Procure no JP

sexta-feira, 3 de maio de 2019

Tudo igual na primeira decisão da A3 entre Audax e Monte Azul

Texto e fotos: Fernando Martinez


Fechando a genial rodada tripla da quarta-feira, a cereja do bolo das coberturas do Jogos Perdidos. Na sessão noturna de futebol, a agenda reservava a primeira partida da decisão do Campeonato Paulista da Série A3. Em campo, os surpreendentes e recém-promovidos Audax e Monte Azul, respectivamente oitavo e sétimo colocados na primeira fase, buscando um título que parecia impossível há algumas semanas.

O Monte Azul fez uma campanha na fase inicial apenas razoável e se classificou na penúltima rodada. Já o Audax passou perrengue e conquistou um lugar nas quartas apenas no último compromisso contra o Primavera. No duelo, que contou com a cobertura do JP, a equipe vencia por 3x1, tomou o empate e quase foi eliminada num lance nos acréscimos. O 3x3 garantiu a vaga no sufoco. Por conta do conjunto da obra, parecia que os dois eram carta fora do baralho já nas quartas de final.

É, mas o que se viu na segunda e terceira fases foi algo que desafia a lógica futebolística. Primeiro o onze osasquense enfrentou o até então invicto Velo Clube, empatou o jogo de ida sem gols e na volta emplacou uma histórica e improvável vitória por 2x0 em Rio Claro. Na semi, derrota em casa contra o Barretos pela contagem mínima e novamente um triunfo por 2x0 longe dos seus domínios, resultado que garantiu o acesso. Depois a queda em 2018, o alvirrubro retorna à A2 no ano que vem.

Passando pelos mesmos perrengues, o Monte Azul perdeu a ida da segunda fase em casa contra o Capivariano pela contagem mínima e venceu por inesperados 2x0 fora de casa. Na disputa direta do acesso contra o Desportivo Brasil, empatou sem gols como mandante e derrotou o time de Porto Feliz no Ernesto Rocco, também se garantindo na A2 de 2020. Resumindo: ambos não venceram com o mando de campo e fizeram o serviço longe das suas cidades.


Grêmio Osasco Audax Esporte Clube - Osasco/SP


Atlético Monte Azul - Monte Azul Paulista/SP


Capitães dos times junto ao árbitro Leandro Carvalho da Silva, os assistentes Mauro André de Freitas e Fabio Rogerio Baesteiro e o quarto árbitro Alysson Fernandes Matias


As taças para o campeão e vice da Série A3 de 2019

Bom, eu não estava afim de perder esse cotejo de forma alguma, então saí do Canindé após a vitória santista em cima da Portuguesa pelo Paulista Feminino e peguei um táxi junto com o Milton até o Estádio José Liberatti. Chegamos cedo e o clima era incrível, bem diferente do público praticamente inexistente na cancha durante o decorrer do certame. No total, 3,792 torcedores pagaram ingresso e ocuparam bem as arquibancadas do Rochdale. 

Para delírio da boa parte dos presentes, o primeiro tempo foi todo do Audax. Danrley Marreta teve a primeira grande chance da noite, porém ele escorregou na hora H. Aos onze, os donos da casa abriram o marcador. Num lançamento pela direita, o lateral cruzou da linha de fundo pro meio da área, a pelota passou por um atacante e sobrou para Giovanni. Ele chutou e, no caminho o tiro foi desviado por um defensor, indo morrer no fundo da rede do goleiro Caio.

Aos 21, o mesmo Giovanni obrigou o camisa 1 visitante a fazer nova defesa e no rebote ele desperdiçou. Aos 26, o merecido segundo gol saiu. Numa grande investida pela esquerda, a bola foi cruzada e mais uma vez encontrou Giovanni. Ele chutou firme, vencendo o arqueiro Caio e colocando a bola no canto direito. Antes do fim da etapa inicial, Marcondele quase fez o terceiro em lance que tirou tinta da trave. No intervalo, vantagem tranquila de 2x0 a favor do onze da Grande São Paulo.


Goleiro Caio subindo no segundo andar para defender cruzamento na área


Chute de Giovanni no segundo gol osasquense



A alucinada comemoração dos atletas do Audax pelo segundo gol praticamente em cima da imensa equipe de fotógrafos do JP


O primeiro tempo foi todo dos donos da casa. O 2x0 foi pouco

A segunda etapa começou com o Audax ainda melhor. Aos três e aos cinco minutos os osasquenses chegaram bem perto de ampliar o marcador. Primeiro foi numa chegada cara-a-cara de Matheus Azevedo que terminou em cima de Caio e a segunda com Marcondele, também jogando fora ótimo momento. O Monte Azul tomou sufoco por dez minutos e depois finalmente se achou no gramado do Rochdale. 

Como quem não quer nada, o alvi-azul reduziu o prejuízo aos 15 minutos após escanteio pela direita que terminou com cabeçada de Lucas Cezane. Encurralando o Audax, na sequência Luizinho cobrou falta com perigo e Jeferson Romário apareceu bem. Aos 26 minutos não teve como o arqueiro osasquense impedir o empate visitante. Em boa jogada pela esquerda, a bola foi alçada e Túlio, camisa 8, meteu a cabeça, fazendo o segundo do Azulão.

Os locais sentiram o golpe e não passaram mais do meio-campo, confirmando o retrospecto negativo dos promovidos no mata-mata da A3 atuando como mandantes. O pior é que nem podem reclamar, já que o Monte Azul chegou perto da virada aos 34 e 43 minutos. No primeiro, Jonathan ganhou na velocidade dos seus marcadores, entrou na área e mandou a bola perto da trave, No segundo, Danilo Medeiros teve o gol aberto à sua disposição e conseguiu a proeza de concluir pela linha de fundo.


No tempo final o Audax até começou bem, mas depois dos dez minutos o Monte Azul passou a jogar melhor


Caio fazendo fácil defesa em raro lance de ataque local


Chegada do Audax pelo meio da defesa do Monte Azul... mas o atacante estava impedido

O placar de Audax 2-2 Monte Azul foi um resultado importante para os interioranos... pelo menos no papel. Como sabemos, jogar em casa não diz muita coisa, então o clube de Osasco, que vem de duas vitórias antológicas longe dos seus domínios, vai ao Otacília Patrício Arroyo com todas as chances de conquistar o título. Certamente teremos uma peleja bastante interessante no próximo domingo.

Da minha parte, novamente foi bem legal poder acompanhar bem de perto outra decisão das divisões de acesso de São Paulo. Sempre assistia esses jogos pela televisão quando era criança e, com o ocaso da imprensa esportiva em geral, me sinto honrado em levar ao grande público as emoções de um cotejo desse porte. Como não estamos no "país do futebol" de verdade, sigo fazendo uma tremenda força para que a memória do futebol paulista seja devidamente registrada. Posso dizer que é um enorme prazer.

A agenda esportiva até tem pauta no final de semana, só que a chance de acompanhar algo in loco é pequena. Certo mesmo é retornar aos gramados na quarta-feira que vem com o Brasileiro sub-17 no Parque São Jorge. Está muito mais fácil ver futebol no meio de semana do que de domingo...

Até lá!

_________________________

Ficha Técnica: Audax 2-2 Monte Azul

Competição: Campeonato Paulista Série A3; Local: Estádio Prefeito José Liberatti (Osasco); Árbitro: Leandro Carvalho da Silva; Público: 3.792 pagantes; Renda: R$ 22.030,00; Cartões amarelos: Bruno Higor (Aud), Caio Martins (Mon); Gols: Giovanni 11 e 26 do 1º, Cezane 15 e Túlio 25 do 2º.
Audax: Jeferson Romario; Fabio K, Lucas Andrade, Bruno Higor (Wesley Bolinha) e Kallyl; Giovanni, Pablo, Azevedo e Marcondele; Danrley (Gabriel) e Samoel. Técnico: Cavalinho.
Monte Azul: Caio; Léo Felix (Danilo Mederos), Trevisan, Cezane e Gelsinho (Alan Miranda); Hugo, Tulio e Caio Martins; Jhonatan, Vinicius Piveta (Luisinho) e Gabriel Souza. Técnico: Régis Angeli.
_____________

Nenhum comentário:

Postar um comentário