Procure no JP

terça-feira, 9 de abril de 2019

Barcelona e Guarulhos ficam no zero na Rua Javari

Texto e fotos: Fernando Martinez


No final de semana, enquanto a bola rolou nas fases decisivas da A2 e A3, começou o outrora carro-chefe do JP, o Campeonato Paulista da Segunda Divisão, absurdamente limitado a atletas sub-23 desde o ano passado. Não fui em nenhum jogo no sábado e no domingo, porém na segunda-feira, enfrentando frio, chuva e uma preguiça do tamanho do mundo, fui até o Estádio Conde Rodolfo Crespi. Ali, Barcelona e Guarulhos estrearam pelo Grupo 6.

A Segundona deste ano tem a presença de 41 clubes e conta com a presença de inúmeros baluartes do interior paulista, como América, Bandeirante, Francana, Taquaritinga, XV de Jaú, Paulista, São José, Marília, entre outros, além dos "estreantes" Rio Branco e União Barbarense. Todos ostentando grande história e sabendo que precisam sair da última divisão o quanto antes. De longe é o campeonato mais difícil do estado, sem sombra de dúvida. 

Na chave 6, além do Elefante e do escrete guarulhense estão Flamengo, Mauaense, Jabaquara, Mauá FC e o genial União Suzano, retornando às competições da FPF após quatro anos. As equipes estão divididas em seis chaves e as quatro melhores se classificam. Diferente do bisonho "sorteio" do ano passado, nessa temporada haverá a famosa "mistura" de times na segunda fase. Se o fato de ser sub-23 torna o certame uma anomalia, pelo menos esse fato é algo legal.


Barcelona Esportivo Capela Ltda - São Paulo/SP


Associação Desportiva Guarulhos - Guarulhos/SP


Capitães dos times e o quarteto de arbitragem composto por Matheus Delgado Candançan, Helio Antônio de Sá, Rafael de Souza Penatte e Alef Feliciano Pereira

A peleja era pra ter sido realizada domingo cedo, mas como o Juventus recebeu o XV pelas quartas da A2, o confronto foi então remarcado para segunda às três da tarde, aquele horário espetacular preferido de dez entre dez desempregados e desocupados de plantão. Apesar do dilúvio que desabou na capital, não deixei de ir pois queria manter os 100% de aproveitamento de compromissos do Barcelona Capela como mandante desde sua volta em 2015. Foi a 30ª apresentação seguida com a minha presença e por consequência, com matéria aqui no Jogos Perdidos.

Quando estava no caminho da Rua Javari encontrei o metaleiro Renato Rocha e o seu rol de momentos surreais. Chegamos na cancha e nada indicava que uma partida oficial seria realizada ali, algo totalmente esperado, já as bilheterias estavam vazias e a movimentação era nula. Esse fato fez com que eu me surpreendesse com a boa presença de público na parte coberta - bom para os padrões do Barcelona e da competição, que fique claro -. Logo fui ao gramado e permaneci ali pelos 45 minutos inciais acompanhando o ataque local.

O primeiro tempo foi de grande movimentação, mas poucos momentos interessantes. Aos seis minutos Johnny, camisa 7 do Barcelona, chutou de longe e o goleiro Alex fez defesa segura. Quatro minutos depois, o Guarulhos atacou pela esquerda e a finalização saiu por cima do gol. Aos 13, nova chance visitante quando, após escanteio da esquerda, um dos avantes subiu sozinho e cabeceou firme, só que a bola saiu pela linha de fundo. A partir desse lance, muita chuva, sono e ação concentrada no meio de campo.


Johnny, 7 do BEC, enfrentando a marcação adversária


Samuel (9) e Jonatan (4) disputando a bola pelo alto


Zagueiro do Guarulhos sendo acossado por atletas paulistanos


De novo Samuel no ataque do Elefante, agora com a marcação de Guilherme (3)


Alex (6) tentando se desvencilhar da marcação de Wesley (2)

O aguaceiro piorou no intervalo e desisti de seguir captando as imagens de perto. A etapa final foi disputada debaixo de muito mais água e mesmo assim o panorama melhorou. O Barcelona criou duas boas oportunidades nos primeiros minutos e em ambas Alex trabalhou bem. Aos sete, faltou um detalhe para o placar ter sido inaugurado. Num escanteio a favor do Guarulhos pela esquerda, o camisa 4 Jonatan escorou no segundo pau e Weider perdeu na pequena área. Aos 10, Vinicius bateu falta a favor do Barcelona e o arqueiro visitante fez ótima defesa.

No minuto seguinte a bola foi cruzada na área paulistana e nenhum atleta do Guarulhos conseguiu completar. Weider, o principal nome do onze visitante, arriscou um tiro aos 12 e a pelota tirou tinta da trave. Aos 22, outro lance de bastante perigo a favor do tricolor da Grande São Paulo. Weider fez ótima jogada pela esquerda e obrigou Alexandre a mostrar serviço novamente. Luís Henrique ficou com o rebote e, com um toque de classe, ele tentou encobrir o camisa 1. A bola saiu por centímetros. Ali eu vi que o 0x0 seria praticamente inevitável.


No segundo tempo, o Guarulhos foi melhor do que o Barcelona


Uma das várias chegadas visitantes pelo alto


Atletas do Guarulhos se preparando para mandar a bola na área local

O cotejo continuou bem movimentado e com os visitantes mais dispostos. No fim, minha expectativa se confirmou com o resultado de Barcelona 0-0 Guarulhos. Os líderes da chave são Flamengo, que derrotou o Mauá FC, e o União Suzano, que venceu por WO o Mauaense pois o Pedro Benedetti não estava com os laudos em dia. A primeira fase vai terminar no longínquo 30 de junho, no meio da Copa América. O próximo compromisso do Elefante dentro de casa será no feriado de 1º de maio. Após esse jogo, os demais serão nas sextas (!) de tarde. Prevejo dor de cabeça para manter a sequência que vem desde 2015.

Quando a peleja acabou a chuva que já estava forte ficou ainda pior. Fui obrigado a pegar um 99 da Mooca até o Morumbi para não chegar tão atrasado no trabalho. Apesar dos inúmeros problemas que tenho passado ali, é o que está me segurando financeiramente falando, então vamos engolindo aquele sapo maroto todo santo dia que a situação do país não está nada fácil.

Até a próxima!

_________________________

Ficha Técnica: Barcelona 0-0 Guarulhos

Competição: Campeonato Paulista Segunda Divisão; Local: Estádio Conde Rodolfo Crespi (São Paulo); Árbitro: Matheus Delgado Candançan; Público: 203 pagantes; Renda: R$ 1.530,00; Cartões amarelos: Rafael e Vinícius (Bar), Tuono (Gua).
Barcelona: Alexandre; Wesley, Gerson, Alê e Rafael (Japa); Vinicius, Felix e Gui; Johnny, Samuel (Alemão) e Roni. Técnico: Adauto Marinho.
Guarulhos: Alex; Alanderson, Guilherme, Jonatan e Alex (Weider); Victor, Breno, Deivision e Luis Henrique (Arthur); Tuono (Matheus) e Guedes. Técnico: José Eduardo de Miranda.
_____________

Nenhum comentário:

Postar um comentário