Procure no JP

terça-feira, 20 de junho de 2017

Ituano decepciona sua torcida e fica no zero com o PSTC

Texto e fotos: Fernando Martinez


A caravana da coragem que começou na sexta-feira continuou em atividade no último sábado. Na pauta, outra peleja do Campeonato Brasileiro da Série D, agora na aprazível cidade de Itu. Em campo, o Ituano fez sua última apresentação no Estádio Novelli Júnior pelo Grupo A17 enfrentando um time de futebol com nome de partido, o PSTC de Cornélio Procópio, a equipe 659 da minha Lista.

Saímos de Piracicaba por volta do meio dia e cerca de uma hora depois estávamos zanzando pela cidade que já foi a mais rica do estado em tempos mais remotos. Fizemos um almoço de responsa antes de seguirmos até o Majestoso da Vila Nova. A PM nos revistou, revistou as mochilas e até revistou o carro antes de finalmente entrarmos nas dependências da cancha. Fui logo ao gramado e ali fiquei aguardando o apito inicial.


Ituano Futebol Clube - Itu/SP


Paraná Soccer Technical Center - Cornélio Procópio/PR


Capitães dos times e quarteto de arbitragem com o baiano Gleidson Santos Oliveira e os paulistas Gustavo Rodrigues de Oliveira, Diogo Correia dos Santos e Douglas Marques das Flores

Fundado em 1994, o Paraná Soccer Technical Center revelou vários jogadores de renome desde então e passou a se aventurar no profissionalismo em 2010 participando da terceira divisão. Em 2012 conquistou o acesso para a segunda e foi campeão da mesma em 2015. O PSTC chegou à semi-final do paranaense de 2016 e essa campanha o credenciou a disputar a D nas duas últimas temporadas. No começo desse ano, o clube foi rebaixado no estadual.

Nos três confrontos do PSTC contra paulistas, nenhuma derrota. Foram duas vitórias - contra o Linense em 2016 e contra o mesmo Ituano no primeiro turno - e um empate. O rubro-negro enfrentou times do estado vizinho na história do nacional em dezessete oportunidades, somando sete triunfos, três empates e seis derrotas. Retrospecto apenas razoável.

O empate sem gols contra o Metropolitano fez a torcida ficar preocupada com o futuro na Série D. A esperança era que contra o lanterna da chave tudo pudesse melhorar. Infelizmente o futebol apresentado durante os 90 minutos deixou muito a desejar. O que se viu no gramado foi uma peleja abaixo da média e com pouca emoção.

Os locais ficaram mais tempo com a bola nos pés, mas chances de gol foram bastante raras. A primeira e mais importante do tempo inicial aconteceu aos 13 minutos em finalização de Everton que passou perto da trave. Apesar de ficar perambulando perto da área do PSTC, até o intervalo somente Pingo fez a torcida sonhar em chute de longe que Copetti defendeu.

Acabou sendo dos paranaenses o momento mais perigoso dos 45 minutos iniciais em cobrança de falta de Rafael Lemes. A batida tinha endereço certo, só que o arqueiro Oliveira apareceu bem e mandou a pelota para escanteio, isso aos 39. Foi com o placar em branco e com a torcida já bastante impaciente que os atletas foram aos vestiários.


Bola viajando no setor defensivo do Ituano


Defensor do PSTC roubando a bola de atleta rubro-negro


Aquele corte maroto dentro da área paranaense


Disputa de bola pelo alto no fim do primeiro tempo


O Ituano atacou bastante, mas a rigor teve apenas duas boas chances no tempo inicial

Disposto a resolver a parada de uma vez, o Ituano conseguiu ser mais incisivo no tempo final, porém as finalizações novamente foram o maior problema. O rubro-negro chegou a ter quatro atacantes em campo e nenhum deles foi capaz de vencer a meta do PSTC, que mais se preocupou em se defender do que tentar melhor sorte ofensivamente falando.

Somente nos primeiros minutos foram três as oportunidades claras para a abertura do placar a favor do onze paulista. Aos sete, Everton chutou forte, Copetti deu rebote e Pingo desperdiçou na sequência. Aos onze, Bassani chutou cruzado e a pelota tirou tinta da trave. A partida começava a ficar com aquele cheirinho bem forte de 0x0.

Por volta dos trinta minutos, Bassani cobrou falta com perigo e Copetti de novo apareceu bem na foto. A cada minuto que passava, o pessoal nas arquibancadas ia perdendo a esperança de um bom resultado. Pra deixar tudo ainda mais dramático, o PSTC conseguiu a proeza de perder um gol feito nos acréscimos emendando um contra-ataque incrível. Um dos atacantes avançou por todo o campo de defesa local, entrou na área, mas ao invés de encher o pé quando estava sozinho, esperou a chegada dos zagueiros, que fizeram o desarme sem problema.


No segundo tempo a tônica foi essa: PSTC na defesa só segurando a pressão local


Ataque paulista pela direita sob a firme marcação da zaga visitante


Bom chute de longe que passou perto da trave do PSTC

No fim, o placar final de Ituano 0-0 PSTC obriga o Galo a ter que vencer o duelo contra o São José de Porto Alegre no próximo domingo para se classificar sem depender de ninguém. Caso não vença, torce pro Metropolitano não derrotar os paranaenses jogando fora de casa. Mais uma torcida paulista que irá sofrer bastante na rodada derradeira.

Com dois jogos, dois times novos na Lista e apenas um gol, saí do estádio com os amigos presentes e antes de pegar meu caminho de volta pra casa, ainda deu tempo de passear um pouco pelo centro da cidade. A caravana da coragem seguiu até Capão Bonito para um jogo da Segundona no domingo cedo enquanto eu novamente bati cartão com o Barcelona paulistano.

Até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário