Procure no JP

segunda-feira, 4 de abril de 2016

O "tetra" do Projeto 40 no rebaixamento da Itapirense em Osasco


Foi difícil, cansativo e por algumas vezes quase desisti, mas na manhã do último domingo cheguei ao tetra do Projeto 40 ao ver in loco a 40ª equipe de todas que disputaram as duas divisões de acesso do estado nos últimos dois meses. Em 2013, a última figurinha do álbum foi o Sertãozinho, em 2014/2015 foi a Matonense, e na atual temporada ficou a cargo da Itapirense a honra de fechar o projeto.

Depois da correria que fiz para ver 28 pelejas Distribuídas por dois meses, visitando onze cidades diferentes e enfrentando viagens bem cansativas, perrengues diversos, muito calor e temporais surreais, posso dizer que o cansaço é enorme, só que isso é o de menos. Mais uma vez o Blog do Fernando Jogos Perdidos se torna o único veículo de imprensa que mostrou in loco pelo menos uma partida de cada um dos participantes da A2 e da A3. Isso definitivamente não é pouco.

Uma das coisas que tornou essa temporada a mais difícil de todas foi o período de disputa das primeiras fases das duas competições. Em 2013, 2014 e 2015 fechei o projeto respectivamente num período de 81, 78 e 92 dias. Em 2016 a FPF fez o favor de apertar demais o calendário e então tive um limitado prazo de 63 dias (!) para ver de perto cada um dos quarenta clubes. Dá para terem uma leve ideia de como foi complicado montar a logística.

Era para ter visto a SEI em Guarulhos. Como não deu certo, restou ir até o Estádio José Liberatti para o duelo da Vermelhinha contra o Grêmio Osasco. Se os oito classificados para a próxima fase já estavam definidos desde a rodada passada, ainda faltavam definir dois dos seis rebaixados. Envolvida nesse cenário terrível, a Esportiva estava numa situação crítica.


Grêmio E Osasco - Osasco/SP. Foto: Fernando Martinez.


SE Itapirense - Itapira/SP. Foto: Fernando Martinez.


Capitães dos times junto ao árbitro Márcio Roberto Soares, os assistentes Luiz Fernando de Moraes e Thiago Henrique Alborghetti e o quarto árbitro Renato de Carlos. Foto: Fernando Martinez.

O grande problema é que a equipe não dependia de si para escapar da queda e precisava vencer o time da Grande São Paulo além de torcer por derrotas da Inter de Limeira e São José FC, os dois atuando longe de casa respectivamente contra Primavera e Nacional. Resumindo: uma situação muito complicada.

O onze osasquense não tinha mais nada a fazer no certame depois da derrota que sepultou o sonho do acesso na quarta-feira passada contra o Flamengo. Mesmo assim, elenco e comissão técnica queriam encerrar a temporada com um triunfo jogando dentro de casa.

Apesar da necessidade de vitória, a Esportiva não mostrou capacidade para ser melhor do que os locais. O Grêmio fez uma apresentação absolutamente tranquila e não deu a menor chance para a Vermelhinha. Logo aos 11 minutos Eduardo já começou a fechar o caixão alvirrubro com o gol que abriu o marcador.


Desde os primeiros minutos o Grêmio Osasco foi o time que mais procurou o gol. Foto: Fernando Martinez.


Boa chance do GEO em lance dentro da grande área. Foto: Fernando Martinez.


Zaga da Vermelhinha cortando bola levantada na área. Foto: Fernando Martinez.


Escanteio a favor do Grêmio Osasco. Foto: Fernando Martinez.

Os visitantes até tentaram assustar nos contra-ataques, mas o máximo que conseguiram foram dois chutes de longe que terminaram com boas defesas de Cleiton. O tempo inicial terminou com a Itapirense praticamente rebaixada em virtude da derrota parcial.

No segundo nada mudou e o GEO colocou mais um prego do caixão visitante aos 11 minutos com o gol de Matheus. Com a situação praticamente definida, o jogo seguiu meio desanimado. O time de Itapira ainda fez o gol de honra com Jefferson aos 38 e Jorge Eduardo fechou a fatura em definitivo aos 47 com o terceiro gol local.


Troca de passes no ataque local. Foto: Fernando Martinez.


O segundo tempo foi mais tranquilo e marcou os últimos 45 minutos da SEI na A3. Foto: Fernando Martinez.


Último gol do Grêmio Osasco, para fechar de vez o caixão do onze alvirrubro. Foto: Fernando Martinez.

O placar final de Grêmio Osasco 3-1 Itapirense decretou a queda da Esportiva para a última divisão depois de oito temporadas na A3 e uma na A2. Nem a vitória teria salvado, já que a Inter venceu e o São José FC empatou. O tradicional São José completou o grupo de seis agremiações que jogarão a Segundona em 2017. O GEO terminou a fase inicial em nono lugar com 29 pontos, apenas dois atrás do Nacional, oitavo colocado. Se não tivessem perdido tantos pontos bobos em casa, o ano não acabaria tão cedo.

Depois de dois meses insanos, agora o foco vai mudar um pouquinho. No final dessa semana saio do país para minha segunda turnê futebolística por Buenos Aires e dessa vez o Uruguai também está incluso no pacote. Serão cerca de duas semanas por lá e a torcida é para que o cronograma se cumpra com sucesso. Independente do campeonato, não tem jeito, quem gosta de verdade disso aqui não larga por motivo nenhum.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário