Procure no JP

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Nacional vacila e apenas empata com o Guarujá

Fala, pessoal!

Depois de uma semana inteira sem futebol, no sábado e domingo marquei presença em três partidas válidas pela quarta rodada da fase inicial do Campeonato Paulista da Segunda Divisão. A primeira pedida foi acompanhar mais uma apresentação do Nacional no Estádio Nicolau Alayon, o lugar mais legal para se ver uma peleja aos sábados de tarde. O adversário dessa vez foi o vice-líder da chave AD Guarujá.


Nacional AC - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


AD Guarujá - Guarujá/SP. Foto: Fernando Martinez.

O atual líder do Grupo 6 da Segundona ostentava uma campanha com 100% de aproveitamento e queria vencer o time do litoral para disparar de vez na primeira colocação da chave, encaminhando bem a classificação para a segunda fase. O Tubarão buscava confirmar o bom momento obtido depois de golear o Guarulhos na rodada anterior.


Capitães dos times junto ao árbitro Alexandre Luis Gonçalves e assistentes Carlos Augusto Nogueira Junior e Eduardo Vequi Marciano. Foto: Fernando Martinez.

No post sobre a vitória do Naça na semana passada falei sobre as várias marcas que o time ferroviário quebrou, uma delas a de ter sido a quarta partida seguida válida pelo estadual sem que a defesa fosse vazada. Para "estragar" essa escrita, logo aos 4 minutos o Nacional tomou o gol. Após cruzamento da esquerda, Café aproveitou o vacilo geral da zaga e deixou o time visitante em vantagem.


Jogador do Nacional acossando atleta do Guarujá. Foto: Fernando Martinez.

Essa foi a única chegada guarujaense durante todo o tempo inicial. Os donos da casa ocuparam o setor defensivo visitante, mas entre boas defesas de Diego e ataques bisonhamente desperdiçados, o Tubarão foi se segurando como pôde. Aos 21 minutos Willians, atacante local, e Douglas, zagueiro do ADG, foram expulsos. Aos 22, finalmente o empate aconteceu nos pés de Caio Mendes depois de bola rebatida pelo zagueiro.


Ataque do Nacional pela direita. Foto: Fernando Martinez.


Lance do primeiro gol local. Foto: Fernando Martinez.

Os locais continuaram melhores e poderiam ter feito pelo menos mais dois gols que não seria nenhum exagero. Como no futebol não existe justiça, os times foram para os vestiários com o 1x1 estampado no placar da Comendador Souza. O Guarujá voltou melhor para o tempo final e equilibrou a peleja. O arqueiro local Felipe Lacerda passou a ter bastante trabalho.


Grande chance nacionalina que bateu na trave. Foto: Fernando Martinez.

A melhor chance do Guarujá aconteceu justamente em lance envolvendo o arqueiro nacionalino. Ao tentar fazer uma simples defesa em chute da direita, o camisa 1 deixou a pelota escapar dos seus braços e ele salvou o segundo gol pegando o rabo de foguete em cima da linha.


Zagueiro guarujaense tentando proteger a pelota. Foto: Fernando Martinez.

Aos 22, tudo mudou com a expulsão de Barroso, camisa 4 do Guarujá. Com um a mais o Nacional voltou a dominar o jogo. Cinco minutos depois o time virou o marcador com o gol do artilheiro Sócrates. Daí até o fim o que se viu foi uma avalanche de oportunidades de gol jogadas no lixo, algumas por pura displicência. A maior numa bola tirada em cima da linha pela zaga.


Depois da expulsão de Barroso, só deu Nacional. Foto: Fernando Martinez.

O Guarujá estava mortinho e parecia que a vitória paulistana estava garantida. Mas no melhor esquema do "quem não faz, toma", o time da casa conseguiu a proeza de sofrer o empate aos 46 minutos tomando um contra-ataque mesmo com um a mais. Edimílson apareceu entre os zagueiros e tocou por cobertura, aproveitando a saída afobada do goleiro local.



Duas grandes chances de gol desperdiçadas pelo ataque do Nacional. Foto: Fernando Martinez.

O placar final de Nacional 2-2 Guarujá foi um grande castigo para o escrete ferroviário, mas pode servir de alerta avisando que o time não vai vencer seus jogos quando quiser. Mesmo na liderança do grupo, a seriedade tem que existir durante os 90 minutos, caso contrário irá amargar mais um ano sem o acesso. Para o Tubarão o resultado foi heroico e agora a equipe está na terceira colocação da chave com cinco pontos ganhos.

Saí da Comendador Souza ainda com dúvidas sobre o que iria fazer no domingo. Algumas ligações telefônicas me animaram e acabei me preparando para encarar uma ótima rodada dupla no alto Tietê, a única possível nessa fase inicial da Segundona.

Até lá!

Fernando

Um comentário:

  1. SR. FERNANDO QUANDO VOCES VAO ATUALIZAR OS JOGOS PERDIDOS DO ALTO TIETE. E QUANDO VOCES VAO FAZER UM JOGO DA PORTUGUESA SANTISTA A BRIOSA DE SANTOS EM ULRICO MURSA. ME RESPONDA COM URGENCIA. PORQUE O SR.NAAO TEM RESPONDIDO TUDO QUE ESCREVO EPEO. UM ABRAÇO DIA 05 05 2014 MAIO 2 FEIRA.

    ResponderExcluir