Procure no JP

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Nacional arranca o empate contra o Atibaia nos acréscimos

Texto e fotos: Fernando Martinez


Em meio aos infernais blocos pré-Carnaval que travam boa parte da capital paulista, na tarde de sábado fui novamente ao Estádio Nicolau Alayon ver a 41ª apresentação consecutiva do Nacional na sua casa jogando contra um velho conhecido nesses anos 10 do Século 21, o SC Atibaia. Ainda sem vencerem no Campeonato Paulista da Série A2, eram - no papel, claro - o "adversário perfeito" para a agremiação ferroviária voltar a vencer no certame. Foi o primeiro compromisso do antigo SPR como um clube centenário.

Invictos há seis compromissos, o Nacional ocupava a 10ª posição com oito pontos ganhos. Mesmo com essa invencibilidade, o fato de ter empatado cinco dos seis compromissos não ajudou muito para que entrassem no G8. Já a equipe laranja estava na antepenúltima colocação com cinco pontos. Nesse ano o Falcão virou o "Atibaia de Americana" já que vive outra temporada longe da sua cidade e soma doze jogos oficiais sem vitórias (três da Copa Paulista de 2018 e os nove desse ano).

Esse foi o 14º duelo entre Nacional e Atibaia na história. Nos treze anteriores, disputados desde 2012, o Naça venceu seis, aconteceram dois empates e cinco triunfos laranjas. Vale lembrar que essa foi mais uma espécie de reedição da inesquecível final da Segundona 2014, conquistada pelo onze paulistano no dia em que o Jogos Perdidos completou dez anos de vida. Impossível não lembrar sempre do que rolou naquela data.


Nacional Atlético Clube - São Paulo/SP


O Atibaia não posou com a desculpa de ter chegado atrasado. Fica chato não ter a foto oficial, mas aqui vai o time perfilado na hora do Hino Nacional


O quarteto de arbitragem composto pelo árbitro Rafael Gomes da Silva, os assistentes Osvaldo Apipe Filho e Leonardo Augusto Villa e a quarta árbitra Regildênia de Holanda Moura posando para as lentes do JP com os capitães dos times

Voltando a 2019, o Nacional começou a peleja à milhão. Logo no primeiro minuto, Michael Tuíque aproveitou vacilo da zaga, entrou na área e chutou forte. Caprichosamente a bola bateu na trave esquerda do arqueiro atibaiense... se ela tivesse entrado certamente teríamos um confronto diferente. Minutos depois o camisa 9 teve novo grande momento quando driblou espetacularmente dois defensores dentro da área e finalizou em cima do goleiro Ariel.

Esse foi o último bom momento local nos primeiros 45 minutos e o Atibaia, mesmo mostrando um futebol bem abaixo da média, tomou conta da partida. Bom, tomar conta naquelas, já que chance de gol mesmo não teve, apesar de ficar o tempo todo com a bola. Quando a etapa inicial estava terminando, o escrete laranja se encontrou e chegou facilmente aos 2x0.

Aos 41, Danilo tocou para Matheus e ele devolveu pro camisa 10. O meia chutou entre os zagueiros e abriu o marcador. Aos 48 saiu o segundo numa jogada que deu raiva. Os atletas paulistanos ficaram apenas olhando uma enorme troca de passes dos jogadores do Atibaia por cerca de dois minutos. Ela terminou com um perfeito passe para Wallace. O camisa 9, sem marcação, entrou na área, driblou Maurício e ampliou.


A zaga do Atibaia rasgando e mandando longe um ataque nacionalista pela direita


Michael Tuíque teve a chance de abrir o placar nesse lance, mas Ariel fez belíssima defesa


Zagueiro do Falcão se preparando pra mandar a bola fora do campo de defesa


Bola viajando dentro da área atibaiense

A atuação nacionalista foi ridícula, não há como negar. A esperança que era o técnico Jorginho pudesse arrumar a casa nos vestiários, assim como fez contra o Sertãozinho, que também teve o placar de 2x0 a favor dos visitantes no intervalo. Só que, diferente daquela vez, o Naça voltou ao relvado de novo jogando muito mal. O Atibaia recuou e os locais não conseguiram criar nenhuma oportunidade relevante até os 28 minutos. A primeira boa chance saiu aos 29 e nela diminuíram o marcador. Matheus cruzou da direita, a bola passou por todo mundo e sobrou no segundo pau. Ortigoza surgiu e fez o dele.

O tento animou os comandados de Jorginho e eles foram pra cima do setor defensivo do Falcão. Vimos quase 20 minutos de ataque contra defesa, porém, chance clara não rolou. Conforme o relógio passava, tudo indicava que o Atibaia venceria pela primeira vez na Série A2. Já estava pensando no que iria escrever em nova derrota nacionalista quando, aos 48 minutos, o milagroso empate aconteceu. Felipe Pernambuco mandou a bola na área. Michael Tuíque ajeitou e Gabriel Santos apareceu cabeceando meio sem querer no canto esquerdo de Ariel, que mandou um golpe de vista maroto e se deu mal. O 2x2 foi bastante comemorado por todos os presentes.


O Nacional retornou ao gramado pro tempo final sem se encontrar


Detalhe do lance que originou o primeiro gol do Nacional. O autor do gol foi Ortigoza


Disputa de bola pelo alto dentro da área laranja


Escanteio a favor do onze paulistano no final da peleja

No minuto seguinte os visitantes ainda tiveram uma falta a favor da entrada da área. Maurício foi bem e impediu o terceiro tento visitante. O placar final de Nacional 2-2 Atibaia não foi bom para os ferroviários, mas pelo menos evitou a tragédia de uma derrota na Comendador Souza. O antigo SPR chegou aos nove pontos e está na 11ª posição. O Falcão, ainda sem vencer, é o 14º com seis pontos. Agora faltam seis rodadas para o término da primeira fase do certame.

Mudando o foco do blog dos últimos tempos no domingo consegui emplacar uma rodada dupla com direito a A2 e A3 no cronograma, algo que não fazia desde março do ano passado. Um absurdo. Vi dois times vencerem pela primeira vez nos respectivos campeonatos nas duas sessões futebolísticas.

Até lá!

_________________________

Ficha Técnica: Nacional 2-2 Atibaia

Competição: Campeonato Paulista Série A2; Local: Estádio Nicolau Alayon (São Paulo); Árbitro: Rafael Gomes Felix da Silva; Público: 363 pagantes; Renda: R$ 4.720,00; Cartões amarelos: Éverton Tchê e Gabriel Santos (Nac), Gian, Jé e Roberto (Ati); Gols: Danilo 41 e Wallace 48 do 1º, Ortigoza 29 e Gabriel Santos 46 do 2º.
Nacional: Maurício; Léo Cunha, Gabriel Santos, Éverton Dias e Felipe Pernambuco; Bruno Sabino (Ortigoza), Danilo Negueba, Everton Tchê (Rikelmi) e Emerson Mi (Patrik); Michael Tuíque e Matheus Lu. Técnico: Jorginho.
Atibaia: Ariel; Giovani, Gabriel, Igor e Matheus; Jé, Alagoas (Willian), Gian (Roberto) e Danilo; Wallace (Márcio) e Mineiro. Técnico: Edmílson de Jesus.
_____________

Nenhum comentário:

Postar um comentário