Procure no JP

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

A líder Inter de Limeira sofre, mas derrota o Catanduvense

Texto e fotos: Fernando Martinez


O cronograma inicial do Projeto 40 apontava a cobertura de Juventus x Guarani na tarde do sábado de Carnaval. Jogo perto, sem viagem e com mais dois times "novos" para a lista. De última hora, porém, tive que mudar tudo e trocar os planos com uma ida inesperada até a cidade de Limeira. Lá, Internacional e Grêmio Catanduvense foram a campo no Estádio Major José Levi Sobrinho pela sétima rodada da primeira fase do Campeonato Paulista da Série A3.

A escolha não foi à toa, já que o time de Catanduva está com uma grande chance de ser eliminado do estadual no julgamento que será realizado no dia 6 de março. Isso acontece porque o time deu dois WO's e essa situação, de acordo com o regulamento geral das competições, é passível de exclusão (Em tempo: em 2015 o Cotia foi excluído da A3 exatamente por esse motivo).

Vale aqui explicar toda a bagunça: no primeiro compromisso como mandante o Grêmio atuou em São José do Rio Preto por falta de laudos na sua casa. No segundo - dia 15 de fevereiro contra o CATS - a diretoria tentou a liberação do Estádio Silvio Salles. A vigilância sanitária e os bombeiros liberaram, só que a PM não. Sem o aval da polícia e sem que o time tivesse indicado outro estádio para jogar, a FPF cancelou a peleja um dia antes dela acontecer e deu a vitória pro time taboanense.

No dia 16, quinta-feira, a PM finalmente vistoriou o estádio e, surpresa!, não o liberou. No dia 17 a diretoria tentou obter uma liminar para adiar o duelo contra o São Carlos já que não havia (de novo) indicado outro campo como alternativa. Não houve sucesso, logo, o jogo do dia 19 também foi cancelado pela FPF e o segundo WO estava consumado. Na tarde do dia 20, segunda-feira, jogadores e funcionários do clube foram dispensados. Parecia o fim.

Acontecer uma situação assim num campeonato profissional no estado mais rico do país é algo absolutamente lamentável e, puxando a sardinha pro meu lado, fiquei bastante chateado pois a conclusão do Projeto 40 estaria comprometida com a exclusão da equipe. A luz no fim do túnel surgiu durante a semana quando a FPF avisou que o clube estava liberado para atuar até o julgamento. Cruzei os dedos e fui ver na tabela aonde o pessoal iria atuar na rodada do Carnaval. Por uma sorte do tamanho do mundo, a partida seria contra a campeã paulista de 1986 no Limeirão. Um lugar relativamente fácil de ir.

Caso não seja excluído no TJD, o Grêmio virá até a região da Grande São Paulo nos dias 12 e 19 de março. Como eu não poderia dar bobeira, cancelei a ida até a Rua Javari e coloquei o pé na estrada para incluir as figurinhas de número 26 e 27 no álbum do Projeto 40.


Associação Atlética Internacional - Limeira/SP


Grêmio Catanduvense de Futebol - Catanduva/SP


O árbitro Rodrigo Batista da Silva e os assistentes Edislândio Nunes Bernardo e Weverton Soares de Sousa posando junto com os capitães dos times

Por causa do Carnaval comprei minha passagem um dia antes da viagem, como toda pessoa prevenida tem que fazer. A ida teve um ônibus lotado e nenhum percalço. Cheguei em Limeira faltando uma hora para o apito inicial e ainda deu tempo de almoçar antes de ir ao gramado. A primeira coisa que fiz chegando perto da entrada principal foi ver se o onze visitante havia chegado. Foi um alívio saber que a equipe estava já se aquecendo.

A Inter era a líder invicta da Série A3 antes dessa partida com 14 pontos conquistados em seis rodadas e contra uma equipe que não atuava há duas semanas o favoritismo era enorme. O último compromisso do Grêmio Catanduvense tinha acontecido em 11 de fevereiro, quando derrotaram o Atibaia pela contagem mínima em Indaiatuba. Sem saber se continuarão no certame até o fim, os atletas queriam pelo menos fazer uma apresentação digna.

Mais de mil pessoas pagaram ingresso e viram um primeiro tempo aonde a Inter dominou as ações por completo. Apesar de ficar muito mais tempo com a bola, os locais marcaram apenas uma vez. Carlão recebeu passe quase no círculo central e resolveu arriscar o chute mesmo assim. Esteban estava um pouco adiantado e não conseguiu impedir o belo gol do zagueiro aos 17 minutos.

A pressão foi grande, mas ao mesmo tempo insípida. Confesso que não foi uma atuação das mais animadoras da atual líder da competição. No tempo final o panorama não mudou e a diferença ficou por conta que dessa vez começamos a ver chances mais claras para o Leão ampliar o marcador.


Zaga do Catanduvense afastando o perigo


Internacional de Limeira atacando pela esquerda


Chute de longe a favor dos locais

Só que a cada gol perdido a torcida ficava mais impaciente. A cada passe errado o pessoal na arquibancada ficava mais irritado. Tudo bem, não foi a apresentação dos sonhos, porém na minha humilde visão tamanho auê foi meio desmedido. O clima já estava pesado e aos 30 minutos tudo ficou ainda pior com o empate do Bruxo.

A Inter teve um lateral a seu favor no campo de ataque e a pelota foi jogada dentro da área. A zaga cortou, a bola parou no meio de campo e então foi tocada em profundidade para Walker. O camisa 10 estava livre pela esquerda, avançou e tocou na saída de Rafael Pim, deixando tudo igual no marcador.

Daí pra frente o que se viu foi um clima muito tenso nas arquibancadas do Limeirão. Alguns torcedores se postaram no alambrado próximo ao banco de reservas do time da casa e ali ficaram fazendo pressão na comissão técnica. Teve até começo de confusão e a presença da "turma do deixa disso" para apaziguar os ânimos.

A Inter foi seguindo na base da insistência, lutando contra o relógio e contra a firma zaga visitante. A insistência foi enorme, e aos 48 minutos finalmente o goleiro Esteban foi vencido novamente. A bola foi cruzada da direita na cabeça de Tom. Ele tocou de leve e o camisa 1 ainda tocou na bola antes dela morrer dentro do gol.

O comandante alvinegro João Valim e vários integrantes da comissão técnica lavaram a alma com uma comemoração alucinada no alambrado, na frente dos torcedores que estavam ali com direito a muito xingamento. A festa foi enorme dentro e fora de campo numa mistura de alegria e alívio.


Lance do gol de empate do Catanduvense em chute de Walker




Por baixo e pelo alto, durante o tempo final a Inter criou um sem número de chances de gol

O placar final de Inter de Limeira 2-1 Catanduvense manteve o Leão na liderança da primeira fase da Série A3 após sete rodadas realizadas mesmo sem apresentar um futebol brilhante. O Grêmio permanece com três pontos ocupando a 19ª colocação. O time ainda tem mais um jogo antes do julgamento. Independente disso, a minha missão de colocá-los na lista do Projeto 40 foi concluída com sucesso.

Saí do Limeirão junto com a feliz massa de torcedores e então fiquei esperando a hora do meu ônibus passar. Voltei na boa, sem correria e já deixando ligado o esquema Carnaval total: muita música, descanso e pesquisas sobre a história das divisões de acesso. É, teremos novidades em relação a isso em breve!

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário