Procure no JP

terça-feira, 26 de abril de 2016

Campeonato novo, tabu antigo: Barcelona segue sem vencer em casa

Texto e fotos: Fernando Martinez


No último domingo fiz a minha estreia no sempre legal Campeonato Paulista da Segunda Divisão, o último degrau futebolístico do estado. E foi um début de gala já que o genial Barcelona Capela estava envolvido. Fazendo seu primeiro jogo na história como mandante no Estádio Conde Rodolfo Crespi, o time da zona sul paulistana recebeu o Desportivo Brasil.

Na temporada passada acompanhei in loco os nove jogos do Barcelona na sua "casa" até então, o Estádio Nicolau Alayon. Para 2016 a equipe irá mandar suas partidas na Rua Javari, e com certeza pretendo me fazer presente no maior número de pelejas possível. É o quarto estádio que o Elefante irá usar como mandante - isso sem contar a temporada cigana de 2009 - em todos os tempos.

Falando nisso, a última vitória do time da capital com o mando de campo aconteceu em 17 de junho de 2007, num 2x0 contra o Pão de Açúcar, hoje Audax. Desde então foram dezesseis compromissos e nenhum triunfo. O time passou os certames de 2009 e 2015 sem uma vitoriazinha sequer e agora em 2016 espero sinceramente que esse incômodo tabu vá para o espaço. Contra o Desportivo, além de querer quebrar essa marca, a equipe queria encerrar a série de treze derrotas seguidas na Segundona.


Barcelona Esportivo Capela Ltda - São Paulo/SP


Desportivo Brasil Participações Ltda - Porto Feliz/SP


Capitães dos times e quarteto composto por Marcio André Moreira, Diogo Correia dos Santos, Domingos da Silva Chagas e Fernanda dos Santos

Estive no Nacional no empate de 1x1 entre eles pela Segundona 2015, campeonato em que os dois foram os últimos colocados do Grupo 2 e posso dizer que aquele jogo deixou bastante a desejar. Ainda é cedo para dizer, mas parece - parece, que fique bem claro - que o negócio melhorou um pouquinho em 2016. O jogo foi até que razoável, principalmente por conta da atuação do Barcelona.

O Elefante sofreu uma goleada de 5x0 para o CA Lemense na estreia, então confesso que não esperava muita coisa de positivo. Só que os atletas do time atuaram bem e mostraram bastante força de vontade no gramado juventino. Junta-se isso à boa participação do Desportivo e temos um jogo interessante com os dois jogando relativamente bem.


Jogadores do Desportivo Brasil e do Barcelona - com seu belíssimo uniforme - em lance no meio de campo


Corte preciso do atleta portofelicense


Disputa de bola pelo alto


Atleta do Barcelona tentando passar por dois defensores do Desportivo Brasil

Tá tudo muito bom, tá tudo muito bem, porém um problema crônico do futebol deu as caras na Javari: as finalizações. Apesar de criarem algumas chances claras para abrirem o placar, os atacantes de Barcelona e Desportivo pecaram demais no último toque.

Se contarmos os ataques de cada um durante os 90 minutos, creio que os locais levam vantagem, mas isso não adiantou muita coisa. Teve bola na trave, chute de longe brilhantemente defendido pelo arqueiro e muita bola alçada na área, mas no fim, o placar ficou em branco.


Bola zanzando no campo defensivo do time visitante


Grande chance de gol para o onze local


Aqui oportunidade perigosa a favor do Desportivo. O arqueiro do Barcelona fez defesa segura

O Barcelona 0-0 Desportivo Brasil marcou meu sétimo placar em branco em 2016, um recorde. Foi o primeiro ponto do time paulistano e o segundo do onze porto-felicense e ambos continuam sem vencer. Independente do marcador, estou na torcida para que o Barça possa fazer bonito na Segundona.

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário