Procure no JP

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Monte Azul faz boa estreia e vence o São José FC no Vale

Texto e fotos: Fernando Martinez


Tinha planos de fazer uma rodada dupla no domingo, mas no final das contas desisti da jornada matutina e fiquei apenas com a rodada da tarde. Peguei a estrada pela primeira vez no Campeonato Paulista da Série A3 e fui ao Estádio Martins Pereira para o confronto do São José dos Campos FC contra o Monte Azul, times 3 e 4 do Projeto 40, pela rodada de abertura do certame.

Diferente do ano passado, quando deixei as viagens para o final do projeto e me quebrei de tanto cansaço, dessa vez pretendo fazer diferente e espalhar as idas ao interior ao longo dos quase três meses de primeira fase da A2 e A3. Um erro claro de logística, basta ver que de 2013 a 2016 minhas idas a São José dos Campos aconteceram entre o final de março e começo de abril. Em 2017 não vacilarei mais nesse sentido.


São José dos Campos Futebol Clube - São José dos Campos/SP


Atlético Monte Azul - Monte Azul Paulista/SP


Quarteto de arbitragem composto pelo árbitro Luiz Carlos Júnior, os assistentes Ricardo Ferreira da Cruz e Diogo Cruz Freire e o quarto árbitro Thiago Lourenço de Mattos junto com os capitães dos times

Fui até a capital do Vale com a presença do Ricardo Pucci, cada vez mais inserido no mundo dos jogos perdidos e das camisas de futebol que tanto nos levam à falência. Chegamos na cidade de boa e sob um forte calor, algo característico da região. Não demorou para que já estivesse no gramado devidamente credenciado.

Como acontece em toda estreia, não sabia muito o que esperar das equipes, então fui como de praxe acompanhar o ataque do onze local. O São José FC, com sua nova e belíssima camisa, começou tentando se impor, mas nada que assustasse o goleiro João Guilherme. O Monte Azul aos poucos foi equilibrando as ações e passou a colocar as manguinhas de fora.

O time teve uma, duas, três boas chances desperdiçadas, só que uma hora não teve como o time joseense segurar a onda. Eram decorridos 31 minutos quando o ataque visitante conseguiu emplacar uma boa troca de passes que terminou com o chutaço de Mateus Borges no canto esquerdo de Luan.


Ataque do Monte Azul pela direita no começo do jogo contra o São José FC


Zaga joseense tentando neutralizar ofensiva visitante


O camisa 8 Renato Peixe pouco conseguiu mostrar durante os 90 minutos


João Guilherme se jogando para fazer a defesa

Se a torcida já não estava muito paciente no 0x0, imaginem como ficou com o gol do Monte Azul. Nem a blitz do São José FC nos minutos finais (sem sucesso, fica o registro) acalmou a rapaziada presente nas arquibancadas do Martins Pereira. Eu, vencido pelo sol, fui curtir o segundo tempo na sombra.

O técnico Paulo Campos também não curtiu muito a apresentação local e pegou pesado com os atletas nos vestiários. A dura deu resultado e a equipe voltou outra no tempo final. Logo nos primeiros minutos o pessoal reclamou bastante de um suposto toque na mão de um zagueiro do Azulão dentro da área, só que o árbitro nada marcou. De onde eu estava, fiquei também com a impressão de pênalti.

O time visitante se encolheu todo no campo de defesa e chamou o Tigre para atacar à vontade. A melhor chance ficou por conta de um chute estranho de Mateus Teixeira que terminou com o goleiro João Guilherme mandando pela linha de fundo com dificuldade. Lucas Batista também tentou em chute de longe, porém infelizmente o dia não era mesmo dos donos da casa.


Chance de perigo do São José FC com Mateus Teixeira chutando e João Guilherme fazendo complicada intervenção


Zaga cortando ataque dos donos da casa


O Tigre tentou o empate até o último momento, mas não foi capaz de evitar a derrota

No fim, o placar final de São José dos Campos FC 0-1 Monte Azul premiou quem colocou a bola na rede e conseguiu se segurar bem na defesa, levando preciosos três pontos para casa. A estreia ruim não fez com que os joseenses deixem de sonhar alto, principalmente pelo futebol mostrado nos últimos 45 minutos.

Saindo do estádio fomos até a rodoviária sem pressa e com tempo de fazer uma merecida boquinha no local. Cerca de duas horas depois do apito final, já estávamos novamente na capital paulista. Da minha parte, o futebol voltou a ser assunto na quarta-feira, com minha primeira incursão na Série A2 em 2017.

Até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário