Procure no JP

sexta-feira, 22 de março de 2019

Nacional volta a vencer e chega perto do G8 da Série A2

Texto e fotos: Fernando Martinez


Faltando três rodadas para o final da primeira fase do Campeonato Paulista da Série A2, a disputa pelas últimas vagas nas quartas está sensacional. Apenas seis pontos separavam o sétimo do lanterna antes da rodada de quarta-feira, e todos ainda tinham chances de estarem entre os oito classificados. Vindo de duas derrotas e ocupando a preocupante 14ª posição, o Nacional recebeu a Inter de Limeira no Estádio Nicolau Alayon precisando vencer ou vencer pensando em se afastar da zona de rebaixamento. Essa foi minha 43ª cobertura consecutiva na Comendador Souza em duelos do escrete ferroviário.

Você viu aqui no JP a derrota nacionalista no Canindé e, no domingo passado, eles perderam de novo, dessa vez pro Taubaté. Um novo revés deixaria a situação pelos lados da Água Branca muito complicada. Um triunfo contra o Leão da Paulista era absolutamente necessário. Além da dificuldade natural, o time limeirense fez 13 dos 17 pontos atuando longe de casa. Em sete jogos, foram quatro vitórias, um empate e apenas uma derrota, contra o líder Água Santa. No Major José Levi Sobrinho, nenhum triunfo, quatro empates e duas derrotas. Uma campanha bastante bizarra, sem sombra de dúvida.


Nacional Atlético Clube - São Paulo/SP


Associação Atlética Internacional - Limeira/SP


Os capitães dos times com o árbitro José Cláudio Rocha Filho, os assistentes Leandro Matos Feitosa e Leandro Alves de Souza e o quarto árbitro Paulo Santiago de Medeiros

Nessa jornada contei com a companhia da dupla alvinegra Milton e Ricardo Espina, além de Matheus Trunk, recém-chegado de sua turnê pelo Nordeste e grande rei das igrejas do Rio Grande do Norte e da Paraíba. Fazia mais de um ano que não encontrava ele que é um dos maiores experts em Boca do Lixo. Sempre é surreal escutar as histórias do amigo. Junto com essa rapaziada esperta, vi o Nacional iniciar os trabalhos jogando bem e criando duas belas oportunidades de abrir o placar. A primeira em lance de Emerson Mi sozinho na entrada da área, mas com finalização em cima do goleiro Rafael Pin. Aos 32 foi Thiago Elias que teve oportunidade na frente do arqueiro, porém novamente o camisa 1 defendeu.

Nos minutos finais a Inter melhorou e criou três ótimos momentos para abrir o marcador. Um num chute de longe e dois em cabeçadas na pequena área que obrigaram o goleiro Maurício a aparecer bem, impedindo o tento visitante. Sem um futebol de encher os olhos, novamente o primeiro tempo terminou sem que o Naça quebrasse a marca de não fazer nenhum gol atuando em casa na primeira metade dos seus compromissos. E assim como nos outros seis compromissos na capital, nos 45 minutos finais a atuação mudou da água pro vinho.


O goleiro Rafael Pin se esticando e mandando a bola longe da área


Lance de ataque nacionalista pela esquerda


Bola levantada na área limeirense em lance do final do primeiro tempo

Logo aos três minutos Matheus Lu recebeu um bom passe pela direita, avançou pelo campo de defesa da Inter e tocou no canto esquerdo de Rafael Pin, deixando o Nacional em vantagem. A equipe alvinegra sentiu o golpe e não conseguiu jogar a partir disso. Os locais estavam na boa e aos 20 ampliaram a vantagem. Após boa jogada pela esquerda, a zaga tirou e a pelota sobrou para Ortigoza no bico na grande área. Ele acertou um chutaço no ângulo esquerdo, fazendo um belíssimo gol. Quatro minutos depois Jean Pablo fez falta dura pela direita e foi expulso, complicando de vez a situação limeirense.


Zaga visitante afastando o perigo


Bola na rede da Internacional... era o terceiro gol do Nacional, marcado por Everton Tchê


Ortigoza, autor do belo segundo gol, em ataque paulistano


Placar final da importantíssima vitória do Nacional na reta final da Série A2

Sem sofrerem sustos, o Naça fechou o importante triunfo aos 38 minutos. Numa falta pela direita, a pelota foi alçada no segundo pau e Everton Tchê surgiu quase sem ãngulo, cabeceando firme e marcando o terceiro. Nos minutos restantes pintou chance de zerar o saldo de gols (que estava em -1), só que o placar não foi mais alterado... e nem precisava. O Nacional 3-0 Inter de Limeira foi a maior vitória do clube paulistano desde março do ano passado, colocou os comandados de Jorginho na nona posição com 15 pontos ganhos e dependendo apenas de si para conseguiram a classificação. Da Votuporanguense, sétima com 16 pontos, até o São Bernardo FC, 15º com 12, todos tem chance de vaga.

A bizarra performance dentro/fora de casa da Inter já foi citada, e como falei aqui na matéria de Nacional 2-1 Santo André, vale ressaltar novamente a diferença entre os primeiros e segundos tempos da agremiação da Zona Oeste no Alayon. Contando os primeiros 45 minutos apenas a campanha é de três empates, quatro derrotas, nenhum gol marcado e sete sofridos. Contando apenas a segunda etapa, cinco triunfos, dois empates, onze gols feitos e apenas um sofrido.

Na primeira fase só teremos mais um jogo lá, contra o Juventus, dia 30, e que contará com transmissão pelo SporTV. No mais, apesar de estarmos com poucas coberturas, estamos de olho no andamento da A2 e da A3. Ah, a A1? Só de longe, pois o apelo é praticamente zero.

Até a próxima!

_________________________

Ficha Técnica: Nacional 3-0 Inter de Limeira

Competição: Campeonato Paulista Série A2; Local: Estádio Nicolau Alayon (São Paulo); Árbitro: José Cláudio Rocha Filho; Público: 258 pagantes; Renda: R$ 3.190,00; Cartões amarelos: Éverton Tchê (Nac), PC e Jean Pablo (Int); Gols: Matheus Lu 3, Ortigoza 20 e Everton Tchê 38 do 2º.
Nacional: Maurício; Léo Cunha, Gabriel, Everton Dias e Caio; Everton Tchê, Thiago Elias (Josué), Negueba e Emerson Mi (Patrick) (Felipe Pernambucano); Ortigoza e Matheus Lu. Técnico: Jorginho.
Inter de Limeira: Rafael Pin; Luís Roberto (Alison), Gean, Jean Pablo e PC; França e Marquinhos; Tcharlles, Chumbinho (Nata) e Clebinho; Rodrigo Paraná (Mael). Técnico: João Vallim.
_____________

Nenhum comentário:

Postar um comentário