Procure no JP

sexta-feira, 15 de março de 2019

Goleada corintiana contra o Ríver/PI na Fazendinha

Texto e fotos: Fernando Martinez


Começou a renovada Copa do Brasil sub-20 e na tarde da última quarta-feira voltei a acompanhar o certame in loco após cinco anos. Nada melhor do que quebrar a marca com um joguinho num dos locais mais emblemáticos do futebol paulista, o Estádio Alfredo Schurig. Na minha 50ª partida na Fazendinha em todos os tempos, a molecada do Corinthians recebeu o genial Ríver do Piauí em sessão única definindo o classificado para as oitavas-de-final.

A Copa do Brasil sub-20 foi criada em 2012 e sempre teve a presença de 32 agremiações. Até o ano passado, basicamente os participantes eram todos os clubes da Série A do Brasileiro além dos doze melhores da Série B do ano anterior. Nessa temporada a CBF resolveu dar uma nova cara à competição. A partir de agora, farão parte os 27 campeões estaduais da categoria e também os cinco vices dos cinco estados melhores colocados no ranking da entidade.

Gostei bastante dessa alteração, pois transforma o certame num torneio mais democrático. O problema é que adotaram - copiada da Copa do Brasil adulta - a bizarria de jogo único na primeira fase. Como o mando é definido por sorteio, calhou do duelo entre corintianos e riverinos ser na capital bandeirante. Falando em mudanças, se eu fosse o responsável pelo departamento técnico da CBF, ampliaria o número para 64 equipes. Acho que daria liga, mas por enquanto vamos com essas alterações e tudo bem. Mostra pelo menos que eles são mais abertos à mudanças do que a FPF.


Sport Club Corinthians Paulista (sub-20) - São Paulo/SP


Ríver Atlético Clube (sub-20) - Teresina/PI


Capitães dos times e o trio de arbitragem feminino com a árbitra Edina Alves Batista e as assistentes Neuza Ines Back e Tatiane Sacilotti Camargo

O Mosqueteiro participa pela sétima vez do torneio e é o atual vice-campeão. Ano passado perdeu a decisão contra o São Paulo, naquela que foi sua melhor participação. Antes disso, só campanha horrorosa: foram eliminados na primeira fase em 2013, 2014 e 2015 e nas oitavas em 2012, 2016 e 2017. O Ríver, claro, faz sua estreia na competição após ter conquistado o título estadual do ano passado. Na Copinha, o Timão foi semi-finalista e foi eliminado invicto pelo Vasco. Os piauienses foram eliminados na fase inicial com uma vitória em cima do Jaguariúna e duas derrotas, contra Flamengo/RJ e Trindade/GO.

Não pisava no histórico gramado do estádio corintiano desde 2013 e foi demais poder voltar a fazer uma cobertura dali. Me postei junto ao ataque local e, como todos esperavam, o time de Parque São Jorge foi melhor durante quase todo o tempo inicial. Aos sete minutos, Janderson quase abriu o marcador aproveitando falha da zaga visitante e do goleiro Vinicius. Aos 13. Fabricio Oya, destaque alvinegro na Copa São Paulo, mandou bola na trave esquerda. A insistência só se traduziu em gols aos 31 minutos quando a pelota foi lançada de forma primorosa pro camisa 11 Rafael Bilu. Ele surgiu atrás da zaga, matou no peito e chutou no canto direito.

Três minutos depois, Du recebeu passe na intermediária, avançou sozinho e arriscou de longe. O camisa 5 acabou acertando o ângulo direito do arqueiro do Ríver, marcando um golaço. O onze nordestino não tinha atacado com perigo porém, aos 37, diminuiu o placar. A pelota foi alçada na área, a zaga parou, o goleiro Diego saiu todo errado e Sousa, camisa 18, tocou meio sem querer pro fundo da rede. Alguns reclamaram de impedimento e o gol foi validado mesmo assim.


Investida corintiana pela direita no começo da peleja


Bela visão do Parque São Jorge na agradável tarde de quarta-feira


Defesa do goleiro riverino em cobrança de falta local


Lance do gol estranho do Ríver. Todo mundo parou e Sousa diminuiu


Escanteio a favor dos mosqueteiros e a imagem da parte coberta da Fazendinha

Na etapa final fui até a parte coberta e, em meio aos cerca de 500 torcedores presentes, lá estava a dupla Milton Haddad/Ricardo Espina, os dois com uma alegria contagiante por estarem presentes em ambiente tão mágico. Quando a peleja recomeçou, os dois se animaram pois o Ríver estava querendo aprontar em cima dos donos da casa. Os piauienses tiveram dois ótimos momentos, um numa tentativa por cobertura que encontrou Diego ligado e outra num belo ataque pela esquerda que terminou com boa defesa do camisa 1 mosqueteiro.

Jogando na defesa, o Corinthians deu o golpe de misericórdia aos 19 minutos com a dupla de zaga. Num cruzamento pela esquerda, o capitão Ronald escorou para trás e Caetano pegou de primeira e fez o terceiro. O Ríver sentiu o gol e não teve mais forças de atacar. Assim ficou fácil pro escrete local conseguir uma goleada e a classificação. Aos 28, Rafael Bilu cruzou da direita no segundo pau. O goleiro saiu mal e Vitinho, meio sem ângulo, tocou de cabeça e fez o quarto. Fechando a goleada aos 42 o camisa 9 Nathan, também de cabeça, completou novo cruzamento, dessa vez por baixo e deu números finais ao confronto.


Chance de ouro perdida pelo Ríver no tempo final. O goleiro Diego fez boa defesa


Momento do terceiro gol do Corinthians com Ronald escorando a bola pra trás. Fora da foto, Caetano marcou


Fabricio Oya cobrando falta e levando perigo para a meta piauiense


Mesmo de longe, esse foi o quinto gol do Timão, fechando a goleada no Parque

O placar final de Corinthians 5-1 Ríver marcou o maior triunfo alvinegro na história do certame como mandante (a maior vitória geral é o 9x1 em cima do Boa/MG em 2018) e apenas a sétima na história, isso em 27 partidas disputadas. Na segunda fase, os paulistanos enfrentarão a Chapecoense em ida e volta. A Chape eliminou o Timão da Copa do Brasil sub-20 em 2017 e agora eles tem a chance de devolverem o revés de dois anos atrás. A segunda fase será disputada no fim de março e começo de abril.

Deixamos a Fazendinha e fomos dar aquela volta marota no clube. É sempre muito legal relembrar caminhos que percorri várias vezes quando era criança, época em que era sócio e frequentava as alamedas arborizadas. Dali subi até o metrô Carrão e peguei o caminho do QG. De noite, a pedida foi fazer algo que não fazia há tempos: ir no cinema. Nada melhor do que esfriar a cabeça numa semana tão pesada.

Até a próxima!

_________________________

Ficha Técnica: Corinthians 5-1 Ríver/PI

Competição: Copa do Brasil sub-20; Local: Estádio Alfredo Schurig (São Paulo); Árbitra: Edina Alves Batista; Público e renda: Portões abertos; Cartão amarelo: Ruan (Riv); Gols: Rafael Bilu 31', Du 34' e Sousa 37 do 1º, Caetano 19', Vitinho 28' e Nathan 42'.
Corinthians: Diego; Igor (Daniel Marcos), Ronald (Michel), Caetano e Lucas Piton; Du (Xavier), Janderson (Vitinho), Roni (Rael) e Fabrício Oya; Nathan e Rafael Bilu (Gustavo Mantuan). Técnico: Eduardo Barroca.
River/PI: Vinicius; Miyke, Fábio, Ismael e Pitoco; Ruan, Léo (Eduardo), Denílson (Felipe) e Juninho (Cássio); Hytalo (Giovani) e Sousa (Lucas). Técnico: Ismael Reis.
_____________

Nenhum comentário:

Postar um comentário