Procure no JP

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Portuguesa empata com o Londrina e continua fora do G4


Foi sofrido e bastante complicado, mas no sábado de manhã encarei uma sessão matutina de futebol debaixo de um sol insuportável que me fez lembrar os piores dias do verão tropical. Tudo para ver o raro confronto entre Portuguesa e Londrina abrindo o returno do Campeonato Brasileiro da Série C no Estádio Oswaldo Teixeira Duarte, o bom e velho Canindé.

Apesar de tanta tradição envolvida, poucos foram os confrontos entre os dois através dos tempos. Para ser mais preciso, foram apenas oito: três amistosos entre 1957 e 1962, dois no Brasileiro de 1976, um na Taça de Prata de 1983, dois na Série B de 2003 e 2004 e o jogo de ida da terceirona em 2015. A Lusa venceu quatro vezes, a última vez há 39 anos atrás. Já o último confronto na casa rubro-verde foi há 32 anos.



Portuguesa e Londrina posados antes do jogo do sábado. Detalhe que a foto do time paranaense é exclusiva do JP. Fotos: Fernando Martinez.

A maior parte dos torcedores pode até gostar, mas eu particularmente acho um porre jogo profissional num sábado ou domingo de manhã. Mais de duas mil pessoas não concordaram comigo e pagaram ingresso para ver a Portuguesa tentar entrar no G4 do certame pela primeira vez. Entre os pagantes, os amigos Paulo "Shrek", Mário, Rodrigo Leite, Bruno e o "santista" Victor de Andrade.

Vimos um primeiro tempo muito ruim debaixo de muito calor. Os donos da casa não conseguiram mostrar um futebol razoável e a exigente torcida foi se irritando a cada passe errado e também a cada ataque perdido. O primeiro chute local foi tímido e aconteceu aos 11 minutos através de Mateus. Sem fazer muita força, o goleiro londrinense Vítor fez boa defesa.

Aos 13 o onze visitante abriu o placar com Vitinho completando de cabeça um bom cruzamento de Rafael Gava pela direita. O gol fez com que os locais se perdessem no belo gramado e então o Londrina passou a ser dono absoluto da peleja. Aos 38 minutos o Tubarão perdeu grande oportunidade de ampliar a vantagem quando Edmar chutou na trave.

No último minuto aconteceu a melhor chance para os rubro-verdes com Hugo. Para a tristeza dos torcedores Vítor fez boa intervenção e o gol não saiu. Ao final do primeiro tempo, os times foram para os vestiários e eu fui para a tribuna de imprensa, vencido inapelavelmente pelo fortíssimo sol do meio-dia. Aproveito e deixo a pergunta: aonde está o inverno? Se alguém souber, por favor chame de volta para essas bandas.


Jogador da Portuguesa tentando roubar a bola na linha de fundo. Foto: Fernando Martinez.


Torcida do Londrina comemorando o gol de Vitinho aos 13 do tempo inicial. Foto: Fernando Martinez.


Desarme lusitano no meio-campo. Foto: Fernando Martinez.


Julinho atacando pela esquerda. Foto: Fernando Martinez.


Boa chegada lusitana, agora pela direita. Foto: Fernando Martinez.


Vítor saindo do gol para fazer fácil defesa. Foto: Fernando Martinez.

Já na sombra e curtindo as cabines do velho estádio, o segundo tempo começou com a Portuguesa mostrando uma postura bem diferente. O time foi bem e preocupou a zaga do Londrina. Só que o Tubarão não deixou de atacar, e durante todos os 45 minutos finais tivemos bastante emoção para os dois lados.

Aos seis minutos o LEC mandou uma bola na trave com Edmar. Aos oito Rafael Gava chegou novamente com perigo. Aos 14 a Portuguesa conseguiu deixar tudo igual com o gol contra de Ítalo. Julinho cruzou da esquerda e o zagueiro, no afã (sempre quis usar essa palavra) de cortar, colocou a pelota dentro do próprio gol. No minuto seguinte, quase aconteceu a virada lusitana em chute na trave.

O jogo estava eletrizante, mas aos poucos a Lusa foi sossegando o facho, parecendo que estava satisfeita com o 1x1. Aos 24 o Tubarão perdeu outra grande oportunidade com Magno. O jogo seguia animado e mesmo com a Portuguesa tendo mais posse de bola, o Londrina era mais perigoso nos contra-ataques. No último minuto por muito pouco os visitantes não fizeram o segundo quando Rafael Gava cobrou falta e a pelota bateu de novo na trave. Em bolas na trave, o LEC venceu por 3x1.



Momento do gol de empate da Portuguesa, marcado pelo zagueiro londrinense Ítalo. Fotos: Fernando Martinez.


Zaga do Tubarão afastando a pelota da sua área. Foto: Fernando Martinez.


No último lance da peleja, Rafael Gava mandou a bola na trave da Portuguesa. Foto: Fernando Martinez.

Ao final dos 90 minutos o resultado final ficou em Portuguesa 1-1 Londrina. O empate não tirou o alvi-azul do G4 e o clube agora soma 17 pontos, igual Tupi e Juventude e ocupando a quarta posição por contra dos critérios de desempate. A Lusa permanece em quinto com 15 pontos. Na próxima rodada os paranaenses recebem o Guarani e o time paulista visita o invicto Brasil de Pelotas.

Encontrei toda a rapaziada esperta na saída do estádio e dali seguimos para uma edição reduzida - reduzida sim, mas como sempre bastante eficaz - do tradicional Dia do Gordo antes da sessão vespertina. Na pauta, mais uma peleja da Segundona Paulista

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário