Procure no JP

domingo, 28 de janeiro de 2018

Lusa e Nhô Quim não convencem e terminam iguais no Canindé

Texto e fotos: Fernando Martinez


Iniciando os trabalhos futebolísticos do final de semana, nada melhor do que um duelo altamente tradicional no cronograma. Fui pela décima vez em 2018 no Estádio Oswaldo Teixeira Duarte pro confronto entre Portuguesa e XV de Piracicaba, valendo pela quarta rodada do Campeonato Paulista da Série A2.

Apesar das dezenas de jogos entre os dois, principalmente na divisão principal do estadual, aqui no JP só uma vez cobrimos essa peleja. Foi em 2012, num triunfo rubro-verde pela principal divisão  do estado. A situação em 2018 até aqui é bem complicada pros dois lados. A Lusa era a 12ª colocada e o XV ocupava o 15º lugar, ambos com três pontos ganhos.


Associação Portuguesa de Desportos - São Paulo/SP


Esporte Clube XV de Novembro - Piracicaba/SP


O árbitro Rafael Gomes da Silva, os assistentes Bruno Salgado Rizo e Risser Jarussi Corrêa, o quarto árbitro Marcelo Fabiano Mingoranci e os capitães dos times

Vindo de um 4x0 sofrido pro Oeste dentro de casa, imaginei que o Nhô Quim viria meio desanimado pra capital. Durante o primeiro tempo, tirando algumas investidas em contra-ataques, o onze piracicabano realmente não fez muita coisa. A Portuguesa foi melhor e criou os melhores momentos dos primeiros 45 minutos.

Os locais chegaram perto da área adversária algumas vezes, só que confirmando um dos grandes males do futebol atual, o excesso de toques impediu que o placar fosse alterado. Aliás, tá cheio de clube aí que pensa que é o Barcelona do Guardiola com inúmeros passes desnecessários e nenhuma objetividade. Vamos chutar no gol, pessoal!

Foi somente aos 42 minutos que a sorte rubro-verde mudou. No primeiro chute de longe, o arqueiro do XV Samuel Pires deu rebote e Raul apareceu pela direita para chutar e colocar no canto. Festa dos pouco mais de mil pagantes e a vantagem mínima local garantida pro segundo tempo.


Ataque da Portuguesa pela esquerda sob o olhar do defensor piracicabano


William Batoré, o comandante do ataque rubro-verde, em lance dentro da área do XV


Chegada lusitana dentro da área visitante


Detalhe do gol da Portuguesa, marcado por Raul aos 42 do primeiro tempo

No segundo tempo tudo mudou. A Lusa recuou demais e o XV de Piracicaba mandou na partida. Aos 13 minutos Éverton, camisa 11 visitante, recebeu passe de Fabinho e bateu firme, deixando tudo igual. A partir daí, brilhou a estrela do goleiro rubro-verde João Lopes.

O camisa 1 lusitano fez três defesas sensacionais, duas delas em tiros à queima-roupa, e impediu que o XV virasse o marcador. A torcida não curtiu muito o que a Portuguesa (não) fez no tempo final e não demorou pra mandar aquele canto maroto de "time sem vergonha". Antes do apito final Samuel Pires fez boa defesa em cobrança de falta local... e foi só.


Times alinhados pro início do tempo final no Canindé


A Portuguesa chegou poucas vezes dentro da área do Nhô Quim


Boa defesa de Samuel Pires em cobrança de falta local


A Portuguesa correu muitos riscos no segundo tempo e por pouco não sofreu a virada

O resultado final de Portuguesa 1-1 XV de Piracicaba não foi bom nem para paulistanos, nem para piracicabanos. A Lusa permaneceu na 12ª posição e o Nhô Quim pulou pro 13º lugar, ambos com quatro pontos, um acima da zona de rebaixamento. Na próxima rodada, a Lusa recebe o líder Oeste e o alvinegro pega a Inter de Limeira no Barão.

Saí correndo do Canindé com destino ao ABC pois lá ia rolar uma sessão noturna pela Série A3. De forma até inesperada acabei acompanhando o meu melhor jogo em 2018. Bota melhor nisso!

Até lá

Nenhum comentário:

Postar um comentário