Procure no JP

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

O agora líder Nacional derrota o ex-invicto Audax

Texto e fotos: Fernando Martinez


Depois de emplacar duas vitórias seguidas na Copa Paulista, no último sábado o Nacional recebeu o invicto Audax no Estádio Nicolau Alayon precisando de um triunfo para conseguir chegar à liderança do Grupo 4. Fui à casa ferroviária pela 33ª vez seguida na esperança de uma boa partida de futebol.

Desde o inesquecível 0x0 entre os dois pelo Paulista da Série A2 muita coisa mudou. Hoje a equipe osasquense está na terceira divisão estadual após o rebaixamento e o Naça por pouco não disputou o acesso para a A1. Situação impensável há alguns anos.

Depois de ser derrotado pela Lusa na estreia, os ferroviários venceram bem o Ituano e o Taboão da Serra. O antigo PAEC derrotou CATS e Atibaia e empatou com o Juventus. Na história, esse foi o quinto confronto entre os dois. Nos quatro anteriores, um triunfo nacionalino nacionalista, um empate e duas vitórias do Audax, uma ainda quando se chamava Pão de Açúcar.


Nacional Atlético Clube - São Paulo/SP


Grêmio Osasco Audax Esporte Clube - Osasco/SP


O árbitro Cléber Luis Paulino, os assistentes Ricardo Pavanelli Lanutto e Paulo Cesar Modesto, o quarto árbitro Rodrigo Batista da Silva e os capitães dos times

As duas boas campanhas indicavam um duelo equilibrado no gramado da Comendador Sousa. É, mas na prática não foi isso que vimos durante os 45 minutos iniciais. O Audax foi dono completo e absoluto das ações ofensivas durante 99% do tempo.

O goleiro Elisson foi o maior responsável pelo placar ter seguido em branco até o último lance. O camisa 1 fez dois verdadeiros milagres, um deles num chutaço de longe que fez uma curva espetacular, e não deixou o Audax sair na frente. Quando ele não defendeu, a trave salvou, como na finalização de Klauber aos 32 minutos.

O Nacional ficou acuado durante todo o tempo, sem conseguir chegar uma vez sequer com perigo no campo de ataque. A primeira (e única) boa investida aconteceu aos 49 minutos quando, na base total do "quem não faz toma", João Lucas acertou um belíssimo chute da entrada da área e colocou a pelota no canto de Jeferson. Sem merecer, o escrete ferroviário foi para os vestiários com a vantagem parcial.




Três raras chegadas do Nacional durante o primeiro tempo. O Audax foi senhor do jogo, mas sofreu o gol no último segundo

No segundo tempo o Audax voltou ainda com mais iniciativa, mas aos dez minutos a partida começou a se definir a favor do onze paulistano. Numa disputa no meio de campo, o camisa 10 osasquense Matheus acertou uma cotovelada em Soares e foi expulso. Detalhe: o atleta nacionalino nacionalista foi agredido e mesmo assim ganhou um insólito cartão amarelo de brinde (!).

Com um a mais, ficou mais fácil a missão paulistana. Aos 17 Naldinho recebeu passe em profundidade, driblou o goleiro e foi derrubado dentro da área. João Lucas, o artilheiro da tarde, bateu o pênalti com classe e ampliou a vantagem.


Ataque nacionalino nacionalista pelo meio no começo da etapa final



João Lucas marca seu segundo gol em cobrança de pênalti e depois agradece aos céus pela dobradinha

Os visitantes sentiram esses dois golpes praticamente em sequência e pouco fizeram até o apito final, entregando os pontos sem resistência. Quando o árbitro apitou pela última vez na quente tarde paulistana, o marcador do Nicolau Alayon mostrava o terceiro triunfo seguido do clube da Água Branca na Copa Paulista: Nacional 2-0 Audax.

Como empate entre Portuguesa e Ituano no domingo, o Naça chegou à liderança do Grupo 4 depois de cinco rodadas realizadas com nove pontos. Grande momento dos ferroviários que pode ser ampliado no "clássico" contra o Juventus que será realizado no meio da semana. Mais uma vez, estaremos presente.

Até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário