Procure no JP

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Duelo abençoado pela Copa do Brasil na Vila Belmiro

Texto e fotos: Fernando Martinez


Fechando a semana de forma primorosa, na quinta-feira rolou um daqueles jogos geniais que somente a Copa do Brasil pode nos proporcionar. A sessão noturna no Estádio Urbano Caldeira trouxe pela primeira vez um time profissional do Amapá para atuar no estado de São Paulo em todos os tempos. O abençoado duelo entre Santos e Santos já entra na lista de jogos mais geniais de 2016.

Apenas duas vezes na história uma equipe paulista enfrentou um time amapaense numa Copa do Brasil, o São Paulo contra o Ypiranga em 1999 e a Portuguesa conta o próprio Santos no ano passado, e nas duas vezes lamentavelmente não houve jogo de volta. Contando com a torcida de todo mundo que ama um jogo perdido, o time reserva do Peixe não conseguiu fazer o placar necessário para evitar o confronto na Vila Belmiro e com isso não tive outra alternativa a não ser descer a serra para ver de perto essa peleja.

(Em tempo, com a vinda do Santos do Amapá, Roraima passou a ser o único estado da federação que nunca teve um time profissional atuando no estado de São Paulo. Em 2010 a Portuguesa eliminou o Atlético com um massacre por 7x0. Em 2011 a Ponte fez apenas 1x0 e não evitou o jogo de volta contra o Baré, mas o time roraimense foi eliminado no TJD pois todos seus atletas estavam irregulares (!) no 0x1. Em 2014, a Macaca eliminou o Náutico com um triunfo por 4x1)


Santos Futebol Clube (o de São Paulo)


Nenhum fotógrafo se dignou a fazer a foto posada do Santos do Amapá, um absurdo. Segue então a imagem do time perfilado para o Hino Nacional Brasileiro


Capitães dos times e trio de arbitragem

Tive a companhia do Mílton nessa jornada até o litoral, uma viagem sossegada de pouco mais de uma hora e sem nenhum perrengue. Chegamos na rodoviária na boa e dali pegamos um táxi até a Vila. A movimentação era tranquila e não demorou para que eu chegasse no meu lugar na parte coberta do estádio. Fiquei ali na boa esperando o apito inicial. Vale lembrar que foi meu 17º jogo ali, o 13º de futebol masculino, sempre matando alguma equipe desde janeiro de 2007.

O 1x1 do jogo de ida não preocupava os mais de cinco mil pagantes, todos já dando como certa a classificação para a segunda fase. Só que o Santos visitante não foi um adversário qualquer e conseguiu segurar durante quase todo o primeiro tempo o onze local, esse atuando novamente com uma equipe reserva.

Demorou um pouco para o Peixe acertar o pé, e embora tenha chegado com perigo algumas vezes no gol defendido por Zé Maria, as oportunidades não foram aproveitadas. O Santos amapaense foi heroico, só que no último lance do tempo inicial sofreu o primeiro. Elano cruzou na direita e Luiz Felipe pulou meio sem jeito. Ele errou a cabeçada, porém por sorte ela bateu em Jari e entrou no gol, colocando os locais mais perto da segunda fase.


Bola levantada na área do Santos... paulista


Jogadores amapaenses trocando passes dentro do círculo central


Outro ataque do time visitante no tempo inicial


Momento em que Luiz Felipe cabeceou a pelota para marcar o primeiro gol do time da Vila Belmiro

No segundo tempo não teve surpresa. Os visitantes recuaram e o Santos cozinhou o Galo, ou melhor, o Peixe visitante, aguardando o tempo passar para sacramentar a classificação. Após alguns gols perdidos, Ronaldo Marques fez um golaço aos 21 minutos em boa jogada pela direita.

Os amapaenses ainda tentavam o golzinho de honra, mas Vladimir se mostrava seguro. Para fechar a fatura, o zagueiro Pretão resolveu dar um presentaço para o atacante Joel. Ele recuou mal uma bola da intermediária e o camaronês driblou o goleiro e tocou tranquilamente para definir o marcador.


Maxi Rolón, camisa 31 do Santos paulista, chutando da entrada da área


Visão geral da Vila recebendo um bom público para o abençoado encontro de Santos na Copa do Brasil


Joel chutando para fechar a fatura na Vila Belmiro


Placar final do genial duelo entre Santos e Santos, um dos jogos mais legais de 2016

O placar final de Santos 3-0 Santos/AP marcou o 22º jogo invicto dos paulistas atuando como mandantes na Copa do Brasil (a última derrota foi para o CSA em 2009). Na próxima fase, a equipe enfrentará o Galvez do Acre. Independente do resultado, deixo os parabéns para os amapaenses, pois só quem é do ramo sabe das dificuldades de fazer futebol longe dos grandes centros. Chegar a jogar na Vila Belmiro já foi um enorme feito para o longínquo time fundado em 1973.

Com os dois times da semana mais tudo que vi na Argentina, somei em abril 16 times novos na Lista, um recorde histórico. Parecia que os 14 que vi em janeiro de 2001 - isso com a ajuda da Copa São Paulo, sempre um mês bastante interessante - permaneceriam no topo dessa lista por mais tempo. Mais de quinze anos depois, foi muito bom ter conseguido quebrar essa marca.

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário