Procure no JP

quarta-feira, 27 de abril de 2016

No sufoco, Portuguesa elimina o Parnahyba da Copa do Brasil

Texto e fotos: Fernando Martinez


A Copa do Brasil sempre foi um campeonato que colocou muitos times novos - trinta, para ser mais preciso - na minha Lista, do Ubiratan em 1999 até o Goianésia em 2014. Só que nos últimos cinco anos a minha performance foi muito abaixo da média, e vi apenas quatro de 2011 até o ano passado.

Dito isso, nada melhor do que aumentar essa média com duas equipes inéditas na mesma semana, a começar pela sessão noturna de futebol da terça-feira no Estádio Oswaldo Teixeira Duarte. A Portuguesa recebeu o genial Parnahyba do Piauí, terceiro maior campeão piauiense, na sua primeira visita ao estado de São Paulo em todos os tempos.


Times perfilados antes da partida

O momento do onze rubro-verde é um dos piores de sua quase centenária história, então uma classificação para a segunda fase já valeria uma comemoração, ainda mais levando em conta que isso significaria 150 mil reais a mais para os combalidos cofres da agremiação. Se o valor vai para o saco sem fundo das dívidas lusitanas é outra história, mas é fato que cairia muito nem no atual cenário.

No jogo de ida o Tubarão do Litoral venceu por 2x1 e quebrou um imenso tabu na Copa do Brasil. Até então nunca uma equipe piauiense havia vencido uma paulista pelo certame, isso num total de vinte confrontos de 1989 até 2013. Contando também os Brasileiros das várias divisões, desde 1984 um piauiense não ganhava de um time bandeirante. O último triunfo tinha acontecido em 1984, num 3x2 do extinto Auto Esporte contra a própria Portuguesa.

As últimas quatro eliminações lusitanas na primeira fase aconteceram no Canindé, todas inesquecíveis pelo lado negativo da coisa: a derrota nos pênaltis para o Icasa em 2009, a eliminação para o Bangu em 2011, o empate amargo contra o Naviraiense em 2013 e a vitória que nada adiantou contra o Potiguar de Mossoró em 2014. três com coberturas do JP.

Num primeiro momento, o confronto seria realizado com portões fechados, mas horas antes da peleja a ordem foi revogada. Os 338 torcedores que pagaram ingresso na terça não queriam que o retrospecto negativo dos últimos anos se repetisse. E foi sofrido, no sufoco, na raça, mas no fim tudo deu certo.

Como era esperado, a Portuguesa dominou as ações durante a maior parte do tempo, só que o elenco não é assim uma Brastemp, e, junto com a grande atuação do goleiro Fábio, o jogo foi um tanto quanto dramático. O arqueiro piauiense fez duas grandes intervenções, uma no início e outra no último lance do tempo inicial, e foi o principal responsável pelo marcador não ser inaugurado nos primeiros 45 minutos.


Jogador do Parnahyba fazendo o corte dentro da pequena área


Defesa segura de Fábio, goleiro piauiense

No segundo tempo a Portuguesa foi melhor, mas ainda esbarrava numa atuação segura do setor defensivo do Parnahyba. No comecinho, Rian salvou gol em cima da linha. Aos 15 Luciano foi expulso e com um a menos os piauienses abdicaram de qualquer ida ao ataque.

O relógio era implacável e a cada minuto que passava parecia que o filme das eliminações surreais para equipes alternativas se repetiria mais uma vez no Canindé. Faltando seis minutos para o final do tempo regulamentar, a Portuguesa então finalmente pôde comemorar um gol... e que gol bizarro.

Depois de escanteio pela direita, a bola ficou sem dono num bate-rebate surreal dentro da pequena área. Bruno Nunes acabou conseguindo finalizar na marra num chute mascado que venceu a zaga do Tubarão do Litoral. A festa nas arquibancadas foi digna de Copa do Mundo, e a sensação de alívio estava estampada em cada rosto.



Duas chegadas lusitanas pelo alto no segundo tempo do jogo


Jogada do bizarro gol da Portuguesa que colocou a equipe na segunda fase da Copa do Brasil


O Parnahyba tentou o empate de forma desesperada mas acabou eliminado da competição

O Portuguesa 1-0 Parnahyba colocou o time paulista na segunda fase da Copa do Brasil. Agora a equipe enfrenta o Vitória da Bahia, que vem de duas vitórias conta o Náutico de Roraima. Jogo bastante tradicional que já apareceu por quatro vezes nas nossas páginas. Se a agenda permitir, tentarei marcar presença mais uma vez.

Na quarta-feira não teve time novo na programação, mas teve um dos melhores jogos que acompanhei em 2016... e creiam, isso está difícil demais de acontecer.

Até lá

Um comentário:

  1. SR FEWRANDO VOCES FIZERAM O MJOGO BARCELÇONA E OSASCO E AINDA NAIO PUSERAM AS FOTOS DO JOGO. GOSTASRIA SR. FGERANDO QUE VOCES FIZESSEM UM JOGO DAPORTGFUESA SANTISTA NO ULRICO MURUSA, UM DO JABAQUARA EM SANTOS , UM DO SAO BERANRDO , UM DA MAUAENSE, UM DO GUARULHOS, UM DO MANTIQUEIRA QUANDO VICER JOPGAR EM SAO PAULO.UM DO DAIDEMA. FICO NAO AGAURDO DE UMA RESPOSTA E PARABENS. PELOS JGOS;. DIA 13 DE MAIO DE 21056.

    ResponderExcluir