Procure no JP

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

A apática Portuguesa perde mais uma na Série A2

Texto e fotos: Fernando Martinez


Ontem rolou mais um capítulo da derrocada da Portuguesa, novela que rola sem pausas desde o final de 2013. Em partida antecipada da quinta rodada da fase inicial do Campeonato Paulista da Série A2, o rubro-verde recebeu o Oeste no Estádio Oswaldo Teixeira Duarte.

Ainda sem ter vencido em casa, nada indicava que a Lusa triunfaria pela primeira vez no Canindé, afinal, o antigo time de Itápolis é o atual líder da competição e tinha somado dez de doze pontos possíveis até então. Pra piorar, o frio, (sim, um maravilhoso tempo frio no final de janeiro), a chuva e a campanha ruim afastaram o público e apenas 557 torcedores pagaram ingresso.


Associação Portuguesa de Desportos - São Paulo/SP


Oeste Futebol Clube - Barueri/SP


Capitães dos times junto ao árbitro Márcio Roberto Soares, os assistentes Luis Felipe Prado Silva e Leonardo Augusto Villa e o quarto árbitro Alex Lopes Loula

Eu quase não fui ver meu 32º jogo no mês por conta do temporal que tomei no fim da tarde. Mesmo ensopado, resolvi em cima da pinta conferir essa peleja de perto e ampliar meu recorde pessoal. O clima já não era dos melhores quando cheguei ao estádio, pois boa parte dos presentes já demonstrava que não receberia um novo resultado ruim de forma amistosa.

O rubro-negro de Barueri era favorito, mas quando a bola rolou o negócio foi pior do que eu esperava. Poucas vezes vi uma equipe tão apática quanto a Portuguesa na noite de terça-feira. Os atletas entraram em campo com zero ânimo, zero disposição e nenhuma vontade. Aceitaram o domínio visitante de forma passiva e sem combatividade alguma.

Sem nenhum exagero, o Oeste deve ter ficado cerca de 80% com a bola nos pés, tamanha a sua superioridade. Pra sorte lusitana no primeiro tempo, praticamente não teve finalização na direção do gol de João Lopes. O camisa 1 fez apenas uma boa defesa em chute de longe no último lance.


O primeiro tempo foi todo do Oeste, porém os visitantes não transformaram o domínio em gols


Uma das poucas vezes em que um atleta da Portuguesa tocou na bola no tempo inicial


Atletas dentro da área do onze de Barueri

Foi no tempo final que o caldo engrossou. Num período de doze minutos, o Oeste foi avassalador e chegou aos 3x0 de uma forma mais fácil do que empurrar bêbado numa ladeira. Aos quatro Raphael Luz abriu o marcador. Dois minutos depois João Lopes (o único nome de destaque da Portuguesa) defendeu brilhantemente tiro de Mazinho.

Aos 13, o camisa 11 Henrique entrou na área na boa e colocou a pelota no canto direito. Três minutos depois Mazinho completou um belo contra-ataque visitante e fez o terceiro. O que se viu depois foi algumas pessoas indo embora e um silêncio sepulcral na torcida lusitana.

O Oeste claramente tirou o pé, até porquê se tivesse continuado com a pressão teria feito mais gols. A animada torcida não se importou e não parou de cantar até o apito final. A Portuguesa chegou pronta pra finalizar por três vezes, porém os chutes foram muito longe da meta defendida por Rodolfo.



Chegada do Oeste pela direita e início de ofensiva da equipe. Caso tivesse insistido, o rubro-negro poderia ter aplicado uma goleada no Canindé


Visão geral do Canindé na fria (!) noite de janeiro em mais uma apresentação ruim da Lusa. O futebol do time do Canindé não anda nada colorido...

O placar final de Portuguesa 0-3 Oeste manteve o Rubrão na liderança da Série A2, agora com treze pontos. A Lusa permanece sem vencer em casa com quatro pontos, podendo entrar na zona de rebaixamento dependendo dos outros resultados da rodada. Muito triste presenciar mais uma noite de horror no Canindé e saber que o buraco em que se meteram pode ser mais fundo do que já é.

Esse foi o 32º post do mês de janeiro publicado antes do mês acabar. Já fazia tempo que não emplacava um ritmo tão intenso de matérias por aqui e fico feliz em ter voltado à ativa dessa forma. Em fevereiro o cronograma vai ser mais esparso pois voltarei pro litoral e ficarei lá por um tempo. Quando tiver chance, estarei de volta ao JP.

Até a próxima!

Um comentário: