Procure no JP

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Sem sustos, Timão bate Ponte e está na semi do Brasileiro Feminino

Texto e fotos: Fernando Martinez


Fechando a rodada dupla de quarta-feira, tive o enorme prazer de retornar ao velho Estádio Alfredo Schurig, a Fazendinha, para pela primeira vez acompanhar o time feminino do Corinthians na sua casa definitiva (pelo menos até segunda ordem). O adversário das invictas meninas alvinegras foi a Ponte Preta, em confronto de volta das quartas-de-final do Campeonato Brasileiro Feminino. Foi meu primeiro jogo noturno desde o longínquo 24 de março.

Além de voltar ao Parque São Jorge após cinco anos (e depois de treze à noite), essa peleja foi a de número 2.900 que acompanhei in loco em todos os tempos. Tudo bem que pela minha programação original era para ter visto em 2018 o jogo 3.000, mas uma série de eventos na vida particular que tiveram início em 2016 me impediram de alcançar essa marca. Mesmo com os compromissos profissionais do dia a dia e a minha imersão total nas pesquisas que estou fazendo a ideia é chegar à marca no ano que vem. De qualquer forma, chegar a 2.900 partidas na Lista já é um motivo de muita comemoração.

Pena que não consegui credenciamento para fazer as fotos dentro de campo, já que perdi o prazo estipulado pelo clube. Tudo bem, assim fiquei nas arquibancadas junto à dupla alvinegra de coração Milton Haddad e Renato Rocha e Bruno Filandra, a maior autoridade sobre eleições que conheço. Nos meus cálculos, mais de mil pessoas também foram até a cancha mosqueteira, todos confiantes em mais uma boa apresentação das comandadas de Arthur Elias.

Estamos no final de setembro e até agora as meninas do Parque São Jorge não perderam uma partida sequer na temporada. Isso mesmo, estão invictas. Além disso, elas não são derrotadas há mais de um ano. O clube ostenta uma incrível sequência de 41 compromissos seguidos sem nenhum revés. Só em 2018 foram 35 jogos com 30 triunfos e cinco empates. Hoje, sem sombra de dúvida, o Corinthians é o time a ser batido na categoria.



Dois momentos do ataque corintiano no segundo tempo. Na segunda imagem, a arquibancada coberta do Parque São Jorge

Na ida as alvinegras derrotaram a Macaca pela contagem mínima atuando em Campinas e o favoritismo era total e absoluto a favor das paulistanas. Quando a pelota começou a rolar, o que se viu foi um domínio tranquilo e absolutamente esperado das corintianas. A primeira chance aconteceu logo aos quatro minutos dos pés da atacante Grazi. O time foi enfileirando bons momentos até abrir o marcador aos 29 minutos com a camisa 10 Gabi Zanotti. Yasmin quase marcou o segundo na sequência numa finalização que bateu na trave.

No tempo final a partida ficou melhor pois a Macaca passou a também botar as manguinhas de fora no setor ofensivo. Só que a maior categorias das locais ficou evidente no velo gol de Marcela aos 18 minutos, driblando com classe a zagueira e tocando sem chances para a goleira Vanessa. Perdido por dois, perdido por dez... então a Ponte se mandou pro ataque e quase diminuiu em três ótimos momentos. Jogando na boa e empurradas pela animada torcida, as mosqueteiras chegaram a fazer o terceiro com Cacau, porém o tento foi anulado por impedimento.


Ao final dos 90 minutos, classificação mosqueteira para a semi do nacional feminino

No fim, o resultado de Corinthians 2-0 Ponte Preta colocou o onze do Parque São Jorge na semi-final do Brasileirão Feminino. O adversário será o time do Flamengo, que eliminou o Kindermann depois de perder em Santa Catarina e ganhar no Rio de Janeiro. Os duelos acontecerão dias 3 e 10 de outubro.

Saímos do Parque na boa, sem pressa e subimos a Rua São Jorge relembrando histórias perdidas do futebol paulista acontecidas ali. Foi nessa rua que o falecido e saudoso Comercial da capital tinha seu campo e foi ali também que o Albion, mais precisamente no número 2 no logradouro, sagrou-se campeão paulista de 1933, um título esquecido e desconhecido por 99,9% do público que acompanha futebol no país. Falta muito para a memória esportiva ter o devido destaque.

Até a próxima!

_________________________

Ficha Técnica: Corinthians 2-0 Ponte Preta

Competição: Campeonato Brasileiro Feminino A1; Local: Estádio Alfredo Schurig; Árbitra: Fernanda Ignácio de Souza; Público e renda: Portões abertos; Cartões amarelos: Grazi (Cor), Tatiane, Luana e Kerolin (PP); Cartão vermelho: Grazi (Cor) 41 do 2º; Gols: Gabi Zanotti 29 do 1º, Marcela 18 do 2º.
Corinthians: Tainá; Katiuscia, Mimi, Pardal e Yasmin; Gabi Zanotti (Diany), Grazi e Cacau (Marcela); Nenê, Millene e Adriana. Técnico: Arthur Elias.
Ponte Preta: Vanessa; Isabella, Ana (Andressa Freitas), Rayane (Pâmela), Thais, Maressa, Kerolin, Isabela, Ana Lurdes (Renata), Luana e Tatiane. Técnica: Ana Lúcia Gonçalves.
_____________

Nenhum comentário:

Postar um comentário