Procure no JP

sábado, 6 de janeiro de 2018

Portuguesa vai bem, derrota o Remo e se classifica

Texto e fotos: Fernando Martinez


Na sexta-feira, poucas horas depois de ter acompanhado a Copa Rubro-Verde, voltei ao Estádio Osvaldo Teixeira Duarte para outra rodada dupla, agora pela Copa São Paulo de Futebol Júnior. Na abertura da segunda rodada do Grupo 32, a Portuguesa recebeu o Remo pensando em emplacar o segundo triunfo na competição (derrotou os baianos do Teixeira de Freitas na estreia).

Foi muito legal ter a chance de voltar a ver jogo da Copinha no Canindé depois de 16 anos. A última partida realizada ali havia sido a final de 2002 entre Portuguesa e Cruzeiro (debaixo um temporal monstro que teve o onze rubro-verde bi-campeão). Aliás, esse foi o único realizado no estádio nesse século pelo torneio. Já rodadas da fase inicial não aconteciam lá desde 1998.


Associação Portuguesa de Desportos (sub-20) - São Paulo/SP


Clube do Remo (sub-20) - Belém/PA


Trio de arbitragem e capitães dos times

Apesar do título de 2002, vale dizer que desde então os paulistanos fizeram poucas campanhas de destaque na Copinha. Além de terminarem sem nenhuma vitória nos últimos dois anos, não passaram de fase em cinco das últimas seis edições. Desempenho terrível de um dos participantes mais assíduos do torneio (em 2018 participa pela 47ª vez).

Já o Remo está na sua sétima participação e nas seis anteriores passou de fase apenas uma vez, em 2010 (ano em que vi o confronto dos paraenses contra o genial Al-Hilal da Arábia Saudita na cidade de Paulínia). Derrotados na estreia pelo América Mineiro, tinham a árdua tarefa de vencer os donos da casa e ainda terem chance de classificação.

É, só que quando a bola rolou não teve jeito pro Leão Azul. A Portuguesa foi senhora absoluta da peleja e viu o calor ser o adversário mais perigoso na tarde. O goleiro Matheus quase não trabalhou. Os locais insistiram bastante e abriram o placar aos 32 minutos com um chute cruzado de César.

Antes do tempo inicial terminar o zagueiro Mateus Brunetti - detalhe: a Portuguesa tem nada menos do que seis (!) jogadores com o nome "Mateus" inscritos na Copinha - ampliou o marcador, levando a partida pro intervalo com a vitória parcial de 2x0. Durante o descanso dos jogadores, dei uma olhada na minha lista e vi que esse foi o quinto (!) Portuguesa x Remo que acompanhei na vida, isso de um total de oito jogos do time do Norte do país. Uma marca um tanto quanto surreal.


Ataque lusitano pela direita no começo do jogo


Atleta do Remo com o olhar fixo na pelota


O goleiro remista Jheymmyson (!) fazendo boa defesa em chute de longe


A Portuguesa não sofreu sustos e permaneceu a maior parte do tempo dentro do campo de defesa adversário


Rara chegada do Remo dentro da área rubro-verde


Defensor local protegendo a pelota de atacante paraense

Já no tempo final o bafo apertou e não teve como os times apresentarem um futebol digno. Mesmo nas cabines do estádio também sofri com o fortíssimo calor. No fim, não houve nenhuma alteração no placar e o árbitro encerrou o jogo com Portuguesa 2-0 Remo. A vitória classificou a Lusa para a segunda fase depois de quatro anos. O onze paraense foi eliminado com o revés.

Da minha parte, voltei ao gramado pra segunda peleja do dia que reuniu outro antigo campeão e outro time novo na Lista. Não tem jeito, primeira fase de Copinha é sempre uma das coisas mais legais do ano.

Até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário