Procure no JP

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Início da Segundona do Paulista sub-20 com empate em Guarulhos

Texto e fotos: Fernando Martinez


Entre 2016 e 2018 vi apenas dois jogos válidos pelo genial Campeonato Paulista sub-20 da Segunda Divisão, uma vergonha. Tentando começar 2019 numa vibe diferente, emplaquei minha estreia no certame na tarde de sexta-feira. No Estádio Antônio Soares de Oliveira, acompanhei de perto o duelo entre Flamengo de Guarulhos e o outrora poderoso Jabaquara AC pela primeira rodada do Grupo 6. 

São 30 os participantes da edição 2019. Eles foram divididos em seis chaves e os dois primeiros de cada uma se garantem nas oitavas junto com os quatro melhores terceiros colocados. Corvo e Leão da Caneleira estão no grupo de Mauaense, Mauá FC e Guarulhos. A Itapirense, atual bi-campeã, faz parte do Grupo 4. Aliás, o que tem de time legal nesse torneio não é brincadeira. A ideia é cobrir o maior número de partidas que conseguir.


Associação Atlética Flamengo (sub-20) - Guarulhos/SP


Jabaquara Atlético Clube (sub-20) - Santos/SP


Capitães dos times e trio de arbitragem

Fui sozinho até Guarulhos pegando o famoso 578 - Jardim Tranquilidade no Metrô Armênia. Cheguei na cancha a 25 minutos do apito inicial e ainda assim devo ter sido o segundo ou terceiro a entrar no local, pois as arquibancadas ainda estavam repletas de lugares vazios. Peguei as escalações e fiz as fotos oficiais das equipes antes de buscar uma sombra para curtir a etapa inicial. Como não há fiscalização em pelejas do sub-20, consigo ficar de boa em qualquer parte. Sempre com bom senso, claro.

Por tudo que o Fla vem fazendo no profissional junto com tudo que o Jabuca não fez na Segundona, de maneira lógica esperava um domínio rubro-negro. Na hora da bola rolar, os donos da casa tiveram a bola durante a maior parte do tempo e foram mais incisivos, só que chance de gol de verdade foram poucas. Como quem não quer nada, o onze santista surpreendeu, envolveu a zaga local e levou relativo perigo nos contra-ataques.

Aos oito minutos quase o clube rubro-amarelo abre o marcador numa lambança monstro do goleiro Diogo. Num recuo da intermediária, o camisa 1 deixou a pelota passar e na base do desespero teve que sair correndo para evitar o gol contra, salvando em cima da linha. Aos 17, nova falha do goleiro em falta cobrada da direita. Ele pulou, não encontrou nada e na sobra o Jabuca abriu a contagem. Por sorte, o avante jabaquarense estava impedido e o tento foi anulado.

O primeiro ataque do Flamengo com real perigo aconteceu aos 22 minutos. Em ataque pela esquerda, a bola foi cruzada na área. Um dos avantes finalizou bem e como no caminho ela bateu em um companheiro que estava impedido, o gol foi anulado. Aos 30, boa jogada de Luquinhas pela esquerda quando ele mandou na área e Vitinho, camisa 28, mesmo bem colocado no segundo pau e com a meta livre, mandou pela linha de fundo.

Já aos 37 minutos... o grande momento da tarde. Ouço desde cedo a famosa expressão "o gol que Pelé não fez" quando alguém faz um golaço do meio de campo, mas nunca tinha visto um in loco. Esse tabu acabou graças ao jabaquarense Diego. O escrete visitante teve uma falta marcada no círculo central, pouco antes da linha que divide a cancha. David colocou a bola no chão e o camisa 5, ao ver o goleiro adiantado, mandou direto. A pelota fez uma curva sensacional e bateu na trave esquerda antes de morrer no fundo da rede. Uma pintura de gol que colocou o Jabuca em vantagem.

Logo depois do gol a frente fria que estava programada para pintar no meio da tarde chegou com tudo em Guarulhos. O forte calor deu lugar a uma ventania gelada com direito a tempo fechado e bem carrancudo. Foi nesse cenário que a peleja chegou no seu intervalo. Como ia passar frio de qualquer jeito, fui acompanhar o ataque local na etapa final na linha de fundo pois acreditava que o Flamengo se lançaria em busca do empate. Bingo.


Klinsmann, o 9 rubro-negro, subindo entre a zaga jabaquarense


Dividida dentro da área visitante


Goleiro do Corvo batendo roupa no gol do Jabaquara que foi anulado pela arbitragem


Willian, camisa 2 do Flamengo, encarando a marcação


Diego, camisa 5, comemorando o "gol que Pelé não fez" em Guarulhos

Desde os primeiros movimentos ficou claro que o Jabaquara iria se defender e o Fla atacar. Aos sete, no primeiro escanteio que não foi batido curto (aliás, o dia em que for presidente do mundo eu vou proibir o escanteio curto em todo o globo) pelos locais o camisa 5 Marcão quase marca de calcanhar. Três minutos após, Allan bateu falta da esquerda, alçou dentro da área e, no segundo pau, Rafael Góes surgiu por trás da zaga e deixou tudo igual.

O Jabaquara jogava por um contra-ataque, porém não conseguiu ter calma suficiente para armar um com sucesso. O Fla ia na boa e encurralou o seu adversário, obrigando o bom goleiro Gustavo a se tornar no principal nome da etapa final. Foram vários os momentos em que o guarda-metas mostrou serviço com competência. Aos 22 Allan arriscou de longe e a pelota tirou tinta da trave. As outras finalizações - e não foram poucas - ou passaram longe do gol ou tiveram como destino as mãos seguras do camisa 1.

O Corvo chegou muito perto da virada aos 35 e ela não aconteceu pois Gustavo fez uma das defesas mais brilhantes que vi nos últimos meses. Depois de cruzamento da direita, a zaga afastou mal e a pelota sobrou nos pés de Héctor. O camisa 8 emendou de primeira um chutaço à queima-roupa quase na linha da pequena área e o goleiro, não sei como, defendeu. Ficou claro que ninguém conquistaria os três pontos. Apesar de termos uns Klinsmann no Flamengo e um Van-Baster no Jabuca, eles não foram capazes de conduzirem seus times ao triunfo.


Boa chegada guarulhense pela direita no início do tempo final


Ataque local pela esquerda do setor ofensivo


Lance do gol de empate do Flamengo, marcado por Rafael Góes (à esquerda na foto, atrás do jogador do Jabuca)


O Fla se lançou ao ataque em busca da virada, mas ela não aconteceu

O placar de Flamengo 1-1 Jabaquara marcou uma estreia até certo ponto frustrante do Corvo e foi um ótimo resultado para o Leão da Caneleira. Completando a rodada inicial da chave, o Mauaense derrotou o Guarulhos por 3x0 e terminou na liderança após a jornada de estreia. O líder vai até Santos no próximo sábado enquanto o rubro-negro visitará o Mauá FC. A primeira fase irá se encerrar no dia 21 de setembro.

Voltei à capital congelando e por conta do frio absurdo que fez no sábado e domingo acabei abandonando o cronograma original e fiquei de boa. O futebol vai voltar na semana com uma sessão genial da Copa Paulista na terça-feira à tarde, horário perfeito pensando na presença de um grande público... #sqn.

Até lá!

_________________________

Ficha Técnica: Flamengo 1-1 Jabaquara

Competição: Campeonato Paulista sub-20 da Segunda Divisão; Local: Estádio Antônio Soares de Oliveira (Guarulhos); Árbitro: Camilo Morais Zarpelão; Público e renda: Portões abertos; Cartões amarelos: Van-Baster, Ytalo (Jab); Gols: Diego 37 do 1º, Rafael Góes 9 do 2º.
Flamengo: Diogo; William (Christian), Rafael Góes, Renzo e Mikael (Pizon); Marcão, Luquinhas, Héctor e Allan; Klinsmann (Bruno Vilela) e Vitinho. Técnico: Raphael Laruccia.
Jabaquara: Gustavo; Joãozinho, Leonardo Trindade, Matheus Aragão e Matheus Barreto (Paulo Beroli); Diego, Andrey (Raudney), Rafael Benigno (Kaique) e David (Arthur); Gabriel (Van-Baster) e Daniel (Ytalo). Técnico: Fred Topp.
_____________

Nenhum comentário:

Postar um comentário