Procure no JP

terça-feira, 28 de julho de 2015

Red Bull derrota o Inter de Lages e vence a primeira na Série D


O Campeonato Brasileiro da Série D chegou à sua terceira rodada, com certeza a que eu mais esperava de toda a primeira fase, no sábado e domingo passados. A ansiedade se explica, já que fazia tempo que não tinha a chance de colocar dois times profissionais na minha Lista num mesmo fim de semana. A primeira missão era num daqueles confrontos absolutamente imperdíveis que só a quarta divisão pode nos proporcionar: Red Bull x Internacional de Lages no Estádio Moisés Lucarelli.

Todo moleque que cresceu nos anos 80 começou a expandir o mundo futebolístico lendo a Placar. Como a maioria dos leitores sabe, a genial revista trazia toda semana escudinhos e times de botão, e numa das edições por volta de 1987 ou 1988, eles publicaram o jogo do genial Colorado Lageano. Montei a equipe para a minha coleção pessoal e desde então o time passou a ser um dos preferidos da casa.

A equipe passou por maus bocados nos anos 90 e nos anos 2000, e somente nos últimos anos o cenário mudou, muito por conta do bom trabalho realizado por toda a diretoria da agremiação. O ápice chegou nessa temporada com o quarto lugar no campeonato catarinense e a classificação para a Série D. Vale registrar que esse é um dos principais momentos da história do time.

É a primeira vez que a equipe joga qualquer nível do Brasileirão em todos os tempos e apenas a segunda vez que o clube participa de uma competição nacional até hoje. A primeira foi a longínqua Copa Brasil de 1966, certame em que fez apenas duas partidas - empate por 3x3 e derrota por 2x0 - contra o falecido Ferroviário do Paraná.

Por vários fatores nunca tive a oportunidade de colocar o Inter na minha Lista. Um deles, claro, o fato do time nunca ter jogado por aqui. Já suspeitava que a equipe faria sua estreia no estado nesse compromisso e durante a semana passada confirmei que o time, além de nunca ter vindo para São Paulo, nunca tinha saído da região Sul para um jogo oficial.

Assim como seu rival do sábado, o Red Bull também debuta num Brasileiro nesse ano. A equipe se classificou por conta da bela campanha no estadual - sexto lugar - e fez nessa pugna sua primeira apresentação como mandante (a estreia foi com uma derrota por 2x1 para o Operário em Ponta Grossa). Vi alguns compromissos marcantes do clube desde sua fundação e não tinha como ficar de fora dessa.

A chuva da sexta-feira permaneceu forte durante toda a manhã do sábado, indo parar apenas na hora do almoço. Deu tempo certinho de sair de casa e ir para a Rodoviária do Tietê sem me molhar. Ali encontrei todo o grupo de amigos que me fez companhia na viagem - o sumido $eu Natal, Renato, Rodrigo, Bruno e Mário - e sem demora logo estávamos no possante busão da Cometa com destino a Campinas.

Chegando lá o fotógrafo das estrelas campineiras Luciano Claudino surgiu para fornecer aquela carona esperta até a casa ponte-pretana. Logo fui ao campo e por cerca de quarenta minutos conversei com os presidentes das duas agremiações antes dos times irem a campo. Aquele papo social repleto de informações ótimas que não podem ser registradas no post.



O Red Bull posou direitinho para sua primeira imagem como mandante numa competição nacional, mas não dá pra dizer o mesmo do Internacional. Dois atletas apressados meio que estragaram a imagem histórica, mas tá valendo. Fotos: Fernando Martinez.


Capitães dos times junto com o árbitro mineiro Wanderson Alves de Sousa e os assistentes paulistas Leandro Matos Feitosa e Fábio Rogerio Baesteiro. Foto: Fernando Martinez.

Falei da chuva e juro que imaginei que ela estava fora do cenário da tarde em Campinas. Me enganei redondamente, pois não deu nem cinco minutos e São Pedro colocou as manguinhas de fora mandando na cabeça de todos um temporal absurdo. O que me salvou foi uma pequena parte coberta que fica ao lado do vestiário local. Fiquei com a visão um tanto quanto limitada durante todos os 45 minutos iniciais, mas pelo menos não perdi muita coisa.

Dali vi um jogo truncado e bastante prejudicado pelo estado do gramado (a rima foi inevitável). O Inter até começou bem, mas faltou objetividade para seus atacantes. O Red Bull teve mais a bola nos pés mas nem chegou perto do gol do Colorado. Aos 21 minutos Schwenk, camisa 9 do onze lageano, foi expulso depois de dar uma cotovelada em Luan. A visão geral foi que os dois deveriam ter sido expulsos, mas o árbitro não pensou assim. O panorama mudou após desse lance.

Aos 25 minutos o onze campineiro teve um pênalti a seu favor, marcação que foi muito contestada pelos atletas catarinenses. Marcelo Cordeiro foi mal na cobrança e chutou a penalidade na trave direita de Renan. O arqueiro foi responsável direto pelo marcador não ter sido aberto no tempo inicial com uma belíssima defesa nos minutos finais.


Marcação firme de atleta do Inter. Foto: Fernando Martinez.


Bola zanzando na área do Red Bull. Foto: Fernando Martinez.


Marcelo Cordeiro chuta e perde a chance de abrir o marcador para o time da casa. Foto: Fernando Martinez.


Dilúvio e disputa de bola pelo alto. Foto: Fernando Martinez.


O onze campineiro iniciando mais uma ofensiva. Foto: Fernando Martinez.

No tempo final a chuva deu uma trégua e o Red Bull foi melhor, se aproveitando muito do fato de ter um jogador a mais. Romão, aquele mesmo ex-Capivariano, entrou e marcou o primeiro gol aos 12 minutos após completar um cruzamento da direita. Aos 14 Júnior Fell foi expulso e deixou o Inter com dois a menos, complicando em definitivo a situação alvirrubra.

Aí a situação local ficou mais tranquila do que nunca e foi relativamente fácil segurar a vantagem no placar. O Red Bull chegou perto de ampliar por mais de uma vez mas o gol aconteceu somente aos 47 minutos com um golaço de Wellington, que também havia entrado durante o tempo final. Ele invadiu na área, deu um corte na zaga e chutou no ângulo com extrema categoria.


Ataque do Red Bull já dentro da área do Colorado no tempo final. Foto: Fernando Martinez.


Boa saída do goleiro do Inter. Foto: Fernando Martinez.


Futebol submarino no Moisés Lucarelli. Foto: Fernando Martinez.


Com dois a menos, o Inter não conseguiu arranjar forças para chegar no setor ofensivo. Foto: Fernando Martinez.


Mais uma chance de gol para o time paulista. Foto: Fernando Martinez.

Fim de jogo: Red Bull 2-0 Inter de Lages. Acabei vendo a primeira vitória dos touros vermelhos num campeonato brasileiro em todos os tempos, com certeza uma data importante para a (ainda) curta história da equipe. O triunfo colocou o time paulista na terceira colocação do Grupo A7 com três pontos, à frente do onze catarinense no saldo de gols. Tempo há de sobra para todos ainda buscarem um espaço nas oitavas-de-final.

Após todo aquele mise-en-scène comum que rola dentro e fora de campo, saímos do Moisés Lucarelli e emendamos um tradiconalíssimo Dia do Gordo no Gordão, lanchonete sensação para todos que curtem uma culinária nada saudável. Entre porções de fritas e sanduíches monstro, demos muitas risadas já armando a rodada do domingo. Teve mais time novo na Lista.

Até lá!

Fernando

2 comentários: