Procure no JP

terça-feira, 13 de junho de 2017

Na gelada Arena Barueri, Oeste e Luverdense ficam no zero

Texto e fotos: Fernando Martinez


No sábado passado fez muito frio na capital paulista e eu não tinha nenhum jogo programado nem pro sábado, nem pro domingo. De última hora resolvi encarar o gélido clima e deixei as cobertas de lado e voltei a acompanhar o Campeonato Brasileiro da Série B in loco após quase três anos de ausência. Em campo, Oeste e Luverdense se enfrentaram na vazia e glacial Arena Barueri.

Desde 28 de novembro de 2014 não via uma peleja da Série B. Naquela noite, acompanhei a vitória do Vila Nova contra a Portuguesa no Canindé, no último compromisso lusitano na segundona nacional em todos os tempos. Em 2015 não haviam times "de perto" jogando e em 2016 não me animei a ver o Oeste em Osasco.

No atual certame o rubro-negro foi derrotado na estreia pelo Paysandu e a partir de então não perdeu mais, alcançando o sétimo posto na tábua de classificação. Em casa foram duas vitórias, contra Criciúma e CRB. Já o Luverdense não venceu nenhum dos seus compromissos e amargava a 18ª posição. Por jogar no seu estádio, esperava ver um Oeste mais perigoso.

Só que o onze local não mostrou um futebol vistoso, muito pelo contrário. Foram poucas as chances de gol no decorrer dos 90 minutos e a ação ficou concentrada no meio de campo. A primeira delas aconteceu aos sete minutos com uma bola na trave da equipe do Centro-Oeste. Os visitantes passaram a jogar melhor e quase abriram o marcador em dois momentos, os dois com grandes defesas de Rodolfo.

O primeiro foi aos treze minutos em ótima cobrança de falta de Paulinho. A segunda aos 34 em chute de longe de Ricardo. O arqueiro local fez a defesa, a bola bateu na trave e saiu pela linha de fundo. Sem mais nada importante acontecer, foi com o 0x0 que o tempo inicial chegou ao seu final.


A Arena Barueri recebendo pequeno público para mais uma apresentação do Oeste na Série B nacional


Zaga do Luverdense saindo pro jogo

No intervalo desci até a lanchonete do local para matar a sede e vi que se bobear a torcida tem muito mais opções para comer do que a imprensa. Foi a primeira vez que estive na arquibancada oposta às cabines e achei bem legal a diversidade de produtos oferecidos pro pessoal. Alternativa para fazer uma boquinha é o que não falta por ali.

Voltei reabastecido ao meu lugar e infelizmente o jogo, que já não era lá grandes coisas, piorou muito no segundo tempo. O Verdão do Norte teve um único momento bom com Cléo Silva chutando pelo alto quando estava de frente para o gol aos treze minutos. O rubro-negro teve dois momentos razoáveis, um aos 31 com boa defesa de Diogo Silva e outro aos 42 em tiro por cima da meta. E só.


Grande defesa de Rodolfo em ataque visitante no tempo inicial


Aquela famosa disputa de bola no meio de campo


Placar final da partida na Arena Barueri com meu terceiro 0x0 seguido em jogos do rubro-negro

O resultado final de Oeste 0-0 Luverdense derrubou os paulistas para a nona posição da tabela agora com nove pontos ganhos e colocou os mato-grossenses na penúltima posição com quatro, ainda sem nenhuma vitória na Série B. Da minha parte foi a quinta apresentação que assisti do rubro-negro na sua casa em 2017 e o quinto empate, o terceiro seguido com o marcador em branco. Não está fácil.

Voltei pra casa na boa e passei o restante do sábado e o domingo na base da morgação. O futebol voltou ao cronograma na tarde de quarta-feira. Ah, vale lembrar que está chegando a partida de número 3000 na história do blog. Tudo bem que o número de coberturas diminuiu nos últimos anos, mas com certeza alcançar uma marca dessas não é pouca coisa.

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário