Procure no JP

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Copa São Paulo: Flamengo vence o Bahia nos penais


No último final de semana rolou a genial fase de sétimas-de-final (!) na edição 2016 da Copa São Paulo de Futebol Júnior. No sábado desisti de acompanhar in loco a rodada e fiquei de boa, e no domingo fui ver de perto o duelo entre Bahia e Flamengo, times que disputaram a final do certame em 2011, no Estádio Nicolau Alayon.

Obviamente a casa nacionalina recebeu a presença de um grande público, já que as duas agremiações tem um número enorme de torcedores por aqui. O povo estava animado, ainda mais com as boas apresentações de ambos até então. O Tricolor somava quatro vitórias e apenas um revés, enquanto o Fla estava com 100% de aproveitamento com cinco triunfos em cinco apresentações.


EC Bahia (sub-20) - Salvador/BA. Foto: Fernando Martinez.


CR do Flamengo (sub-20) - Rio de Janeiro/RJ. Foto: Fernando Martinez.


Capitães das equipes e trio de arbitragem. Foto: Fernando Martinez.

Nessa fase, além dos vencedores dos sete confrontos, o "melhor perdedor" também se garantiria nas quartas, cortesia do bizarro regulamento. Com os jogos já realizados na sexta e no sábado, o rubro-negro já estava garantido mesmo com derrota. Surreal, não? Diferente do que muitos imaginavam, isso não fez a equipe disputar um "amistoso", muito pelo contrário.

O primeiro tempo da peleja foi todo do Flamengo e o Bahia não viu a cor da bola. A primeira chance foi aos 20 segundos, mostrando que o Fla não estava pra brincadeira. Aos 14, Michel avançou pela esquerda, cruzou e o zagueiro Caio tocou a mão na pelota dentro da área... pênalti. Cafu foi para a cobrança e chutou pra fora.

O rubro-negro continuou melhor e finalmente abriu o placar aos 36 com Felipe Vizeu. Ele completou cruzamento de Lucas Paquetá e marcou seu quarto tento na Copinha. Seis minutos depois ele fez segundo do Fla e o seu quinto gol depois de uma belíssima jogada. Thiago Ennes cruzou na cabeça do camisa 9 e a partida chegou ao seu intervalo com fáceis 2x0 para o Mengo.


Zagueiro do Flamengo protegendo a bola. Foto: Fernando Martinez.


Felipinho atacando pela direita. Foto: Fernando Martinez.


Pênalti desperdiçado por Cafu. Foto: Fernando Martinez.


O primeiro tempo foi todo do Flamengo, aqui neutralizando mais um ataque do Bahia. Foto: Fernando Martinez.

No segundo tempo tudo mudou. O Bahia acordou e passou a jogar melhor, sabendo que se perdesse estaria eliminado. Tirando uma chance de Deijair aos oito minutos, as demais chances de gol foram todas da equipe do Nordeste. A primeira real rolou aos 10 minutos quando Felipinho avançou sozinho por todo o campo adversário, mas demorou para chutar e sofreu o corte.

Aos 13, Júnior chutou de muito longe e a bola bateu na trave. Ao 16 Felipinho, de novo ele, recebeu grande passe e mandou pra fora. Aos 24 Jonas marcou, só que o tento foi anulado por conta do impedimento. Após essas oportunidades, o Bahia continuou com maior posse de bola, porém sem criar um lance mais agudo.

O tempo foi passando e parecia que o marcador não seria mais alterado, até porquê o Tricolor não fazia crer que conseguiria forças para reagir. E justamente quando todos imaginavam que a fatura estava liquidada, tudo mudou em 60 segundos. Em grande de jogada de Alisson aos 38 minutos, ele cruzou e o artilheiro Geovane Itinga apareceu entre os zagueiros para diminuir.

O Flamengo não conseguiu nem dar a saída de bola direito, pois Max roubou a bola e tocou para Geovane Itinga. Ele acertou um tirambaço e marcou um golaço, deixando tudo igual e gerando enorme festa no lado baiano das arquibancadas. O Fla ainda esboçou uma tímida pressão nos minutos finais, mas não teve jeito, a peleja foi para a disputa de pênaltis.


Jaques, camisa 4 do Tricolor, ganhando pelo alto. Foto: Fernando Martinez.


O camisa 7 Júnior com a bola nos pés. Foto: Fernando Martinez.


Jogador do Fla e a bola camisa do time. Foto: Fernando Martinez.

Só relembrando: O Flamengo entrou em campo classificado e o Bahia, mesmo se desse mal tinha grande chance de estar nas quartas pois só seria eliminado se o Rondonópolis vencesse o São Paulo, algo muito improvável. Ou seja, a disputa em si foi mera formalidade.

Na série normal, Léo Duarte e Michael perderam e Thiago Ennes, Alan e Luã fizeram a favor do Flamengo. Pelo Bahia, Alisson e Júnior desperdiçaram e Thiago, Geovane Itinga e Sebastian fizeram. Na primeira cobrança alternada o goleiro carioca Thiago fez o primeiro e Jaques deixou tudo igual. Lucas Paquetá colocou o Fla em nova vantagem e Clayton mandou para fora, dando a vitória ao time do Rio de Janeiro.


Pênalti cobrado - e convertido - pelo goleiro flamenguista Thiago. Foto: Fernando Martinez.



Goleiro de um lado, bola do outro... mas para fora. Clayton desperdiçou o penal decisivo. Fotos: Fernando Martinez.

O placar final ficou em Flamengo 2 (4) - 2 (3) Bahia. O triunfo classificou o Fla para enfrentar o São Paulo, que venceu facilmente o Rondonópolis, enquanto, como todos já esperavam, o Tricolor de Aço foi o "melhor perdedor" e jogou contra o América Mineiro nas quartas. Foi a sexta vez na história que o Bahia ficou entre os oito melhores na Copinha.

Com os oito times definidos a Copinha chegou na sua fase de quartas-de-final. Para variar um pouquinho, a cobertura acabou sendo em outra partida realizada na casa do Nacional AC, com duas equipes que não tinham aparecido aqui nesse ano.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário