Procure no JP

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Pela Série D, XV é derrotado pelo Operário/PR e se complica

Texto e fotos: Fernando Martinez


Depois de muito tempo, na sexta-feira rolou uma daquelas caravanas com a cara do Jogos Perdidos. Pegamos a estrada e seguimos até a cidade de Piracicaba pela segunda vez em 2017 para a segunda apresentação do XV de Novembro local no Campeonato Brasileiro da Série D. O adversário da vez foi o genial Operário de Ponta Grossa, o time 657 da minha Lista e que faz sua gloriosa estreia no blog.

Pena que por conta de uma bagunça mental do querido $eu Natal a saída da capital tenha sido atrasada por mais de duas horas. Quando finalmente todos se encontraram - o Emerson e o Estevan também estavam nessa - já era certo que perderíamos as fotos posadas. O trajeto teve um trânsito surreal na saída da capital, obras na Rodovia dos Bandeirantes, pedágios estranhos (com direito a cancela destruída pelo Possante 558) e um vacilo grande na entrada da cidade.

Como não nos abatemos por pouco, no fim deu tudo certo mesmo sem as imagens oficiais das duas agremiações. Chegamos no Estádio Barão de Serra Negra com poucos minutos jogados e com o placar ainda em branco. Dos males, o menor. Esse foi um compromisso muito importante pro Nhô Quim, já que uma derrota complicaria a equipe na luta por uma vaga na segunda fase.

Agora, é necessário dizer que toda essa correria foi armada para finalmente poder matar o Fantasma. Fundado em 1912, o alvinegro é um dos times mais tradicionais do Paraná e era uma ausência sentida nas nossas Listas. Após perder a apresentação do clube contra o Red Bull em 2015, dessa vez não dava pra deixar passar a oportunidade.

Jogando contra paulistas, o onze operariano leva enorme vantagem no retrospecto. Em dezenove confrontos disputados na história do nacional, foram doze vitórias e apenas seis derrotas, a última em 2011 contra o Oeste. Contra o XV, dois triunfos: um pela Taça de Prata de 1980 e outro no dia 4 de junho.

O belo estádio do XV recebeu um público de 1.331 pessoas que viram uma apresentação fraca do time local, principalmente no primeiro tempo. O jogo foi equilibrado e sem emoções até o 24º minuto, momento em que finalmente os paulistas criaram a primeira grande chance de gol. Vinícius Simon completou de cabeça uma bola levantada na área e obrigou Simão a fazer ótima defesa, mandando a pelota pela linha de fundo.

Aos 32, Carlos Alberto chutou de longe e Simão fez uma defesa segura. Foram esses os únicos momentos dignos de registro e ficava claro que o Operário tinha vindo ao estado de São Paulo pensando primeiramente em se defender. O Fantasma praticamente não passou do meio de campo nos 45 minutos iniciais.


Chute de longe no ataque quinzista


O Operário só se defendeu durante a maior parte do tempo. Passar do meio-campo foi artigo de luxo


Investida do XV pela direita do seu ataque

Já no tempo final o XV de Piracicaba voltou ao gramado com outro astral e teve dez minutos simplesmente avassaladores. Aos cinco, novamente Vinícius Simon acertou uma boa cabeçada e Danilo Baía salvou em cima da linha. No lance seguinte, nova oportunidade pelo alto, agora com Rodrigo, e mais uma defesa de Simão. Aos sete, bola na trave em tirambaço de Zé Mateus e aos nove Tito chutou em cima do arqueiro visitante em lance cara-a-cara.

Essa pressão intensa teve apenas dois problemas: não resultou no gol e durou apenas dez minutos. Quando o relógio alcançou o 11º minuto o ímpeto ofensivo terminou. Não que os atacantes não tenham criado bons momentos a partir daí, porém infelizmente o problema crônico no toque final voltou a aparecer e os defensores do Operário se deram melhor em todas as tentativas do XV.

O Operário foi cozinhando o galo e levando um precioso ponto na bagagem. Conforme o relógio andava, a torcida ficava cada vez mais impaciente e o XV não mostrava que tinha forças abrir o marcador. Como desgraça pouca é bobagem, o Fantasma armou um bom contra-ataque aos 34 minutos e nele o placar foi inaugurado. Danilo Baía avançou pela direita e cruzou pro camisa 17 Daisson completar pro fundo das redes.


Um dos ótimos ataques do XV no avassalador começo do segundo tempo


Bola levantada na área do Fantasma


Zagueiro visitante fazendo o desarme


Chute do Nhô Quim em ataque pela esquerda


Placar final da peleja no Barão de Serra Negra que complica o XV na Série D

Nos minutos finais o Nhô Quim se mandou em busca do empate, só que poderia estar jogando até agora que o gol não sairia. No fim, o árbitro terminou a ação com o resultado de XV de Piracicaba 0-1 Operário/PR. Os paulistas agora estão isolados na lanterna do Grupo A15 e dependem de uma combinação de resultados para conquistarem a classificação. O líder Fantasma está com tudo e será eliminado na base da catástrofe.

Finalizada a partida, agora não teve correria pra voltar à capital. Paramos pra fazer uma boquinha antes de encararmos a estrada e tudo correu dentro dos conformes. No final de semana não tinha nenhuma peleja na pauta, mas no fim voltei a acompanhar a Série B do Nacional depois de quase três anos de ausência.

Até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário