Procure no JP

quinta-feira, 2 de março de 2017

Novo capítulo da via crucis rubro-verde na A2 Paulista

Texto e fotos: Fernando Martinez


Depois de um feriado de Carnaval gripado e rendendo menos do que esperava, a quarta-feira de Cinzas trouxe de volta o futebol e o Campeonato Paulista da Série A2. Sem mais uma vez poder jogar no Canindé, a Portuguesa recebeu o Votuporanguense, time 28 do Projeto 40, no Estádio Prefeito José Liberatti em Osasco, querendo afastar a zica e voltar a vencer após duas derrotas.

Nem tinha me dado conta e cavucando nos meus alfarrábios vi que esse foi o meu jogo de número 2.700 em todos os tempos. Pelo andar da carruagem a peleja 3.000, se tudo correr dentro do esperado, deve chegar ainda nessa década. Sem falsa modéstia, não devem ter muitos que chegaram a essa marca aos 40 anos. Enquanto tiver condições, seguirei nessa jornada. :)

Falando do duelo em si apenas 264 pessoas pagaram ingresso para acompanhar mais um capítulo da via crucis rubro-verde na A2. O time parece que está piorando a cada rodada e ao invés de se aproximar do G4, está perigosamente se aproximando da zona de rebaixamento. O CAV também não anda nada bem e o time ocupava a 16ª posição antes dessa rodada.


Associação Portuguesa de Desportos - São Paulo/SP


Clube Atlético Votuporanguense - Votuporanga/SP


Capitães dos times com o quarteto de arbitragem composto pelo árbitro Lucas Canetto Bellote, os assistentes Alex Ang Ribeiro e Enderson Emanoel da Silva e o quarto árbitro Willer Fulgêncio Santos

O ambiente não era dos melhores e o tempo inicial mostrou o motivo de ambos não estarem nas posições mais altas da tábua de classificação. Foram 45 minutos bem abaixo da média, principalmente pelos lados do rubro-verde. O onze "local" teve a capacidade de criar só uma chance razoável.

Já o CAV foi melhor e chegou com relativo perigo perto da meta defendida por Ricardo Berna quatro ou cinco vezes. O maior destaque ficou por conta de uma inesperada chuva que derrubou um pouco a temperatura que estava alta. Nesse cenário, o primeiro tempo terminou em 0x0.


A Portuguesa até que lutou, porém fez um primeiro tempo muito abaixo do esperado


Bola viajando na área lusitana em ataque do CAV


Lance no meio de campo

No tempo final a Lusa voltou tentando impor aquela marota pressão. Mas ela foi insípida e durou apenas 17 minutos, tempo que o Votuporanguense levou para abrir o marcador. Nathan recebeu na esquerda e cortou dois zagueiros antes tocar no canto esquerdo de Ricardo Berna, um golaço!

Quatro minutos depois, o golpe definitivo na Lusa. O setor defensivo local não foi capaz de cortar uma bola levantada na área e Nathan, ele de novo, apareceu entre a dupla de zaga e o goleiro e ampliou a vantagem alvinegra. Se a torcida já não estava feliz, o 2x0 contra acentuou o número de xingamentos.

O restante do jogo foi melancólico, já que a Portuguesa não foi capaz sequer de esboçar uma reação. A equipe se entregou totalmente e o CAV perdeu a oportunidade de aplicar uma goleada, pois teve mais três oportunidades agudas de ampliar. No último lance, Bruno Silva ainda fez o gol de honra lusitano, só que já era tarde.


Zagueiro do CAV se preparando para cortar ataque lusitano


Troca de passes no setor ofensivo visitante


Após sofrer os dois gols, a Portuguesa se entregou e pouco fez no ataque


No último ataque da noite, até Ricardo Berna foi para a área tentar o empate... sem sucesso

O placar final de Portuguesa 1-2 Votuporanguense faz o escrete paulistano cair para a 12ª posição e o CAV pular para o 11º lugar. O rubro-verde agora está apenas um ponto acima da zona de rebaixamento e precisa de uma reação imediata. Reação que terá que acontecer sem a presença do consultor Leão. O ex-goleiro pegou seu boné e já se mandou do Canindé.

Pra quem morou do lado do Canindé e viveu o clima da região nos anos 80/90 é triste demais acompanhar a situação atual da equipe. Não há nenhuma expectativa de melhora e o cenário é de terra totalmente arrasada. O problema principal não é o "hoje", e sim nas décadas em que sanguessugas se aproveitaram do clube sem nenhuma preocupação com o futuro. Futuro que infelizmente se mostra cada vez mais tenebroso.

Na quinta-feira o Projeto 40 fez uma pausa e entrou na pauta uma partida pela Copa do Brasil na cidade de Campinas com direito a time novo na Lista, algo raro nos dias de hoje.

Até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário