Procure no JP

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Ainda há salvação para a Portuguesa na Série C

Texto e fotos: Fernando Martinez


Depois da final do torneio masculino da Olimpíada ficou difícil voltar aos gramados, confesso. A emoção que senti no Maracanã na tarde do dia 20 de agosto dificilmente será superada, e isso fez com que eu hibernasse mais de três semanas antes de entrar num estádio novamente. 22 dias depois, retornei aos gramados num momento crucial do Campeonato Brasileiro da Série C: a luta da Portuguesa contra o rebaixamento.

O onze rubro-verde está vacilando desde a primeira rodada, e caso fosse derrotado pelo Guaratinguetá, no jogo válido pela 17ª rodada da fase inicial, o time iria cair para a última divisão nacional pela primeira vez em todos os tempos. Um melancólico desfecho que vem sendo ensaiado a cada partida que passa e a cada apresentação ridícula do time que há três anos atrás jogava e fazia uma campanha digna na Série A.


Como os times ficaram de frescura e não quiseram posar, segue a imagem dos dois perfilados para o Hino Nacional


Capitães dos times e trio de arbitragem mato-grossense com o árbitro Alinor Silva da Paixão e os assistentes Jackson Timóteo Lopes e Marcelo Grando

A partida não foi realizada no Canindé, e sim no Estádio Prefeito José Liberatti, pois a casa do time foi alugada. Sim, difícil de crer, mas essa foi a razão oficial. Pouco mais de 300 pessoas foram até a cidade de Osasco considerando que essa poderia ser, quer queiram ou não, uma histórica partida. Jogando contra o catado do Guará - e que mesmo assim derrotou a Lusa no primeiro turno, a única vitória do time no certame - a Portuguesa precisava dos três pontos.

Os "locais" começaram a peleja ocupando o campo defensivo visitante, porém sem conseguir uma finalização realmente perigosa durante os primeiros 15 minutos. Aos 18 a tarefa parecia que ficaria mais fácil quando Samuel, atleta da Garça, foi expulso. Dois minutos depois Marcelo pegou rebote de falta batida na trave por Dener e fez o primeiro.

A peleja seguiu no mesmo panorama e o goleiro Flaysmar fez duas defesas primorosas impedindo que a Portuguesa ampliasse sua vantagem. Só que quando a fase é ruim não tem como fugir do karma. No primeiro ataque visitante, isso aos 42 minutos, o gol de empate saiu. Anderson Oliveira recebeu bola na direita e costurou toda a defesa lusitana antes de entrar na área pela esquerda e chutar no canto de Pegorari. Aos 45, para o absoluto desespero local, quase o Guará virou o jogo.


Ataque lusitano com direito a malabarismo de Bruno Xavier


Nunes recebendo passe em cima da linha da grande área


Cobrança de falta de Dener que originou o primeiro gol da noite

Alguns torcedores presentes se revoltaram com o 1x1 ao final do tempo inicial e prometeram arrepiar geral caso o time não vencesse. No tempo final não restava outra alternativa para a Portuguesa a não ser pressionar ainda mais o Guaratinguetá no campo de defesa. Aos quatro minutos Flaysmar impediu o gol de falta de Dener, porém aos sete ele não teve como impedir Bruno Xavier de colocar mais uma vez a Lusa na frente.

A pressão foi mantida após o 2x1, e pena que as chances criadas não foram traduzidas em gol. Quando a bola finalmente seguia na direção da meta, o goleiro Flaysmar mostrava serviço e impedia a ampliação do marcador. Se não fosse a boa atuação do camisa 1 do Guará, a Lusa teria aplicado sua primeira goleada na Série C desse ano.

O melhor futebol só deu resultado novamente aos 38 minutos, quando Bruno Mineiro foi derrubado por Adriano dentro da área. Ele mesmo cobrou e marcou o terceiro do escrete paulistano. Foi o que bastou para a torcida se acalmar um pouquinho mais e esperar o apito final sem maiores problemas.


Bola levantada na área do Guará e cabeçada de Marcelo


Mais um cruzamento a favor da Portuguesa


Bruno Mineiro correndo para fazer o terceiro gol lusitano. Ainda há salvação para a Lusa

O placar final de Portuguesa 3-1 Guaratinguetá somado à derrota do Macaé contra o Juventude deixou a Lusa um ponto atrás do time carioca faltando apenas uma rodada. O cenário agora mostra que os lusitanos precisam vencer o Tombense fora de casa e torcer para o Macaé não ganhar do Botafogo no Moacyrzão. Se a Portuguesa empatar, ela pode até se salvar caso o Macaé seja derrotado por mais de dois gols de diferença.

Além da cantada e comemorada queda do Guará, é fato que tanto Macaé e Portuguesa mereciam ir parar na Série D de 2017 por tudo que não fizeram nas 17 rodadas até aqui. Como todos sabem bem a situação atual da equipe paulistana, torço muito para que aconteça a salvação rubro-verde no próximo domingo e que 2017 seja o começo da redenção. Não será nada fácil, mas estarei na torcida.

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário