Procure no JP

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Audax perde pro URT e segue sem vitórias na Série D

Texto e fotos: Fernando Martinez


Os embalos do último sábado à noite foram com mais uma sessão de futebol no Estádio José Liberatti, na terceira peleja seguida que acompanhei no local. Fechando o turno do Grupo A12 do Campeonato Brasileiro da Série D, o Audax recebeu o URT, a União Recreativa dos Trabalhadores, na primeira visita dos mineiros à Grande São Paulo em todos os tempos.

Fundado em 1937, o clube de Patos de Minas havia feito apenas duas partidas no estado de São Paulo num torneio oficial. Foi em 1995, quando atuou contra Mirassol e Botafogo de Ribeirão Preto durante a primeira fase da Série C. Em 2016, na segunda participação no Brasileiro, participou da última divisão mas não enfrentou nenhum clube paulista, algo que voltou a acontecer na atual temporada.

Apesar dessa estreia pela região, já mostramos o time aqui uma vez em 2007. Em tempos que éramos estrelas de televisão, uma das nossas matérias mais legais foi a que falou sobre a abertura do Módulo II Mineiro daquele ano em jogo contra o Extrema no Sebastião Comanducci. Dez anos depois, chegou a hora do time azul reaparecer nas nossas páginas.


Grêmio Osasco Audax Esporte Clube - Osasco/SP


União Recreativa dos Trabalhadores - Patos de Minas/MG


Capitães dos times junto ao árbitro baiano Joedson de Jesus Oliveira, os assistentes paulistas Fábio Rogério Baesteiro e Diogo Correia dos Santos e o quarto árbitro, também paulista, Rafael Gomes da Silva

Falando do Audax, esse foi o quinto compromisso no Rochdale na história pela Série D e, como os leitores do blog sabem bem, o time até então não tinha conseguido fazer um único gol com o mando de campo. Vindo de duas derrotas (assim como o URT), um triunfo era obrigatório para a manutenção da esperança pela classificação.

A ferro e fogo uma coisa mudou a respeito das quatro pelejas feitas como mandante: o Audax chegou a criar boas chances para finalmente fazer a festa da sua diminuta torcida, só que isso ficou mais uma vez apenas no "quase". Apostando na rapidez dos seus atacantes, o URT foi melhor durante quase todo o tempo.

Logo aos três minutos Felipe Alves criou o primeiro grande momento a favor dos mineiros, porém a bola saiu por cima do gol. Ele mesmo criou outra grande oportunidade não convertida aos dezessete. Aos 26 os locais tiveram seu grande momento numa cobrança de falta que tirou tinta da meta defendida por Juninho.

No 34º minuto Rafael Oller ficou cara a cara com Felipe Alves e chutou forte, obrigando o camisa 1 do Audax a defender de forma brilhante com o pé esquerdo. Na base do 0x0, o tempo inicial terminou e até que deixou uma boa impressão aos presentes. Subi até a parte coberta no intervalo encontrar os amigos e fazer um lanchinho na lanchonete local.


A primeira grande chance de gol da noite em chute de Felipe Alves


Ataque mineiro pela esquerda e marcação do camisa 2 Wallace


Outra investida do URT pela lateral


A primeira oportunidade clara de gol do Audax na noite de sábado


De peixinho, atacante do onze visitante tenta o gol

No tempo final o onze osasquense equilibrou as ações e quase abriu o marcador aos 11 com um belo chute de Renatinho. Aos 19, depois de insistir com sucessivos ataques, o URT inaugurou o placar com um tento de cabeça de Diego Borges. Felipe Alves não conseguiu fazer a defesa e um zagueiro ainda tentou tirar em cima da linha, sem sucesso.

O gol sofrido abalou a confiança local e apesar de ficarem mais tempo com a pelota nos pés, os jogadores não conseguiram criar chances efetivas pro empate. No contra-ataque, os mineiros quase ampliaram em dois momentos, o melhor deles numa finalização de Thiago Brito que acertou a trave aos 39 minutos.


A genial ficha do lanche do José Liberatti. Quem não tem cão, caça com gato


Disputa de bola no ataque visitante



O Audax tentou, pelo meio e em chutes de longe, mas novamente não conseguiu fazer seu gol jogando em casa na Série D

O placar final de Audax 0-1 URT manteve o escrete paulista sem ainda ter vencido na história da Série D (nove jogos com quatro empates e cinco derrotas) e sem fazer gols dentro de casa. Além disso, fez a equipe virar lanterna isolada da chave e precisando de um milagre para se classificar. O Trovão Azul alcançou os três pontos, quatro atrás dos líderes Portuguesa e Itumbiara.

Com essa partida fechei as coberturas do JP no final de semana, já que o domingo foi ocupado por um evento imperdível. Futebol de novo só na sexta-feira, de novo com viagem, Série D e mais um time novo na Lista.

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário