Procure no JP

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

O líder Bernô vacila e apenas empata com o Fernandópolis no Baetão


Teve muito trânsito, muito frio e muita chuva, mas na última sexta-feira superei esses adversários com louvor e mantive de forma hercúlea os 100% de aproveitamento (onze jogos vistos em onze realizados) nos compromissos do São Bernardo no Campeonato Paulista da Segunda Divisão atuando na Boate Baetão. O adversário pela quarta rodada do turno do Grupo 4 foi o Fernandópolis FC, num duelo que não acontecia desde o ano 2000.

Lutando por uma vaguinha na A3 de 2016, o Bernô estava na vice-liderança da chave antes dessa rodada com sete pontos. A líder era a Inter de Bebedouro com a mesma pontuação, mas com um saldo maior, e logo depois o Fefecê era o terceiro colocado com seis pontos. Um triunfo alvinegro jogando contra um adversário direto pela vaga era essencial.

Cheguei no estádio debaixo de um temporal, e como há tinha me molhado o suficiente não teve como ir para o inundado gramado sintético do local para fazer as fotos posadas. Uma pena, ainda mais por ter perdido a imagem oficial do time visitante. Aliás, vale registrar como está horrível a camisa da gloriosa agremiação interiorana. Tudo bem, entendemos que o clube precisa de grana e a iniciativa é válida, mas é inegável que o manto do Fefecê está completamente deformado. Retrato do futebol atual.


Times perfilados para o Hino Nacional Brasileiro. Foto: Fernando Martinez.

O público mais uma vez decepcionou - apenas 91 pagantes - e o primeiro tempo também foi muito abaixo do esperado. Os times não conseguiram driblar o pesado gramado e a peleja praticamente não teve emoção. Difícil relatar algo de positivo a não ser o sempre agradável papo com a rapaziada presente. Obviamente o tempo inicial ficou no 0x0.

No segundo, já sem chuva e com o gramado menos encharcado, o São Bernardo voltou muito melhor do que o Fernandópolis. O setor ofensivo local infernizou a zaga visitante levando muito perigo à meta defendida por Rafinha. Logo no começo o alvinegro quase abriu o placar em chute de longe que tirou tinta da trave.

Aos 11, o meia Chuck sofreu pênalti, mas a arbitragem nada marcou. Aos 17 a maior e mais cristalina chance do Bernô... aliás, não foi uma, e sim três oportunidades seguidas para o time do ABC abrir o marcador. Primeiro Rafinha fez grande defesa em chute cruzado. No rebote, Washington mandou na trave sem marcação. Ele mesmo pegou a sobra na pequena área e chutou por cima. Um lance surreal.

O Fefecê não conseguia passar do meio-campo e então finalmente aos 33 minutos o onze da Grande São Paulo fez o primeiro. Dênis cobrou falta na área e Diego Araújo desviou no meio do caminho para colocar a pelota no canto esquerdo do gol.

Depois de sofrer o gol, não restou alternativa para o Fernandópolis a não ser sair para o ataque. Mesmo assim, a pressão foi meia-bomba e nenhuma oportunidade real foi criada. Aos 44, na primeira chance importante do time durante toda a partida, o empate aconteceu. A bola foi cruzada da direita e Netinho apareceu entre os zagueiros para tocar e deixar novamente tudo igual. Um duro castigo para o Bernô e seu gol de gols perdidos por todo os 45 minutos finais.


Bola zanzando na área do São Bernardo no primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.


Ataque do Bernô pela direita, já no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.


Rara chegada do Fefecê no tempo final. Foto: Fernando Martinez.


Cobrança de falta de Dênis que originou o primeiro gol do São Bernardo. Foto: Fernando Martinez.


Disputa de bola pelo alto dentro da área visitante. Foto: Fernando Martinez.

O placar final de São Bernardo 1-1 Fernandópolis foi um banho de água fria para a torcida que foi ao Baetão. Pela segunda vez seguida como mandante o Bernô saiu na frente e tomou o empate atuando contra adversários diretos em busca do acesso. A equipe fecha o turno visitando o Manthiqueira no próximo final de semana.

O cronograma inicial de partidas não reservava nada para o sábado, mas no meio da semana pintou uma peleja muito perdida no Canindé válida pela Copa Paulista. Nada melhor do que curtir uma tarde de muito frio com jogo quase vazio.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário