Procure no JP

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Lagarto surpreende e quase derrota o Grêmio na Copa São Paulo

Texto e fotos: Fernando Martinez


Depois de acompanhar o triunfo do Oeste em cima do São Raimundo/RR, a Arena Barueri viu o segundo jogo da segunda rodada do Grupo 21 da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Em campo, o Grêmio, na sua eterna busca pelo primeiro título na história da competição na sua 44ª participação, enfrentou o genial Lagarto FC de Sergipe, o time de número 679 a fazer parte da minha Lista, na segunda vez em que disputam o certame.

Os gaúchos ocupam a 11º colocação entre os 403 clubes que já disputaram a Copinha em todos os tempos. A melhor colocação foi o vice-campeonato de 1991, ano em que perderam a decisão para a inesquecível Portuguesa de Dener, Sinval e companhia. A performance do escrete sergipano é muito mais modesta. A equipe fundada em 2009 estreou no torneio ano passado e não passou da primeira fase. Vale lembrar que o Esmeraldino é herdeiro do falecido Lagarto EC e, de certa forma, também da AC Lagartense.


Lagarto Futebol Clube (sub-20) - Lagarto/SE


Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense (sub-20) - Porto Alegre/RS


Capitães dos times e quarteto de arbitragem

Na estreia o onze verde e vermelho vendeu caro a derrota contra o Oeste, enquanto o Grêmio massacrou o Mundão. Pela diferença técnica e também da representatividade de ambos no cenário nacional, não imaginava que veria uma partida disputada como foi. Foram 90 minutos de ótimo nível e de um sem número de oportunidades dos dois lados. Quem ficou na Arena não se arrependeu em nenhum momento. O ataque tricolor, comandado por Léo Chu, tentou impor uma pressão no início, só que não teve sucesso.

Como desgraça pouca é bobagem, aos 10 minutos o Lagarto abriu o marcador de forma surpreendente. Numa perfeita troca de passes, Vítor tocou de primeira para Marcos Vinícius. O camisa 10 driblou Gabriel Chapecó e tocou cruzado. A festa da torcida do Oeste, todos torcendo para os sergipanos, foi grande. Três minutos depois, foi a vez do Grêmio assustar quando Léo Chu cruzou da esquerda e Da Silva chegou atrasado. Na sequência, Victor, camisa 7 do Lagarto, tentou emplacar uma bicicleta após bola alçada da direita.

Aos 23, Kazu cruzou da esquerda e Guilherme Azevedo recebeu na direita. O camisa 11 teve tempo de pensar pois os zagueiros demoraram a notar sua presença, mas o atleta conseguiu a proeza de chutar pela linha de fundo. Aos 31, quase o Lagarto amplia num belo chute de longe de Luiz Otávio em que o arqueiro Gabriel Chapecó voou e fez ótima intervenção. Léo Chu continuou infernizando a zaga sergipana em jogadas pela esquerda, porém o marcador não foi alterado ao final do tempo inicial.



Léo Chu em duas investidas pela esquerda, o lado mais vulnerável da zaga lagartense


Outra jogada pela esquerda do ataque gremista


Uma das chegadas do Lagarto no setor ofensivo

Se no primeiro tempo o Grêmio já deixou sua torcida irritada, quando a peleja recomeçou a coisa ficou ainda pior. Os avantes perderam um rol de gols feitos, deixando o cenário repleto de drama. Aos três minutos Da Silva ganhou do zagueiro na corrida e chutou firme. O goleiro fez grande defesa e, no rebote, Léo Chu finalizou pra fora. Logo depois o mesmo Léo Chu, outra vez pela esquerda, entrou na área, driblou o goleiro e tocou. Caprichosamente a pelota bateu na trave e a zaga tirou.

O Lagarto ficou sem poderio ofensivo e viu o onze sulista dominar as ações. A insistência gremista deu resultado aos 25 quando, após cruzamento de Ericson pela direita, Robert pintou livre na área e deixou tudo igual de cabeça. Seis minutos depois Léo Chu, sempre ele, quase virou quando chutou e o goleiro Vítor fez nova grande defesa à queima-roupa. Depois desse lance, a peleja voltou a ficar equilibrada.

Aos 40 minutos, quando nem mais o ferrenho torcedor lagartense imaginava, o escrete nordestino aproveitou um bom ataque e fez o segundo gol. Marcos Vinícius, ele de novo, recebeu na meia-lua e foi avançando meio aos trancos e barrancos. Assim ele passou de um zagueiro, driblou o goleiro e chutou cruzado, colocando a bola no canto direito da meta e iniciando nova festa na Arena Barueri.

O técnico tricolor fez duas substituições depois de sofrer o segundo tento querendo pelo menos conquistar o empate. Os sergipanos estavam exaustos e se seguraram até onde deu. Aos 47 minutos, o camisa 4 Cuiabá recebeu na esquerda e cruzou. Sávio apareceu entre os zagueiros e resvalou de leve na pelota, colocando a mesma no ângulo esquerdo. A comemoração no banco de reservas teve mais raiva do que alegria.


Bola alçada dentro da área sergipana



O Lagarto se aventurou pouco pelo ataque no tempo final, mas quando o fez, levou perigo


Placar final com surpresa na Arena Barueri... ah, a Copinha!

O placar final de Lagarto 2-2 Grêmio classificou o Oeste pela primeira vez na história da Copinha. O tricolor gaúcho precisa apenas de um empate contra o rubro-negro para também estar entre os melhores 64 times do certame. O Lagarto precisa vencer o São Raimundo/RR por uma boa margem de gols e torcer contra os gaúchos no duelo de fundo... ou seja, torcer por um milagre. A rodada acontecerá na próxima quinta-feira.

Junto com o amigo Renato, que está aproveitando a competição pela primeira vez, fui pegar o trem derretendo e pensando apenas em banho e ventilador. Deve pintar alguma cobertura no meio da semana. A frequência de matérias caiu bem (e vai continuar assim por um bom tempo), mas sempre que possível vamos nos fazer presentes neste que é o ano em que o Jogos Perdidos completará 15 anos de vida.

Até a próxima!

_________________________

Ficha Técnica: Lagarto 2-2 Grêmio

Competição: Copa São Paulo de Futebol Júnior; Local: Arena Barueri; Árbitro: José Guilherme Almeida e Souza; Público e renda: Portões abertos; Cartões amarelos: Luiz Otávio, Hugo e Jonas (Lag), Jhonata Varela (Gre); Gols: Marcos Vinícius 10 do 1º, Jhonata Varela 25, Marcos Vinícius 40 e Sávio 47 do 2º.
Lagarto: Vitor; Hugo, Mina, Mateus e Jeferson; Kalléo, Elison, Victor (Jonas), Marcos Vinicius (Marlon), Ailton e Luiz Otávio (Amém). Técnico: Neco.
Grêmio: Gabriel Chapecó; Petterson (Ericson), Emanuel, João Guilherme e Kazu (Matheus Goiano); Jhonata Varela, Fernando Henrique (Rildo) e Jhonata Robert (Sávio); Guilherme Azevedo (Renan), Léo Chú e Da Silva. Técnico: Cesar Lopes.
_____________

Nenhum comentário:

Postar um comentário