partida da segunda fase da Copa Paulista. O adversário era o líder do Grupo 7, o CA Votuporanguense, time que em sua curta história nunca perdeu pra o onze ferroviário.

Até então haviam sido disputados quatro jogos entre os dois com duas vitórias alvinegras e dois empates. As igualdades aconteceram nas duas pelejas realizadas em São Paulo, as duas com cobertura do blog: um 2x2 sensacional valendo pela Segundona de 2012 e um 1x1 pela A3 do ano passado na Rua Javari.


Nacional Atlético Clube - São Paulo/SP


Clube Atlético Votuporanguense - Votuporanga/SP


Quarteto de arbitragem composto pelo árbitro Rodrigo Gomes Domingues, os assistentes Leandro Fernandes Rodrigues e Vladimir Nunes da Silva e o quarto árbitro Rodrigo Santos junto com os capitães dos times

O quórum de amigos foi enorme para essa apresentação, muito por conta da agradável tarde de um sempre bem vindo feriado. O público da peleja foi de 343 pagantes, e se levarmos em conta o padrão atual de presença na Comendador Souza, foi um público ótimo.

Depois de fazer as fotos oficiais nem fiquei muito no campo por conta do calor. Da parte coberta vi os donos da casa jogaram bem praticamente durante todo o tempo. O CAV, ainda invicto na disputa dessa fase, não foi capaz de mostrar o futebol que o levou à liderança da chave e também o volume de jogo dos 3x0 aplicados no Nacional no primeiro turno.


O Nacional ocupou o campo de defesa do CAV na maior parte do tempo


Rara chegada do time visitante no ataque


O onze ferroviário tentou várias vezes o lançamento pelo alto na área


Boa saída do goleiro Gatti na meta do CAV

O problema para os locais foi a segura atuação do goleiro Gatti. O camisa 1 mostrou muito serviço e impediu que o Nacional abrisse o marcador, principalmente no primeiro tempo, em chances agudas de Jobson e Emerson Mi. Já nos últimos 45 minutos aconteceu o lance mais polêmico da tarde.

Eram passados oito minutos quando Marcão anotou de cabeça o gol visitante. Num primeiro momento o tento foi validado pelo árbitro, mas depois de uma conversa com o assistente número 1 e o quarto árbitro, ele voltou atrás. Assim como no duelo contra o Bafo, muita confusão em campo e paralisação por vários minutos.


Ainda no tempo inicial, ótima chance local e boa defesa do camisa 1


A zaga nacionalina deu poucos espaços para o ataque adversário


Outra investida do time paulistano

Quando os ânimos esfriaram, o escrete paulistano continuou melhor porém sem levar muito perigo à meta alvinegra. Sendo assim, a peleja terminou como começou: Nacional 0-0 CA Votuporanguense. No quinto compromisso entre os dois times, a quinta partida sem vitória paulistana. Um pequeno e já incômodo tabu a favor do onze do interior.

Com o empate entre Red Bull e Comercial, o Naça agora precisa empatar com os campineiros na rodada final e torcer que o onze ribeirão-pretano não derrote o CAV em Votuporanga. Uma vitória classifica o time da capital para as quartas-de-final sem depender de ninguém.

Assim como aconteceu sábado, o pós-jogo foi genial com direito a mais uma visita de vários amigos à minha humilde residência. Um dia bastante proveitoso, eu diria.

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário