Procure no JP

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Azulão decepciona, mas está nas quartas da Série D


Até o último domingo, o São Caetano era o time com melhor aproveitamento de pontos no Campeonato Brasileiro da Série D e tinha saído derrotado de campo apenas uma vez. Além disso, os comandados de Luís Carlos Martins tinham aniquilado todos seus adversários jogando no Estádio Anacleto Campanella. É, só que tudo isso foi para o espaço depois do confronto contra o Coruripe de Alagoas na partida de volta das oitavas de final do certame.



São Caetano e Coruripe devidamente posados para os amigos do JP. É a segunda vez que o time alagoano aparece nas nossas páginas (a primeira foi no confronto contra o Juventus, pela Copa do Brasil de 2008). Fotos: Fernando Martinez.


Capitães dos times junto com o quarteto de arbitragem da partida: O árbitro paranaense Paulo Roberto Junior, os assistentes também do Paraná Luciano Roggenbaum e Daniel Cotrim de Carvalho e o quarto árbitro paulista Rodrigo Guarizo do Amaral. Fotos: Fernando Martinez.

O time paulista fez sonoros 3x0 atuando no nordeste brasileiro e nem o mais fiel torcedor do Verdão Praiano acreditava numa classificação para as quartas. E cá entre nós, claro que os paulistas já estavam virtualmente classificados pois somente uma catástrofe os eliminaria, mas o que vi durante quase todos os 90 minutos da peleja foi um time sem inspiração e sem vontade, apresentando um futebol burocrático demais.

Pena que a equipe tenha jogado mal justamente no jogo com maior público presente no Anacleto. Por conta da bem sucedida promoção das garrafas pet, mais de quatro mil ingressos foram trocados. Tudo bem, nas arquibancadas estimamos que os presentes eram pouco menos de dois mil, mas mesmo assim é um assombro levando em conta os últimos anos por ali.

No árido primeiro tempo, a única chance realmente digna de registro aconteceu aos 35 minutos. O camisa 11 Róbson recebeu passe dentro da área, driblou o goleiro Gott e foi derrubado pelo mesmo. Na cobrança, ele bateu muito mal e o arqueiro fez uma defesa segura no meio do gol.


Disputa de bola pelo alto. Foto: Fernando Martinez.


Jogador do São Caetano roubando a bola de defensor do Coruripe. Foto: Fernando Martinez.



Róbson sendo derrubado por Grott dentro da área sob o atento olhar do setor defensivo do Coruripe. Na sequência, ele desperdiçou o penal que daria vantagem no marcador para o Azulão. Foto: Fernando Martinez.

No tempo final, o panorama foi menos pior. O Coruripe resolveu tentar a sorte e se lançou, mesmo com certa cautela, ao ataque no melhor esquema "perdido por um, perdido por mil". Aos 10 minutos Tiago Lima perdeu enorme chance para abrir o placar ao chutar na lua uma bola que quicava de forma bem marota na linha da pequena área.

Aos 23 minutos o não-tão-surpreendente gol visitante saiu. Em escanteio cobrado por Paulo Vítor, o setor defensivo local falhou completamente e Naoh apareceu livre para mandar pro fundo das redes. Na saída de bola, quase o empate do onze local chegou com o artilheiro Jô chutando na trave. Aos 27, Jô tentou de novo, mas Gott fez brilhante defesa.


Escanteio para o time do ABC. Foto: Fernando Martinez.


Ataque pela esquerda. Foto: Fernando Martinez.


Detalhe, mesmo de longe, do solitário gol da partida. Noah foi o autor do tento. Foto: Fernando Martinez.


Gott subindo tranquilamente para fazer a defesa. Foto: Fernando Martinez.

Daí pra frente foi aquele chove não molha e a falta de inspiração voltou a dar as caras no Anacleto. Com tamanha falta de vontade, o resultado não poderia ser outro: São Caetano 0-1 Coruripe. A primeira derrota em casa não tirou o melhor aproveitamento do Azulão, mas o time agora tem a companhia do Ypiranga de Erechim, ficando à frente apenas no saldo de gols. Nas quartas, o time do ABC vai jogar contra o Botafogo de Ribeirão Preto em busca da volta para a Série C.

Como irá acontecer no jogo Portuguesa x Vila Nova, também provavelmente não estarei no ABC para o confronto decisivo contra a Pantera. Mas tá valendo, estarei ligado mesmo a muitos quilômetros de distância.

Até a próxima!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário