Procure no JP

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Tudo igual entre Água Santa e XV de Piracicaba no Inamar

Texto e fotos: Fernando Martinez


No último final de semana continuei na rota das divisões de acesso do estado com uma partida em cada dia. No sábado fui até a cidade de Diadema para um confronto da A1 2016 na edição 2017 do Campeonato Paulista da Série A2: Água Santa x XV de Piracicaba. Um dos caçulas paulistas contra um dos times mais tradicionais de São Paulo no Estádio Distrital do Inamar.

Na primeira fase da A1 do ano passado, as duas equipes se enfrentaram no interior e o confronto terminou em 0x0. Para esse segundo duelo, o favoritismo estava do lado do Netuno, pois a equipe era uma das três que haviam vencido seus dois primeiros compromissos junto com São Caetano e Bragantino. Já o XV tinha somado apenas um ponto nos mesmos dois jogos.

Bom, encarei sozinho a jornada, e como tenho feito nas últimas vezes em que fui pro Inamar, segui até o Jabaquara e dali fui de Uber até o estádio. De condução é ruim chegar ali, mas de carro é de boa... isso quando o motorista não "conhece a região" e resolve se aventurar por tudo que é beco da cidade pensando em pegar "um caminho mais rápido". Levei quase 15 minutos a mais no bizarro trajeto por isso e por pouco não perco as fotos oficiais.


Esporte Clube Água Santa - Diadema/SP


Esporte Clube XV de Novembro - Piracicaba/SP


Capitães dos times junto com o árbitro Márcio Henrique de Gois, os assistentes Osvaldo Apipe Filho e Ricardo Luis Buzzi e o quarto árbitro Róbson Luiz de Sousa

No fim tudo deu certo e mesmo com um sol absurdo lá fui eu acompanhar o ataque dos donos da casa durante o tempo inicial. Embalados pela boa campanha, o Água Santa dominou as ações durante os primeiros 20 minutos. Aos oito minutos, após uma bola cruzada pela direita, o goleiro do Nhô Quim Mateus espalmou a bola para o meio da área. Róbson Duarte aproveitou o rebote e abriu o marcador.

O Netuno continuou melhor e infernizou bastante a zaga visitante. Só que depois dos 20 minutos, do nada, o time parou de jogar. O XV se acertou e foi a vez dele jogar melhor. Bruninho acabou se tornando o maior destaque do time e deixou tudo igual aos 37 minutos em chute no canto direito.

Com o 1x1, pintou um equilíbrio e no último grande momento do tempo inicial, a polêmica. Raí, camisa 10 do Água, chutou de longe, a bola bateu na trave e quicou em cima da linha, deixando grande parte do estádio em dúvida. Um lance rápido e difícil para o auxiliar número 2, que não confirmou o suposto gol. As câmeras confirmaram que a pelota realmente não entrou.


Chute do Água Santa sendo interceptado por zagueiro do XV


Ataque do Netuno pela direita e a firme marcação piracicabana


Bola viajando dentro da área do Nhô Quim

No tempo final a peleja teve um Água Santa dominante e um XV de Piracicaba pensando primeiro em se defender e só depois apostar nos contra-ataques. Foram 45 minutos muito bons e eletrizantes. Quem não curtiu muito foi a sempre presente torcida da casa, já que os atacantes pecavam no último toque.

As melhores oportunidades aconteceram num espaço de quatro minutos, dos 25 aos 28, e o Netuno chegou perto demais de passar novamente na frente do marcador por duas vezes. Primeiro num chute de Bruno Smith na trave, depois num chute cara-a-cara que terminou com grande defesa de Mateus.

O Nhô Quim também teve seus momentos, mas é fato que o time de Diadema era dono da partida. Antes do apito final, o arqueiro piracicabano teve mais uma chance de redenção em outro tiro à queima roupa defendido por ele. Com certeza ele se recuperou do erro no gol local na primeira etapa.


Mateus fazendo boa defesa no começo do segundo tempo


Início de bom ataque a favor do time de Diadema


Investida pela esquerda do ataque do Água Santa com direito a uma caneleira flutuante


Uma das chances mais agudas de gol a favor do time da casa, defendida pelo goleiro do XV


Placar final do ótimo jogo realizado no Distrital do Inamar

No fim, o placar de Água Santa 1-1 XV de Piracicaba tirou os 100% de aproveitamento do Netuno porém manteve a equipe invicta, agora somando sete pontos junto com Rio Claro, Bragantino e São Caetano. E se o XV ainda está na zona de rebaixamento sem nenhum triunfo, pelo menos mostrou que tem time para sair da situação difícil em que se encontra.

Se passei perrengue na ida, na volta pra casa não teve problema já que ganhei uma providencial carona até a capital paulista. Passei o restante do sábado sem inventar moda, pois o cronograma do Projeto 40 reservava uma jornada no domingo cedo em Guarulhos.

Até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário