Procure no JP

terça-feira, 4 de abril de 2017

Santo André estreia no Troféu do Interior com vitória

Texto e fotos: Fernando Martinez


Após alguns dias longe dos gramados me dedicando a pesquisas que farão parte de um livro genial (e que será lançado em breve), voltei à ativa no domingo com o confronto entre Santo André e Red Bull pela disputa do Troféu do Interior do Campeonato Paulista. Foi meu retorno ao Estádio Bruno José Daniel depois de dois anos de ausência.

Confesso que até a última quinta-feira não sabia que a competição seria realizada. Participam dela os times que ficaram de fora das quartas-de-final do certame, sem contar Audax e São Bernardo FC, ambos rebaixados. A entidade organizou essa espécie de "torneio de consolação" de 2007 até 2013 e foi uma notícia boa saber que isso voltou ao calendário.


Esporte Clube Santo André - Santo André/SP


Red Bull Brasil - Campinas/SP


Capitães dos times junto com o árbitro Leonardo Ferreira Lima, os assistentes Rogério Pablos Zanardo e Luís Felipe Silva e o quarto árbitro Rodrigo Pires de Oliveira

Tenho muitas críticas a várias decisões da FPF, mas quando eles acertam preciso dar os parabéns. Foi um grande acerto voltar com essa disputa que dá ao campeão uma vaga na Copa do Brasil 2018 e um valor em dinheiro. Além disso, é fundamental manter as equipes jogando e preenchendo um pouco mais o calendário. Mesmo não resolvendo o problema crônico que temos, já é alguma coisa.

Os seis participantes estão divididos em duas chaves, uma com Santo André, Mirassol e Ferroviária e a outra com Ituano, São Bento e Red Bull. Os times jogam contra os adversários do outro grupo e os campeões de cada chave fazem a decisão. Na história, a Ponte foi campeã em 2009 e 2013 e Guaratinguetá, Grêmio Barueri, Botafogo, Oeste e Mogi Mirim conquistaram o título respectivamente em 2007, 2008, 2010, 2011 e 2012.

Já era pra ter ido ao Bruno José Daniel nessa temporada, só que o Projeto 40 me deixou com o tempo bastante reduzido para acompanhar de perto a Série A1 (tanto que fui apenas no encontro entre Corinthians e Red Bull em Itaquera). A minha última visita ao estádio tinha sido há exatos dois anos, em 4 de abril de 2015, num 0x0 entre o time do ABC e o Velo Clube pela Série A2. Apesar de ter sido reinaugurado há mais de um ano, estava devendo uma visita.

O local passou por uma grande reforma e posso dizer que o acesso para a imprensa, vestiários e a entrada no gramado ficou absolutamente sensacional, uma diferença monstro com o que tínhamos antes. As torres para a iluminação estão prontas e acredito que logo teremos jogos noturnos ali, com a promessa de refletores muito melhores.


As cabines de imprensa do estádio sem os tradicionais refletores


Os bancos de reservas muito confortáveis do Bruno José Daniel


Visão interna do banco de reserva local


Grande espaço para a entrada dos times, muito diferente do que tínhamos ali antigamente

Também dei uma passada na arquibancada construída no lugar da antiga parte coberta. A infra melhorou bem, mas bem que podiam colocar uma nova cobertura ali, né? Não precisam fazer uma igual à antiga (que era sensacional, a propósito), porém qualquer coisa que protegesse a torcida da chuva já estaria ótimo.

Cheguei na repaginada casa andreense junto com o trio de personalidades Mílton, Bruno e Pucci e logo peguei meu caminho para o gramado. Desde 2008 eu não acompanhava um joguinho da Série A1 de dentro do campo e foi muito legal poder voltar a fazer isso (em tempo, naquela temporada, o blog cobriu de perto três partidas da A1: Juventus x Rio Preto, Paulista x Mirassol e São Caetano x Juventus). Como se isso não bastasse, esse foi o primeiro jogo do Ramalhão que vejo nessa divisão desde uma derrota para o Moleque Travesso em 2006 (!).

O sol pintou forte na tarde de domingo e a peleja foi boa no tempo inicial. O Santo André se salvou do rebaixamento no final do confronto contra o Audax e foi a campo disposto a confirmar que merecia mesmo permanecer na A1 em 2018. O Red Bull, que decepcionou bastante em 2017, não foi nem sombra do time que vi enfrentar o Corinthians.

Logo no começo o arqueiro visitante Saulo fez boa defesa em chute de Serginho e impediu a abertura do marcador. Só que o camisa 1 falhou absurdamente aos 19 minutos e deu de presente o gol para os locais. Ele saiu jogando errado e mandou a pelota nos pés de Claudinho. O camisa 7 pensou rápido e tocou por cobertura, marcando um golaço.

O time do ABC permaneceu o tempo todo com a bola nos pés e quase ampliou o marcador no último lance com o atacante Henan cabeceando da pequena área e tirando tinta da trave. Aliás, vale registrar que o atleta de 30 anos é o maior artilheiro do Red Bull em todos os tempos com 52 gols em 100 partidas disputadas de 2010 a 2014. Na atual edição do Paulistão, ele é o vice-artilheiro com sete.


Zaga campineira cortando de cabeça bola alçada na área


Mais um corte do setor defensivo visitante



Henan em dois momentos: primeiro trocando passes no campo de defesa visitante e depois perdendo grande chance no último minuto do primeiro tempo

No intervalo fui conferir como ficou a arquibancada nova e vi que o gerente das estrelas, Luiz Fôlego, já dava o ar da graça. Enquanto atualizava os assuntos do final de semana, o tempo final começou com os campineiros tentando o empate. Bem no início Anderson Marques completou de cabeça um cruzamento de Guilherme Lazaroni, obrigando o goleiro Roberto a fazer um verdadeiro milagre. Foi a defesa mais sensacional que presenciei nos últimos tempos.

Essa acabou sendo a maior e única oportunidade clara de gol a favor dos visitantes durante os últimos 45 minutos, já que logo o Ramalhão voltou a se apresentar melhor do que o adversário. Agora, chance de gol que é bom, não teve praticamente nenhuma. Somente no finalzinho que as emoções voltaram.

Um dos zagueiros visitantes falhou ao tentar proteger a bola na linha de fundo, porém Renato, camisa 5 do Santo André, foi mais ligeiro, roubou e tocou pro meio da área. Claudinho, ele de novo, chutou de longe para fazer seu segundo gol na tarde aos 45. Os locais ainda tiveram a oportunidade para marcarem o terceiro nos acréscimos, sem sucesso.


Visão geral do confronto entre Santo André e Red Bull


Ataque andreense pela direita


Atleta do Red Bull levitando no gramado do Bruno José Daniel


Bola no fundo das redes de Saulo no segundo gol do Ramalhão, também marcado por Claudinho

O placar final de Santo André 2-0 Red Bull colocou a agremiação da Grande São Paulo na liderança do Grupo 1 do Troféu do Interior, à frente da Ferroviária com um ponto e o Mirassol com nenhum. Esse resultado também decretou a primeira vitória do Ramalhão contra os campineiros no quinto encontro entre eles.

A partida acabou sem que a jornada do domingo estivesse perto de chegar ao fim. Saindo do estádio ainda rolou uma visita da rapaziada ao meu humilde lar e fechamos a programação com uma pizza na região do Bom Retiro. Ótima forma de se terminar o final de semana.

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário